English readers and other languages: Many posts are in portuguese, you can use the Translate button at left side.

Clique nas imagens dos artigos! Elas levam você para o site do artista que a criou e muitas
vezes tem assuntos relacionados ou outras imagens para expandir seus horizontes!
Mostrar mensagens com a etiqueta Tendências. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Tendências. Mostrar todas as mensagens

terça-feira, 5 de junho de 2012

O Custo de Não Gostar dos Fãs/Clientes da Empresa

Foto: ..Looking Glass


Meu comentário a respeito de matérias citadas nestes sites

"Externar o amor e a admiração por uma marca extrapola as questões tradicionais de proteção à marca que nós, profissionais de marketing e comunicação, estabelecemos para nós mesmos. Que mal faz se um fã desenha um coração, cola em cima da sua marca e resolve criar um blog tendo isso como símbolo?"
Mauro Segura, autor do blog A Quinta Onda



Meu comentário


O maior custo de uma empresa é a burrice.

Só imagino o que vai acontecer se na mesma onda, os fabricantes de automóveis começarem a mandar fechar todos os clubes de amantes de carros e os milhares de sites dedicados a eles.
Vão mandar fechar também os blogs e sites de apreciadores de vinho, os que gostam de moda.
E chegando ao delirium supremus, vão mandar fechar todos fãs clubes de artistas para preservar a imagem.
Ninguém mais vai poder usar camisetas com logotipos pois uma pessoa feia/alta/baixa/linda/cética/religiosa/nariguda/careca/etc. poderia prejudicar a imagem the empresa.

Para atitudes ridículas, nada mais explicativo do que exemplos que só não são tão ridículos porque pelo menos estes exemplos são apenas exemplos e não atos que foram feitos realmente demonstrando uma visão de mercado no mínimo ridícula. Depois falam que a economia e o governo é que atrapalham os negócios e despedem os funcionários (que também eram clientes) para cortar "custos".


Geralmente um blog, twiter, o que for feito por um fã do produto muito dificilmente poderá vir a ser identificado como sendo the própria empresa.
Acho algo bem paranóico e extremista achar que ninguém pode nada. Claro que precisa olhar o site/blog por mais de meio segundo para notar a diferença.
Só que aí precisa cérebro que funcione e não apenas estatísticas compradas nalguma agência de publicidade qualquer, com ou sem publicitário socialyte.
Cliente não é intocável com certeza e muito menos empresa. O seu argumento parece é o tipo de posicionamento que temos visto de tantas empresas (que andam quebrando aos montes) que não aceitam serem criticadas e consideram clientes como suas propriedades.
Claro que certas empresas como por exemplo, as de fornecimento de energia elétrica para a população tem monopólio e são exclusivas do setor, então as pessoas praticamente não tem escolha, a menos que comprem painéis solares.
Mas isto não vai durar para sempre, acredite.
Pior, esquecem que já estamos no século XXI e que graças a internet, estas coisas não são mais varridas para debaixo do tapete.
Trataram mal sim uma pessoa que voluntariamente divulgava o produto. Acharam ruim? Podiam ter sido NO MÍNIMO educados ao invés de passar o pé pelas mãos mandando advogado passasr intimação no melhor estilo CARTEIRAÇO.
O Iberê Rodrigues, era FÃ dos produtos the Mercur e tinha apenas alguns milhares de seguidores no Twitter que se interessvam. Mesma balela de proteger a marca.
Só esqueceram de proteger justamente seu ganha pão: os clientes. Eram só 15 mil que gostavam e demonstrar isto deve ter sido horrível para empresa.
Repito meu comentário publicado noutro site: Mais um caso de Fã de produto que recebe uma notificação destas. Mesmo caso do José Antonio Oliveira que criou o blog NokiaBR que mantinha, a seu próprio custo e por gostar dos produtos. A própria empresa mandava material para ele. Até que um dia, eu disse, um dia, em 2010, algum advogadozinho de um departamento do tipo que nem sabe o que se passa na empresa mandou uma carta no mínimo imensamente grosseira (pelo desatino cometido), mandando fechar o blog sob a balela de proteger a marca.
O blog muito provavelmente ERA apenas a melhor fonte de referência no país para esses produtos. Perderam milhares de fãs e um de seus melhores divulgadores.
Cadê a FIDELIDADE destas empresas?
Proteger a marca é atirar em quem voluntariamente fazia uma ÓTIMA propaganda, e não por ser grátis, mas por FALAR BEM? Credo!
Não se trata de pagar agência de publicidade para empurrar imagens bonitinhas como muitas empresas fazem.
Trata-se apenas de uma das coisas mais difíceis de se conseguir e manter: a (ex-)boa imagem the empresa.
Perderam só alguns milhares de clientes que vão passar a olhar com mais atenção os produtos da  concorrência. Se as pessoas tiverem opção para trocar de fornecedor de energia elétrica a empresa vai mudar o discurso?
Que tal uma concorrência verdadeira? Estes milhares de clientes que também não gostaram do acontecido e vão olhar outros concorrentes sem tanto apego e interesse, pelo menos não vão correr o risco de ouvir desaforo de empresa mal agradecida.
Exemplo de péssima comunicação empresarial, desconhecimento e descaso com sua ÚNICA fonte de renda.
Empresa privada não tem teta do governo nem monopólio que dure para sempre.
Para quem não sabe, por acaso essa única fonte de renda são seus clientes.
Mas o que é perder alguns milhares de clientes para quem (ainda) tem milhões de clientes? AINDA tem.
Dois anos depois, a Nokia está bem mal das pernas e esta é uma entre tantas pedras dos ALICERCES que eles próprios chutaram para bem longe.

É uma das coisas que acontecem quando se coloca a empresa na mão de tantos novatos, ou carreiristas ou bonitinhos especialistas em fazer gráficos. Ou simplesmente o poder sobe a cabeça.
Quando escrevo no meu blog sobre consciência falo justamente do fator HUMANO, the interação REAL que deve haver.
Uma empresa é um organismo social, sujeita as mesmas leis que qualquer organismo vivo.
É fácil ser uma empresa grande. Difícil é ser uma Grande Empresa.
Acabaram os tempos de dominar o mercado só pelo tamanho. Tem que ter conteúdo de verdade. E aprender que essa mesma internet que tantos 'executivos faz-de-conta' acham bobagem, tem uma memória e alcance muito, mas muito grandes.
Vocês empresários lidam com pessoas. Vocês mesmos são pessoas.
Gostariam que seus filhos levassem um pontapé na cara só porque eram fãs de um produto? E neste caso, você continuaria a usar estes produtos?

.'.

.'.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Direitos do Cliente de Tarot - Comentado



Direitos do Cliente de Tarot - Comentado

Tarot é um espelho para a alma.

Nestes mais de 30 anos estudando este caminho do Tarot, concordo com este título de um livro muito acertadamente escolhido por Gerd Ziegler.

Existem muitos oráculos, dos quais fiz o Tarot minha principal escolha.

Outros oráculos são também muito eficientes, como as Runas que nos remetem a visão dos antigos para um mundo que requer nossa participação as vezes ativa e noutras mais contemplativa.

O I-Ching, creio que foi meu primeiro oráculo ainda nos anos 70. Nos mostra o equilíbrio das energias mutantes do universo.É uma vasta escola de vida por si só.

O Tarot é uma ferramenta com séculos de existência e trabalho nas mais profundas escolas ocultistas ocidentais. Temos através dele, a visão da alma, mas principalmente, nosso próprio interior.

Chegamos ao macro e microcosmos. O que está acima é como está abaixo.

Por isso sua abordagem tão penetrante e abrangente. Da vida pessoal, chegando a visão maior da sociedade, das empresas, dos projetos, das grandes engrenagens que movem o universo.

O tarot engloba várias das principais ciências ocultistas. E da própria vida. Cada uma de suas cartas é um imenso tratado ocultista a ser explorado e descoberto.
E por isto, é sempre uma ferramenta fascinante e que requer estudos verdadeiros e dedicação.

Mas não é nada que se faça bem apenas com rápidas leituras de banca de revista.

Muito menos com a comodidade de jogar um copo de cachaça para alguma suposta entidade.

O conhecimento requer respeito ante de tudo.

A prática do Tarot nos leva a busca interior, a caminhada maior.


E todos fazemos parte da caminhada evolutiva deste imenso e maravilhoso planeta. Pessoas, empresas, projetos, artes, pesquisas. São vastos caminhos onde podemos aprender tanto.

E a caminhada do aprendizado é maravilhosa.



Muito bem, temos uma lista? 


Sobre esta lista de direitos. Encontrei num dos grupos independentes chamado Tarot Certification Board of America. Existem outros grupos, nalguns países que oferecem certificações. A lista original (que tem apenas os títulos de cada item) está em Tarot Certification Board of America. Client Bill of Rights
Atualização: Na verdade existem vários grupos de certificação nos EUA e Europa. 

Nota: Não tenho qualquer relação com tais grupos. Apenas acho interessante seu trabalho.



Bem, sobre "certificação em tarot", isto não é algo que seja como um teste de direção, ou um exame de matemática. Existem muitas coisas que devem ser aprendidas e praticadas e que dependem de uma avaliação pessoal por pessoas realmente mais graduadas na área.
Tarot é um trabalho de vida, não é apenas "decorar" cartas. É preciso viver cada uma delas e também, um intenso trabalho diário de autoconhecimento.

Imagem: thegreathorsecigar


Em todo caso, achei esta lista bem interessante, como referência e, a partir dos títulos apresentados, adicionei meus comentários a respeito dos vários pontos apresentados.



Observação importante: 
Repito, os comentários adicionados a cada um dos itens tratam-se de minha opinião pessoal, baseada na minha vivência e atividades de mais de trinta anos na área.
Os exemplos citados são baseados em fatos e situações reais. Nomes e quaisquer indicações de identificação foram omitidos para evitar de prejudicar ou denunciar quem seja.









 
Direitos do Cliente de Tarot
(uma sugestão prática)


* Você sempre tem o direito de exercer sua própria vontade e fazer suas próprias escolhas.
A leitura é para você, sua vida ou empresa. Portanto as decisões sobre o quê fazer serão suas. Só posso indicar, sugerir, falar do que estou vendo e apresentar minha opinião se adequado. 
Acho inaceitável, absurdo e manipulador, se durante uma consulta (com qualquer oráculo), forem colocadas opiniões, neuroses ou frustrações pessoais do tipo "achar que dinheiro é pecado", ou que "sou feliz sendo pobre e miserável" ou que "homem é tudo igual", ou que "nenhuma mulher presta", ou que não gosto da religião tal ou tal (que pode ser bem adequada para seu caso). Isto inclui fofocas, comentários perjorativos, opiniões políticas, religiosas, sexuais, esportivas, etc. Admite-se no entanto, comentar exemplos DESDE QUE não sejam identificadas as pessoas ou empresas a que se referem e sejam JUSTOS.Por exemplo: Para uma pessoa tal prática não foi adequada porque ela precisava trabalhar primeiro tal aspecto da vida dela. Ou, tal indicação ao meu ver não é adequada porque faltou isto e aquilo que deveriam ter sido notados, o que indicou falta de preparo de quem fez. Etc.


* Só você tem o direito de decidir se e quando quiser uma leitura de tarot.

Se você acha que não precisa de conselhos, então está bem. 
A vida é sua. Se você quer ajuda, procure e encontrará. 
Não se ajuda quem não pediu.


* Você tem o direito a uma leitura de tarot que seja útil e lhe dê apoio.

Primeiro, a vida é sua e nem sempre você aceitará as sugestões. 
Segundo, o que lhe for apresentado, mesmo que você decida não usar, deve-se mostrar correto. 
A informações devem estar de acordo com o que está sendo debatido (o tarot é como uma conversa a três), e fornecer indicações relativas para fundamentar e embasar uma continuidade do que você vai fazer. 
O que for falado tem que estar certo e ser útil, mesmo que as vezes a leitura não seja tão ampla quanto desejamos. Tem coisas que não se pode falar ou por algum motivo, ficam fora de alcance, ou pode ser algum assunto que tenha muita interferência pública, (inclusive suas) em certos casos.
Também pode ser seja um assunto que a pessoa que está lendo e interpretando o tarot não conheça, mas tenho tido sucesso em fornecer indicações claras e precisas sobre a que o assunto se refere, incluíndo até coisas relacionadas a ensinamentos secretos que a pessoa estava deixando de seguir. Digamos que vai ter uma espécie de "sinalização" apontando. Tarot é baseado em símbolos, então se eu disser que tem uma coisa ou situação com determinadas características, muito provavelmente o cliente saberá de que se trata.
Consulta de tarot não é lábia de vendedor. Vou dizer o mesmo que falo sobre numerologia: o que estou falando tem que lhe tocar direto no coração. Ponto. Até pode ser que você não concorde e proteste, como uma criança pega numa lorota, mas se for verdade, esta é imediata. No meu trabalho eu sei se a pessoa está mentindo ou não quer aceitar. Ficar inventando toda uma estória para empurrar algo, ou (como já vi muitas vezes) pegar cartas ao acaso para (forçar) montar um resultado conveniente é apenas mostra de que algo está (bem) errado. Já vi até livro ensinando como jogar cartas colocando armadilhas para fazer a pessoa falar o que quer ouvir sem perceber que está sendo enganada. Por exemplo, se eu disser que tem duas pessoas muito próximas com muita inveja de você, em 99% dos casos terei acertado (mas é puro chute).
Outro exemplo, posso achar que seria interessante por tais e tais motivos que você procure se dedicar numa determinada linha de atividades, seja profissionais, espirituais, intelectuais. Ou sugerir material de apoio (livros, filmes, cursos), etc. 
Meu trabalho principal com pessoas é indicar o caminho de cada uma. Alio a numerologia e o tarot (que são complementares) e busco identificar qual direção, desafios, o que trabalhar em si mesmo. Para isto incluo praticamente todas religiões e práticas profissionais possíveis (cada um tem seu caminho, suas aptidões). Chamo isto de tarot iniciático.


* Você tem direito a toda a atenção de seu leitor.

O tempo da consulta é para você. E também requer concentração para a leitura. Interrupções para fazer outras coisas, ficar atendendo telefone, etc, impedem a concentração e dificultam muito os resultados. 
Este também é um dos motivos pelos quais prefiro estar a sós com o consulente no caso de uma leitura presencial. Atualmente minhas consultas são por e-mail, então preciso muito mais concentração pois atendo pessoas do mundo inteiro. 


* Você tem direito a fazer perguntas durante a leitura para ganhar esclarecimentos.

Pergunte. A oportunidade é esta. Posso estar falando sobre coisas que não estão claras ou você não tenha um entendimento a respeito. Muitas vezes uma consulta pessoal é uma aula de espiritualidade. 
MAS não seja repetitivo. Eu não vou apresentar trezentos exemplos da mesma coisa. Não faça perguntas só para TESTAR se vai ter uma resposta diferente sobre o mesmo assunto (o próprio tarot e seus anjos guardiões) muito provavelmente vai apresentar uma resposta bem direta lhe chamando atenção sobre isto ser uma atitude incorreta. 
A consulta é para você então não leve uma lista de perguntas de todas suas amigas que querem aproveitar que VOCÊ pagou (e vai gastar SEU tempo) para ver alguma "coisinha para elas".
Também não faço adivinhações. Pergunto idade, estado civil, profissão, etc. Leitura de tarot NÃO É adivinhação. Eu não faço número de circo. Ao invés de gastar tempo e energia para mostrar que adivinho que você gosta de pão com requeijão no lanche da tarde, prefiro utilizar estes recursos para analisar e fornecer orientações úteis.
E principalmente: não minta ou faça perguntas sem cabimento para testar a leitura do tarot. Se você acha que é mentira, ou brincadeira, melhor nem ir. Seja educado, agradeça, pague a consulta e vá embora. Todos os dias as pessoas pagam restaurantes, cinemas, roupas, etc para depois decidirem que não era o que deejavam.
E se você tem algo a esconder, também não minta. Você não precisa contar detalhes picantes da sua vida íntima, mas se estiver claro que você tem problemas de relacionamento, eu vou falar sobre isto dentro do que eu achar necessário procurando não invadir a sua privacidade e capacidade de entendimento. E se for uma questão que você não aceita nem ouvir, pode acontecer que eu me recuse a dar outras respostas.
Você paga pela consulta, mas não sou nem eu nem você quem escolhe o resultado. Se quiser ouvir mentiras, tem bastante gente sem escrúpulos por aí que vai gostar de pegar seu dinheiro. 


* Você tem direito a respostas completas às perguntas feitas na sua leitura.

Dentro da esfera de competência da consulta, espera-se que a resposta mostre o quê, porquê e como da questão. Por exemplo, se for numa empresa, digamos que seja algo relacionado ao ambiente social ou do mercado. Claro que detalhes técnicos serão dados por especialistas. O tarot vai dar indicações o mais aproximadas possíveis.
Existem questões que por princípios gerais e por ética não são abordadas ou não podem ser colocados diretamente. Se você acha que seu marido tem um caso, eu vou primeiro olhar se você parece um espantalho mal cuidado ou se a sua personalidade é difícil de conviver por algum motivo. 
Muitas questões na verdade, são de responsabilidade da própria pessoa. Se você não se cuida, não tenta ser uma pessoa agradável, acho que é bem claro que é você quem tem que mudar alguma coisa primeiro de tudo. Se a sua empresa vai mal, quem sabe trata mal os clientes e/ou funcionários, então este tipo de questão será abordado. Não dá para fazer milagre se o seu produto for ruim.
Tem situações que podem ser trabalhadas com aconselhamento. Outras podem ter ajuda por processos complementares, magia ritual, terapias, etc. Mas fazer isto é decisão sua.


* Suas leituras de tarot são privadas e confidenciais.

Isto é o mínimo. Uma consulta de tarot comigo é uma profunda varredura na sua alma. Isto pode ser muito mais íntimo que uma consulta médica (risos). É a sua vida, sua caminhada. 
Não pode virar assunto para fofoca, deboche e chacota generalizado. É mostra de falta de respeito pela vida dos outros. Lembre, quem muito critica, fala mal, ganha de tudo e sempre se mostra mau agradecido, certamente vai fazer o mesmo quando você não estiver presente. Ou pior, logo vai se achar tão confiante que vai fazer isto na sua cara, vai te ameaçar ou fazer algo para lhe prejudicar caso não aceite o abuso. Só quem é escravo das suas próprias falhas quer escravos.



Imagem: thegreathorsecigar
* Sua leitura é um serviço completo em si mesmo. Você não é obrigado a comprar qualquer outra coisa.

A consulta de tarot é um trabalho de orientação e aconselhamento. Só isto. 
Você não é obrigado a fazer "trabalhos", magias, nem comprar perfumes, cristais, livrinhos ou qualquer outra coisa.

Se for adequado para o caso, serão indicados que para esta ou aquela situação, se podem fazer tais e tais coisas, sejam banhos de ervas, rituais, terapias com especialistas nas areas indicadas, ir ao médico ou a um advogado, etc, etc. Pode ser também que você precise de algumas mudanças, tipo mudar a carga de trabalho, aprender a dividir o tempo e ir viajar com a família mais vezes (e isto pode incluir como necessário mudar algo na sua empresa).
Mas se você não quiser fazer, a vida é sua, a decisão é sua.Ou seja: problema seu!
Da mesma forma, eu também não sou obrigado a fazer nada para você além da consulta. Isto inclui principalmente coisas que sejam anti-éticas, imorais ou criminosas. Não faço qualquer coisa só porque o cliente quer. Muitas vezes vou indicar justamente uma direção ou mudança de atitudes para ter um resultado melhor, indicado pelo tarot como sendo um caminho de luz, prosperidade, amor, saúde, etc. 
Muitos problemas precisam apenas de uma limpeza geral.
Não ajudo em vingança contra alguém que você queira prejudicar por razões torpes. Por exemplo, seu ex-namorado que te deu um pé-na-bunda porque ele descobriu que estava sendo traído vergonhosamente por você. Nem vou ferrar seu credor porque você nunca quer pagar suas contas. Não vou ferrar seu funcionário ou seu chefe se você é um mau profissional e quer botar a culpa do que faz de errado noutra pessoa. 
Eu não acredito em gente sem escrúpulos que diz que"não faz escolha pelos outros" e aceita fazer qualquer patifaria em troca de uns tostões. Na espiritualidade nós pagamos junto pelo que se faz, temos responsabilidades.

Se eu fizer algo que vai trazer luz, recebo um pouco desta luz. Se fizer algo para prejudicar, eu também sofro consequências. Entidades, deuses, energias estão num outro plano arquétipo onde as coisas talvez não tenham muita diferença para algumas destas energias. MAS AQUI no plano humano eu acredito que temos o direito e o dever de buscar e trabalhar num caminho luminoso. Posso ajudar você contra uma pessoa má, uma situação que precise de neutralizar alguém ou uma situação negativa. Mas não vou fazer isso para proteger bandido ou sem-vergonhice (sem falsos moralismos por favor).


Assim como você não é obrigado a fazer nada além da consulta, eu também não sou obrigado a fazer qualquer coisa OK? E lembre que as coisas tem preço. Se você não pode pagar por algo, não pense que alguém tem que lhe dar as coisas de graça. As coisas tem preço, e cada caso é um caso. Não vou usar calices de ouro se puder usar um copo de vidro normal é claro.


* Leitores de tarot não são qualificados para dar conselhos médicos a menos que sejam médicos.

O tarot pode indicar até com bastante clareza que é necessário um médico para seu caso. Mas diagnóstico e tratamento são especialidades médicas e você deve ser encaminhado para eles.
Da mesma maneira, se eu for lhe ajudar com hipnose, e você quiser por exemplo, ajuda desta prática para emagrecer, antes de tudo eu vou lhe pedir que visite um nutricionista.
Vale o mesmo para casos em que é adequado o trabalho de psicólogos e psiquiatras. Já vi muitas pessoas manifestarem algum tipo de surto psicótico até durante sessões de meditação em grupo, e isto é bem comum de acontecer. Dirigi grupos de meditação por anos e é necessário consciência e responsabilidade. Não se trata de apenas colocar uma musiquinha qualquer e mandar todos respirarem fundo para dormir.
É muito fácil botar a culpa nos outros, quem está lhe atendendo tem que ter, além do conhecimento no assunto, possuir caráter para assumir o que fizer ou não souber fazer. Se a pessoa sempre bota a culpa nos outros, pense muito a respeito. 

Gritar é falta de argumento e competência. Ninguém demonstra capacidade apenas destruindo, se alimentando de ruindade. Qualquer bandido analfabeto pega uma arma e vira "poderoso". 
Competência e merecimento são demonstrados pelas boas obras e retidão (positiva) de caráter.





Imagem: thegreathorsecigar
* Leitores de tarot não são qualificados para dar assessoria financeira a menos que sejam qualificados consultores financeiros.

Eu acredito que prosperidade e abundância são naturais de todo ser e faz parte de nossa jornada a realização nestas áreas. 
Em hipótese alguma alguém que acha que "500 reais" é um monte de dinheiro vai lhe ajudar quando for um negócio realmente de grande escala. Você pode acabar sendo convencido de que morar num cortiço foi um grande negócio (!!!).
A menos que seja uma situação de tragédia emergencial, eu sempre vou achar que você pode e merece se desenvolver e crescer mais. Conformar-se sem nunca tentar crescer é próprio de quem nunca tenta fazer algo a mais. 
Também não vou concordar se a pessoa tem um problema de milhões e não valoriza o que está sendo feito. Consertar um carrinho 1.0 é uma coisa. Um defeito semelhante numa Ferrari com certeza é mais delicado e um erro pode ser muito mais desastroso.
Quem nunca erra, quem acha que sabe mais que todo mundo, é porque nunca tentou ir além e porque parou de aprender a muito tempo. Se o argumento é ferrar com a vida dos outros, fica evidente.

Tenho uma vida de trabalho de várias décadas em computação, já fui empresário, participei de associações de dirigentes e meu trabalho inclui portanto conhecimentos bem variados. Mas isto não quer dizer que eu seja um especialista em finanças ou administração, ok? Tenho como fruto destes anos, visão de empresa e de como esta funciona como um grande organismo até os planos mais sutis. Esse é um dos motivos pelo qual criei o termo "informática esotérica".
Vou procurar orientar nesta e naquela direção, mas assim como a medicina, o mecanismo financeiro tem suas especialidades. em certos casos vamos ter um debate a respeito. Exemplos são as reuniões de "brainstorming", ou em que se precise de sugestões para novas alternativas, questionar. Ou elaborar e ponderar sobre os tempos que virão, as energias que se apresentam, explorar possibilidades do futuro. Não se trata de fazer profecias, mas de olhar para mais além. Muito do trabalho empresarial é de assessoria senior, levar uma luz sobre as questões maiores. Levar um grupo de empresários para fazer longas caminhadas e atividades na Chapada Diamantina pode ser uma grande oportunidade de evolução pessoal e profissional, por exemplo. A natureza é uma grande instrutora.


* Leitores de tarot não são qualificados para dar assessoria jurídica a menos que sejam advogados.

Mesmo que eu tenha um senso de certo e errado, as leis tem um grande emaranhado de possibilidades. Nem sempre a legislação local, estadual, nacional vai lhe dar cobertura de uma maneira simplista. Posso mostrar se algo está certo ou se precisa mudar/melhorar, mas de nada vai adiantar se isto não for apresentado de forma clara e correta perante o juiz. Existem magias para ajudar nestes casos, especialmente se você estiver do lado do que é certo. Buscar um resultado justo e perfeito para todos é uma forma de nos libertar de laços kármicos.



Foto: Lorenzo Borghi - Itália


* Leitores de tarot não são qualificados para prever o futuro.

Comentei antes que não faço adivinhação. O futuro é uma possibilidade variável que muda a todo instante, mas como um grande rio, que distinguimos seu trajeto, porém cheio de detalhes. 
Algumas coisas vão mudar com certeza e de uma forma geral, implicam toda humanidade, já tenho comentado, inclusive sobre o que virá depois de 2012.Por isto falei da imagem de ser um grande rio. Os antigos egípcios já falavam do Rio da Vida.
Certos eventos podem ser influenciados, por nós ou de alguma outra forma, mas ainda assim, eventos individuais são afetados por decisões individuais.
Você pode ter no seu caminho o príncipe encantado de seus sonhos. Três meses depois descobre que a oportunidade se perdeu, porque desprezou aquele simpático rapaz correndo de bicicleta no parque, achando que iria aparecer algum sujeito famoso numa Ferrari para lhe levar direto ao melhor restaurante da cidade... (risos...)

Se eu lhe avisar para não pular do precipício e você insistir em fazer isto, com toda certeza não vou pular junto. E não reclame dos maus resultados. Tem ocasiões em que é necessário ser objetivo. E também porque alguém tem que ficar lá em cima para lhe alcançar uma mão (ou jogar uma corda).


* Leitores de tarot não são qualificados para tomar decisões por você.
Tarot é um trabalho que busca ajudar na evolução, a elevar o nível de consciência. 
O aprendizado é seu, as escolhas serão suas.

Eu só posso acender uma luz, mostrar caminhos, apresentar sugestões. 
Se sua mente estiver lotada de perguntas não vai ter espaço para as respostas. 
Quando algo precisa mudar na sua vida, isto significa que você tem que mudar algo na sua vida.


 P+
18/11/2011 

.'.


terça-feira, 4 de outubro de 2011

Mulher objeto?

Retrospective Bust of a Woman - Salvador Dalí

Foto: IslesPunkFan



O Dalber Alexandre repassou um texto, do  Aluízio Amorim, e que catei na íntegra para fazer meu comentário após este. Ele comenta sobre um comercial da Gisele Bündchen, que tentaram tirar do ar por que ela está sexy e gostosa:
Fonte: GISELE, VÍTIMA DO PRECONCEITO E DA INVEJA DAS BARANGAS POLITICAMENTE CORRETAS DO (sigla partido)
Comentário do Aluizio: " No dia em que acabar o desejo sexual que as mulheres despertam nos homens a humanidade desaparecerá. Mulheres bonitas e atraentes jamais admitem que são apenas objeto sexual. A beleza das mulheres é que faz a humanidade existir. É claro que podem haver mulheres bonitas repetindo essas bobagens. Mas se investigarmos bem veremos que são exceções e que provavelmente as militantes do feminismo sofrem de alguma desordem mental. 
Objeto sexual é um conceito completamente furado, uma mentira, uma bobagem politicamente correta propalada através da mídia como uma verdade pelas feiosas e ressentidas que infestam as redações dos veículos de comunicação.
As mulheres verdadeiramente femininas estão se realizando sexualmente de forma plena. Estão fazendo amor! O resto é conversa fiada politicamente correta. Depois que o comunismo foi derrubado os esquerdistas abraçaram o pensamento politicamente correto como tábua de salvação. Sempre foram idiotas. Hoje, mais do que nunca, são super-idiotas e ridículos. Mas nunca desistem de controlar a vida privada das pessoas. Estão sempre de mau humor, de cara feia, gritando palavras de ordem. Normalmente são feios e sujos. Afinal, o que se passa num cérebro obtuso se exterioriza no aspecto geral da criatura.
O CONAR não tem nada que tirar do ar o comercial. 
Se derem mole, o PT põe em ação os seus "conselhos comunais" (vide a Venezuela), que decidirão o que as pessoas poderão ver e fazer. E mais do que isso: se poderão continuar a ser os donos de suas propriedades, de suas casas, apartamentos, terrenos e veículos.
Viva a Gisele lindona, gostosa, feminina e ainda por cima bem sucedida profissionalmente. Um exemplo a ser seguido pelas mulheres femininas brasileiras."

Nota: Aluizio, perdoe-me por tirar a sigla do partido no título. Tenho provas incontestáveis de que tem mulher assim em todos partidos. Portanto, antes que me acusem de discriminação, acho oportuno lembrar que não existe nenhuma legislação que assegure "cotas"... (risos).

Meu comentário politicamente INcorreto:


Bem, se a mulher sente-se como objeto:

-OU se deixou usar;
-OU é mal amada;
-OU não conseguiu segurar seu homem;
-OU anda com a auto-estima baixa e faz qualquer coisa prá tentar agradar qualquer um que não está nem aí e depois reclama pelo que ela fez. Vulgo "tiro que saiu pela culatra";
-OU está se dando um valor (eu diria preço) bem alto para si mesma e se aparecer alguém que ainda por cima paga o tal preço, acha-se usada. Ué, mas se está cobrando o que é?
-OU é politicamente corretíssima, tipo melhor melhor politicamente correta do mundo.
-OU quer agradar alguém que vai dizer que ela é uma boa menina e bem obediente;
-OU a concorrência está melhor;
-OU tem nojo de homem; (note que existem lésbicas objeto também).
-OU quer mandar nos outros (pensamento sádico-dominante);
-OU não tem argumentos, excepto falar mal dos outros. Caso típico das fofoqueiras mal amadas;
-OU é ruim de cama e acha que o parceiro é quem tem que fazer tudo por ela: Complexo do "já tirei a roupa e fiz até demais";
-OU é demagogia;
-OU tem algum cargo qualquer que lhe dá um poder qualquer sobre alguns. Sente-se a senhora da vida dos outros. Aí ninguém pode ser feliz porque ela também não é.
-OU recebeu uma revelação divina de algum mestre ascencionado que ninguém nunca ouviu falar, mas que lhe disse que ela é a salvação dos bons costumes;
-OU é muito mal amada;
-OU é hipócrita;
-OU está obedecendo o que o padre/sacerdote disse que ela devia fazer e garantindo um lugar no céu;
-OU é mal amada mesmo e tem uma amiga feia que pega todos homens antes dela;
-OU não tem argumento então diz que está na TPM.



Atenção: Mulheres objeto devem pensar também nos novos tempos da economia mundial. A concorrência de objetos manufaturados na China e outros países asiáticos está trazendo uma gama enorme de objetos, práticos, baratos, de menor custo e facilmente descartáveis. E de quebra, elas vêm com uma cultura milenar, fazem coisas diferentes e costumam estar sempre com um enorme e lindo sorriso.


Cuidado para não confundir mulher objeto com mulher capacho.


Bad-girls podem também ser mulher objeto, sem perceber, mas de outro tipo. Ó...


.'.


Em tempo:

Homens tem sido tratados como objeto.

Cadê os direitos iguais para os homens?

 (risos)



Leia:



.'.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Inteligência Artificial no Futuro - A Soma Que Multiplica.

Muito do que supostamente seria chamado de "inteligência", nada mais é do que simples repetição de padrões. Isto inclui boa parte das atividades diárias das pessoas.

Muitas das nossas decisões, também são mero fruto de procedimentos que inconscientes ou não, são automáticos.

Isto tudo é passível de ser reproduzido, basta que pensemos que os mecanismos de processamento de lógica, estarão sendo programados em partes, que não precisam estar juntas.

Temos hoje uma capacidade incrível de armazenagem de dados, coisa quase impensável pouco tempo atrás.

Claro que ainda convivemos com imensas bibliotecas de dados armazenados em fitas magnéticas, o mesmo ocorrendo, por exemplo, com o acervo das emissoras de TV e quaisquer outros ramos que necessitem armazenagem para eventual acesso.

Quanto maior for a quantidade de informações disponíveis, para acesso imediato, maior o conjunto de dados disponíveis para processamento e obtenção de um determinado resultado.

Se tomarmos a internet como exemplo, em que milhões de sites fornecem cada um, uma pequena fração de um determinado processo de análise, ao juntar tudo teremos o que pode parecer raciocínio lógico.

Por exemplo, um site fornece a condição da meteorologia para um determinado local. Outro site fornece o mapa da região. Outro ainda, fornece dados sobre condição de trânsito. Outro sobre quais estabelecimentos estão naquela zona. Pode-se ter, então, um programa, que vai buscar todos estes fragmentos, para responder a pergunta "Aonde estacionar em caso de chuva". Será uma única pergunta, envolvendo diversos computadores.

Multiplique isto pela disponibilidade de milhões de computadores em rede, rodando milhões de programas deste tipo, capazes, cada um, de solucionar uma questão básica. O conjunto resultante será capaz de fornecer resultados bastante próximos ao do cidadão médio comum.

Lembram do cachorro robot da Sony, o Toy Bot? Ele simula com bastante eficiência um animal de estimação e ainda, podia receber melhorias no seu software. Imagine ligar ele numa rede de processamento como a sugerida acima.

Ficção científica? Não. É só lembrar que muitas decisões em negócios, tem sido feitas automaticamente por programas de computador. Análise de crédito, compra e venda de ações na bolsa, atender clientes em lojas virtuais...

Claro que falta em muitas destas interfaces, um rostinho mais bonito do que aquelas telas com carrinho de compras, mas é só uma questão que o pessoal ainda não se deu muito em conta de melhorar. Felizmente, já existem várias empresas trabalhando nisto e dispondo no mercado, avatars que simulam a expressão humana de alguma maneira.

.'.


Comentário publicado em 10/09/2009 na Revista Info - O Futuro da Inteligência Artificial.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Fale com o mundo com o celular tradutor do Google

Pessoas de diferentes costumes poderão buscar um mundo maior, e melhor.
Foto: mio yamada

O advento já previsto a décadas pelas obras de ficção, como Star Trek, de um aparelho capaz de traduzir conversas em línguas diferentes,  foi apresentado por Eric Schmidt, presidente do Google, durante palestra na IFA, feira de eletrônicos em Berlim, na Alemanha.

Isto acrescenta a possibilidade de ampliação social entre pessoas de países muito distintos, formando uma base cultural miscigenada e com isto, então, abrir oportunidades de negócios inimagináveis nos dias atuais.

Na prática, hoje as pessoas usam a internet para consultar o dados da loja do bairro, falar com alguém que mora perto. A maioria das pessoas sequer acessa sites distantes mais que 100km da sua casa.

Se ampliarmos o entendimento da linguagem, teremos a possibilidade de ampliar o entendimento e gerar novos costumes, com todo um universo de possibildiades resultantes.

Autoconhecimento e gestão de si mesmo serão itens diferenciais para os que forem liderar estas caminhadas.

E por que? Porque lidar com culturas diferentes de forma tão abrangente não se trata apenas de trato político, ou simples negócios. A tecnologia de tradução não converte costumes, ideais, conceitos, etc para o idioma do interlocutor.

É preciso escutar e ouvir.

E quem é capaz de ouvir a si mesmo, aprimorando práticas como meditação, autoconhecimento, busca de melhorias pessoais, suas e no seu relacionamento com os que estão ao redor, incluindo e principalmente, nas empresas, certamente terá melhor entendimento e aproveitamento das situações tanto quanto, a possibilidade de ser melhor compreendido e aceito.

A tecnologia está cada dia mais presente, mas sem evolução pessoal, sereis apenas máquinas.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Windows por Linux? Dinossauros evoluíram.

Foto: Richard Mayston

Enquanto alguns consideram tendenciosa, outros tem reações apaixonadas, outras bem embasadas.

Na minha humilde opinião pessoal gostei da matéria publicada na Computerworld, "5 fatores a serem analisados antes de trocar o Windows por Linux".

Aliás, achei ótima matéria. Em hipótese alguma tendenciosa, eu diria que é bem realista e sem argumentos do tipo político partidários em ano de eleição.

O Linux tem ótimas vantagens, favor ler outras excelentes matérias aqui da Computerworld. Quem acompanha a revista e o site verá que tem material de sobra.

Não existe sistema "de grátis". E muitas vezes, quem não tem dinheiro nem para monstar a máquina, muito menos terá para pagar o salário do profissional que passa anos em treinamento continuo para depois receber MENOS que uma diarista e ainda achar que está abafando. Claro que quem não tem "papi" que lhe sustente vai pensar um pouco diferente.

Tenho aqui servidores RISC (HP-UX), Linux e Windows. Manter Servidor WIndows e Linux prá mim custa a mesma coisa e precisa profissional capacitado para ambos. Se bem que em 99,99% das vezes, é muito mais prático, simples e objetivo instalar qualquer coisa em Windows. 99,99% das vezes, tem um instalador para Windows que faz tudo. Já no Linux, haja peripécias e muitas e muitas linhas de comando. Isto se você tiver a sorte de usar uma versão certificada que combine exatamente com que se quer instalar. E sem conexão de internet, pior. Pelo menos para Windows geralmente quando precisa, vem um CD junto, não tenho preguiça de apertar o botão da gaveta... (risos)

Pera aí, linha de comando? Isto é aquilo que nós usávamos ainda nos anos 80? Mas que barbaridade... depois eu que sou dinossauro. Olha, num passado remoto, trabalhamos até com cartões perfurados, mas não temos saudade nenhuma daquilo, e custa mais caro para a empresa se eu perder um tempão dando voltas em instalações (que são mesmo) precárias (até simplórias), cheias de incompatibilidades e remendos.

Se duvida, é só olhar os milhares de foruns em que o pessoal apresenta todo tipo de problema para instalar isto e aquilo. Tem coisas assim no Windows também? Claro que tem, mas não de nível tão primário (IMHO).

O Windows ainda tem coisas que podemos (eu disse podemos) fazer em linhas de comando, mas isto não é algo obrigatório. Eu trabalho nesta área por décadas e minha missão é otimizar a disponibilizar a interação Ser Humano X Máquina para geração de resultados, produtividade, auxiliar em processos, trazer qualidade de vida e EVOLUÇÃO. Custa muito caro quando paro de trabalhar para resolver coisas que já foram solucionadas no século passado.

Quando os desenvolvedores Linux tiverem menos preguiça e entregarem seus produtos com um instalador no mínimo decente, eu serei o primeiro a aplaudir mais esta excelente ferramenta que é o Linux, mas que infelizmente, as vezes é um grande s*co de se usar.

.'.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Mais um opensource de peso pode cair.

Foto: Sputniko.com

"OpenSource é mais marketing de faculdade para não comprarem licenças.  -  Junior."

Comentário da matéria Não conte com a Oracle para manter vivo o OpenOffice do IdgNow!:

Utilizo opensource profissionalmente, mas achei muito oportuno e correto o comentário do colega Junior: "OpenSource é mais marketing de faculdade para não comprarem licenças." (Assim economizam a mesada do papi... risos...)

Aqui no Brasil, alguns dos maiores defensores e desenvolvedores do opensource e "gratisware" são funcionários de estatais, ou seja, não vivem disto e podem se dedicar ao desenvolvimento acadêmico.

Sobre os comentários a respeito do Java, que pode eventualmente deixar de ser pago, e neste caso dizem "é só mudar para outra linguagem", acho que é o típico comentário de quem só fez "programinhas" e não tem a menor idéia do que é refazer um sistema corporativo, projetos, trabalho de equipes grandes. Além dos custos, tempo e a chance de uma bagunça nos processos da empresa, e mais os prejuízos recorrentes, devem ser contados.

Java já se tornou um herdeiro do Cobol em termos de herança. Milhões de programas ficarão para a posteridade. Engraçado, dizem que Cobol está morto a trinta anos e agora também dizem que Java está morto.

Enquanto isto, meu investimento comprando licenças do Ms-Access faz uma década, para fazer o front-end de um sofisticado ERP para indústria do vestuário, parece ter sido acertado. É só conectar num servidor SQL de peso, SQL Server, Oracle, Sybase, etc e tenho estabilidade, suporte técnico, front-end de rápido desenvolvimento, a qualidade que pude criar com o imenso detalhamento de recursos que tenho com o VB e as APIs do Windows, etc. Coisa de quase 20 mil linhas de código específico para a atividade fim, sem ter que lidar (tanto) com coisas absolutamente básicas e banais. Além do ganho em produtividade, sei aonde estão os fornecedores da ferramenta 24hs por dia, sem ficar dependendo da boa vontade as vezes heróica, do trabalho voluntário de alguém.

Opensource é uma coisa boa sim, mas é necessário lembrar, que nada é grátis, nem na natureza.
.'.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Indústria Porno adianta-se nos lançamentos para IPad

Usuário assistindo Survivor no IPad
Foto: Craig Shipp
Novamente a indústria porno, que foi pioneira na  adoção das tecnologias em HD e 3D, adianta-se e anuncia lançamentos específicos para a nova plataforma portátil Apple iPad.

Parte considerável do público alvo são os atuais usuários do iPhone e  iPod que terão 10" de tela, além dos recursos de interação.

A Digital Playground, uma das potencias do gênero de entretenimento destinado ao público adulto, anunciou que o conteúdo de seus sites foi customizado para a plataforma Apple Ipad,  streaming,  etc, e está disponível em sites como:  www.digitalplayground.com and www.jessejane.com. (Atenção Conteúdo adulto).

Outras empresas como a www.pinkvisualpad.com também anunciaram conteúdos para esta plataforma.

Nos outros países que tem serviço de conexão para internet de banda larga, decente e a preços razoáveis, existem inúmeras potencialidades de mercado e utilização da tecnologia no dia a dia das pessoas e empresas.

E sobre os lançamentos, é entretenimento hight-tech bem a mão pode-se dizer num sentido mais amplo.

terça-feira, 9 de março de 2010

Homem X Computador: Onde Está o Futuro?

Foto: Wonderlane

A Tecnologia da Informação (TI)  é uma atividade fruto do aprendizado científico da humanidade e que faz parte do nosso futuro, muito mais do que a maioria das pessoas imaginam.

Mais do que meramente cuidar de frios valores, esta área deve ser explorada profundamente, inserindo o pensamento do Ser Humano que é capaz de intuir e vivenciar planos de realidades onde as possibilidades criativas são apenas imaginadas pelos maiores visionários científicos, mas muitas vezes, já conhecidas por aqueles que usam a visão interiorum pouco mais despidos de preconceitos.

Deveremos aliar as ciências tradicionais, de todos os povos. Superar o ceticismo para descobrir na sabedoria dos povos antigos que muitas das nossas dúvidas já foram resolvidas.

Basta mudarmos de posição, e aceitar que aquilo que não se vê nem sempre significa que não exista. Lembrem, o que hoje é considerado ciência, até pouco tempo era chamado de feitiçaria e até, motivo para sangrentos massacres ou guerras entre diferentes culturas.

Foto: kawkawpa


Um pouco de imaginação, de sonho, de fantasia e poesia é preciso.

Unir os mundos da mente, da ciência, do espírito, do real e do imaginário. É daí que surgem as invenções, grandes ou pequenas.

O  que limita a evolução do homem, é o próprio homem.

De tempos em tempos, o nivel de consciência coletivo gera pequenas ondas, e surgem quase na mesma época, avanços e descobertas. Isto já foi comprovado diversas vezes. A invenção do telefone é só um entre muitos casos, em que pessoas, sem conhecimento umas das outras, trabalharam em novas técnicas que foram lançadas quase simultaneamente.

Tantas vezes também, a natureza mostra, através daquilo que já existe, as soluções que buscamos.

A invenção do prego, por exemplo revolucionou as construções baseadas anteriormente em encaixes, amarras, etc. Tudo foi feito através deste processo de fixação, de móveis até grandes obras.  Até que um dia, alguém percebeu que ranhuras fixavam melhor, e surgiu o parafuso.  Imaginem se isto já existisse no tempo de Jesus!

Foto: Tamara Beloglazova
As atuais ferramentas e metodologias de software, as linguagens de programação, mal estão entrando no estágio da descoberta do parafuso. Muito existe por trilhar.

Hoje, construímos software aos pedaços, pregados, amarrados uns aos outros. Baseam-se nalgum modelo anotado, esboçado. Mas e se a natureza nos desse uma idéia de tal forma que conseguissemos captar e reproduzir o que precisamos de maneiras completamente diferentes, mais fáceis e precisas?

Alguns camaleões chegm a a reproduzir em detalhes, cores e nuances do local aonde estão. E mais incrível, a imagem que vemos na sua pele, é aquela que está do outro lado, atrás do animal. Pense nisto. Que tal um sistema computadorizado que, ao ser colocado num determinado local, fosse capaz de absorver ou determinar as funções ali realizadas, e reproduzi-las?

Ficção demais? Quem sabe. Filmes como Star Trek e os famosos sensores de suas naves, sugerem isto a muito tempo.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Como regrar o acesso dos usuários à Internet na Empresa

The Future is Bright - Imagem: Erica Cinnis
Bem, como prometi, vou passar algum material sobre uso de internet na empresa.

Achei um artigo bem simples e prático, e acrescentei alguns comentários.

Basicamente fala de algo que é muito esquecido nas corporações: “negocie com seus funcionários”.

Dialogo!


Quando você faz isto, está oferecendo a oportunidade de que os colaboradores façam parte da empresa.

Mas isto deve vale para os dois lados. Se a empresa delega para os funcionários certas definições, mas depois exime-se de fazer sua parte, corre-se o risco de perder credibilidade e principalmente, participação expontanea e interessada.

Da mesma forma, os profissionais devem estar cientes de suas responsabilidades.

Em hipótese alguma, admite-se o nivelamento "por baixo". Saber dar nomes, delegar tarefas, cobrar responsabilidades e manter o equilíbrio entre os diversos níveis de profissionais, é uma das características necessárias a uma boa gestão.

Tradução com adaptações do trabalho: "How to limit internet access to users":

Como limitar o Acesso da Internet pelos Usuários

O uso da internet é comum nos negócios. Um passo a frente em condições de trabalho e performance dos funcionários. Mas o uso fora do negócio da web, também pode ter repercussões negativos ao negócio.

Aqui vamos lhe dar algumas sugestões e conselhos para limitação de forma inteligente do contexto da internet.

Primeiro, vamos lembrar que o uso da internet no trabalho, e-mail pessoal, etc, é nos dias de hoje, como permitir que os funcionários atendam o telefone para assuntos particulares ou façam ligações. Porém é possível acessar e trocar informações de todo tipo, estudar, planejar, etc.

Empresas que acham inoportuno até o uso do telefone, isolando os funcionários do mundo, terão certamente muita dificuldade a este respeito. Lembremos que estamos no século XXI, e interatividade e agilidade são conceitos chave em negócios faz muitos anos.

Para profissionais de TI (Tecnologia da Informação), a falta de contato com as inovações que são diárias, são toda diferença entre manter-se atualizado ou ser apenas mais um medíocre repetindo a mesma coisa ano, após ano.

Por que regulamentar acesso à internet no negócio?

Regulamentar (não proibir) o acesso a internet, é possível para incrementar o funcionamento da companhia em vários pontos:
  • ganho de produtividade;
  • uso mais profissional da internet (informação concernente a companhia);
  • redução do risco de ataques de vírus na rede;
  • conexão de internet (bandwidht) mais rápida e disponível

Monitorar funcionários ou limitar o acesso à internet?

Alguns softwares permitem dispor ações individuais para cada usuário na empresa. Esta abordagem radical certamente não é a mais efetiva. É mais apropriado o acesso por regulamentação negociada (veja abaixo). Se você implementa um sistema de controle por indivíduo, deve estar preparado para prover os procedimentos para seus colaboradores. Por exemplo, registro das páginas visitadas).

Limitando o acesso à internet: Definindo um Código de Conduta

Negociação e comunicação com funcionários continua sendo uma das mais efetivas formas de regular o acesso à internet. O objetivo é tornar os usuários “responsáveis” em sua “navegação” na web. É cada vez mais comum ouvir os funcionários, e fazer com que estes efetivamente tenham a empresa como sua.

Reuniões de instrução, encontros de comitês, seminários corporativos e workshops são oportunidades para negociar com representantes ou com os próprios funcionários. Pode-se chegar a entendimentos ou acordos sobre as condições de uso da Web na empresa.

Disto originam-se “códigos de boa conduta”. Número de horas e situação das tarefas diárias, tipo de conteúdo proibido, regras de uso de e-mail particular...). Divulgue na empresa em reuniões, murais, e-mail interno, informativo, etc.

Lembrando: em muitos locais, o bom senso funciona! Quando as pessoas sabem o que estão fazendo e tem suas responsabilidades, assim como seus benefícios, atendidos, o controle pode ser bem mais informal.

Vale lembrar também do velho ditado: Trate as pessoas como espera ser tratado.

Modos de regular o acesso à internet

Regular o acesso a internet pode ser classificado em duas formas: limitar o tempo de uso ou filtrar o conteúdo acessado. Para maior eficiência, você pode combinar estas duas formas de controle. Mas atenção: filtrar o conteúdo requer um BOM conhecimento das estações da rede. Consulte seu administrador de rede ou na falta deste, a assistência (suporte) de seu provedor de serviços.

Limitar o tempo de acesso a internet na empresa.

Solução amigável. Pode-se estabelecer tempo para assuntos que não sejam do trabalho, diário, ou por cota semanal, etc. Isto pode ser em paralelo com canais que poderão estar disponíveis, como MSN, Twitter, e-mail pessoal. Claro que bom senso dos funcionários é fundamental, daí o processo colaborativo ser mais indicado.

Soluções de software

Com software relativamente simples, pode-se restringir o acesso em cada PC, conexão com internet e programas de mensagem (MSN, etc).
Para usar estes softwares, você deve ser o administrador de cada PC na rede. É requerido login e password em cada máquina. Se houver um administrador de rede na empresa, a tarefa será atribuida a ele.

Filtrar o conteúdo acessado pelos usuários na empresa

Definir filtros é uma operação mais complexa. Este trabalho deve ser certificado pelo administrador da rede da empresa ou provedor do serviço.

Tipos de filtros

Você pode aplicar filtros em três níveis:
  • URL – Pode-se banir certos endereços. Por exemplo, videos online, sites “sensíveis” (adultos, etc).
  • Palavras chave (keywords): Define-se uma lista de palavras banidas. O usuário não poderá acessar resultados em sites de pesquisa. Observação: Nos dias atuais, lembre que certas discussões políticas serão bloqueadas (risos).
  • Tipos de arquivos: Pode-se filtrar que tipos de arquivos serão bloqueados. Por exemplo, música, vídeos, etc. Isto ajuda a limitar a possibilidade de ataques e infecções por vírus na rede corporativa.

Nota: Um esquecimento comum, é que certos sites utilizam serviços hospedados noutros provedores. Por exemplo, desenvolvedores que utilizam opensource, podem estar usando código do Sourceforge, e este poderá estar bloquedo por outros motivos, como downloads, etc. Então, cuidado ao generalizar demais.

Existem vários softwares disponíveis, como webAllow, Messenger Blocker, Pgsurfer, Chronager entre muitos outros além das soluções corporativas como o Blue Coat, IronPort, etc
----o----


Bem, são algumas sugestões que achei interessantes de traduzir e fazer alguns acréscimos. O post anterior já tocou um pouco mais o tema.
Pessoalmente, acho essencial a responsabilidade do funcionário saber do seu serviço, ser produtivo e estar em dia, tanto quanto a da administração prover recursos para atualização técnica e boas condições de trabalho. O tempo das empresas que praticamente mantinham seus funcionários na cadeia ou senzala durante o expediente ainda não terminou infelizmente.

Mas as últimas décadas, e os avanços em qualidade de vida, metodologias de trabalho baseadas em profissionalismo e menos em servidão, tem mostrado melhores resultados para as empresas mais competitivas e vitoriosas.

A geração Y não é a única a se beneficiar dos avanços. Mas todos nós, que trabalhamos para que essa cultura um dia chegasse a mais pessoas e lugares.

Internet é só 'chat' para quem não se atualiza. Se o fizesse, descobriria que existem até chats unicamente de intercâmbio técnico nas mais diversas áreas.

Veja outras matérias sobre este tema em: Redes Sociais
.'.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...