English readers and other languages: Many posts are in portuguese, you can use the Translate button at left side.

Clique nas imagens dos artigos! Elas levam você para o site do artista que a criou e muitas
vezes tem assuntos relacionados ou outras imagens para expandir seus horizontes!

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Sobre Teurgia e Taumaturgia




Aqui uma tradução de um artigo que achei muito interessante, explicando a diferença entre o que é Teurgia e Taumaturgia.
O artigo original é de Tom Waters (Starweaver) e seu blog tem vários artigos muito bons: Theurgy and Thaumaturgy


"Teurgia e Taumaturgia
Teurgia é magia religiosa ou espiritual; taumaturgia é mágica prática. 

Colocando de outra forma, a teurgia é dirigida a mudar o mago, a taumaturgia é direcionada a mudar o mundo.

O teurgo usa a magia para se aproximar do divino, evoluir espiritualmente, elevar-se a níveis mais elevados de consciência. O teurgo pode se concentrar na deidade aspectual, comungar com entidades angélicas, ou destravar as feridas subconscientes e curativas, e formar uma personalidade mais integrada. A "alta magia" do renascimento e da tradição mágica cerimonial oculta está muito neste molde. O obreiro da alta magia estuda o simbolismo religioso e a sabedoria antiga, não para obter recompensas mundanas, mas para aprender a estrutura profunda da criação e, assim, aproximar-se de uma consciência divina.


A Taumaturgia, por outro lado, está mais preocupada com as necessidades e desejos terrenos: riqueza, amor, carreira, saúde e assim por diante. 

A maior parte da "magia popular" é taumatúrgica. O mago não está buscando uma mudança interna de consciência, mas sim efeitos físicos externos. 
Este é o tipo de magia que mais prontamente capta a imaginação popular. Quem não gostaria de lançar um feitiço simples e receber um cheque de $ 1000 no correio no dia seguinte?

Na verdade, a linha entre os dois tipos de magia não é uma linha, mas um continuum de gradações. 


Todo ato de magia muda a relação entre o mago e o mundo, então todo ato de magia tem efeitos internos e externos. De fato, os atos mais fortes de magia parecem afetar o eu e o mundo de maneiras muito poderosas. 

Por estas razões, uma prática mágica deve ser realizada apenas por aqueles que acolhem o crescimento espiritual e a mudança interior. 

Quando a porta entre os mundos interno e externo estiver aberta, haverá um fluxo nas duas direções."


Meus Comentários

Percebemos uma diferença óbvia de abordagens e entendimento. 

Mas é importante observar que ambas áreas vão trazer resultados
O que muda é a maneira que isso é feito, se existe ética e que tipos de princípios pessoais serão observados. 

Na Teurgia, o mago busca evolução espiritual de si mesmo e alcançar a sabedoria. Seu trabalho considera que o que for realizado ocorre por manifestação de uma concordância divina para manifestar o que deseja. Será poderoso de acordo com a vontade de Deus.  Ele pode comandar anjos e demônios, unir e desvincular todas coisas dos elementos, sobre as quais ele pode se elevar através do poder de Deus do qual torna-se um canal para manifestação.  
Teurgia não tem nada a ver com ser alguém "bonzinho". Mas sim de ser capaz de reconhecer em si mesmos os aspectos das várias energias e usá-los com consciência mas entendo sua plenitude e fazendo suas escolhas como necessário. 
"E assim todo homem tem também um espírito maligno, que controla os desejos da carne e desperta as concupiscências do coração; entre esses dois anjos existe uma luta constante pela supremacia, e, qualquer que seja que o homem dê a preferência, ele receberá a vitória; e se o anjo maligno triunfar, então o homem se tornará seu servo; Se o bom anjo for o mais forte, então ele limpará a alma e salvará o homem da destruição. 
Assim, na Teurgia a pessoa também terá o poder para qualquer coisa e isso fará parte de seu trabalho espiritual. Mesmo que o leve para o abismo por causa de suas escolhas. 

Pela Taumaturgia, o mago busca o poder e as práticas são baseadas em alcançar conhecimento de como dominar as forças que vão realizar seus desejos sem outra preocupação. E existe uma enorme diferença entre acumular conhecimento que é apenas informação e realizar sabedoria. 
Sendo de abordagem prática, a Taumaturgia como citado no artigo acima, certamente é tentadora pois independente de outros trabalhos que são de cunho pessoal. Daí ser uma linha amplamente explorada e tantas vezes é o que mais se torna popular.

Ambas abordagens podem trazer os mesmos resultados.  Como citado, na teurgia, a pessoa continua sendo tentada por anjos que tem a finalidade de testar a pessoa e vão atender o que for pedido tanto quanto pode ocorrer na Taumaturgia. Isso objetiva fazer a pessoa se aproximar ou se afastar de Deus. Assim, o que for feito "por permissão Divina" pode ser também algo que vá afastar o mago do seu crescimento, porém será sua própria escolha.

E da mesma forma, Taumaturgia não significa ser inescrupuloso ou fazer qualquer coisa sem considerar se é certo ou errado. Apenas é uma opção de como lidar de forma prática com seus objetivos. E aí entra a questão do caráter, da índole pessoal. 

Portanto, ambas abordagens vão oportunizar a realização de atos de magia, de mudar situações e eventos seja para o bem ou para o mal.

Mas certamente são áreas que estarão sempre muito próximas e o equilíbrio terá a ver com as práticas e anseios da pessoa. 
Se esta evolui espiritualmente naturalmente cada vez mais se aproximará da Teurgia.
Por outro lado, se dedicar-se demais à taumartugia e assim, apenas ao método que é mecânico, se afastará da parte espiritual.

P+
23/09/2018



sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Qual É O Melhor Espírito Para Uma Situação?

Qual deles vai resolver?
Autor da ilustração desconhecido.

Essa é uma pergunta que toda semana aparece nos grupos de magia, principalmente feitas por novatos sem experiência.

E sempre é a mesma coisa: “Qual melhor espírito para amor? Qual o melhor espírito para dinheiro? Qual o melhor espírito para emprego? Qual o melhor espírito para sexo? Qual o melhor espírito para proteção? E assim por diante. A pessoa nunca fez sequer uma pesquisa antes de perguntar e acha que a coisa é como escolher marca de sabão.


Magia é pessoal!

Entenda isso:
Se você pretende fazer magia,
a única maneira de encontrar o melhor espírito para cada caso
é ler e estudar as descrições dos mesmos.

Magia é resultado de prática pessoal.

E a sua situação também é pessoal. É a sua vida e, portanto, diferente dos outros.


O que é que realmente está havendo?

Quando você analisa a situação, isso já é parte da solução também pois assim terá mais clareza do que precisa ser feito.

Também é preciso saber quais aspectos da situação cada espírito pode atender.

As listas por especialidade são sempre incompletas pois todos espíritos tem várias habilidades.

Não adianta pedir “dicas” às cegas, sem apresentar claramente a situação. O que certamente em grupos públicos requer discrição dependendo do caso.

E quando você recebe "dicas" de alguém que não sabe o está realmente ocorrendo, certamente essa poderá ser inadequada.

O que foi bom para um, pode ser o oposto daquilo que você precisa ou até piorar a situação.


Alguns Exemplos

Eu faço questão de observar que vou sugerir exemplos até estranhos. Mas é o que verificamos na maior parte das vezes quando pedem "dicas" as cegas e as respostas que aparecem levam para isso.
E esses exemplos são baseados em décadas de observações pessoais, portanto, situações reais.
Vou repetir: é o que acontece quando pedem "dicas" e as pessoas não sabem do que se trata, assim, cada um vai dar um palpite ao acaso de acordo com o tipo de vida que tem.
E isso serve também para quem for apresentar sugestões. Quem é que está pedindo? Será que essa pessoa depois vai te acusar pela sua falta de resultado?


Alguns exemplos para se pensar antes de pedir e ou de responder com responsabilidade:
  • Qual espírito é melhor para a dor?
  • A pessoa chama o telefone da farmácia e pede um analgésico para dor. Não fala mais nada ao atendente. Pega um envelope de Ibuprofeno que é bem baratinho e pronto. No dia seguinte está hospitalizada com apendicite aguda ou uma úlcera já no último grau. Ou morre logo mais porque tinha levado uma facada na barriga. A farmácia é processada por ter vendido um remédio por telefone.
  • A pessoa tem uma vida de sofrimento porque acha que dinheiro é pecado, que é errado dizer não para qualquer coisa. Aliás, a pessoa pensa que tudo é pecado ou que não tem merecimento. Alguém sugere um espírito do tipo "guerreiro". A pessoa é estimulada a bater de cara com todo tipo de situação que não sabe lidar e vai parar no psiquiatra.

  • Qual o melhor espírito para o Amor?
  • A pessoa está sózinha e querendo um novo amor na sua vida. Mas não fala nada. Alguém indica um espírito genérico que acaba trazendo de volta um Ex lá do passado com todas suas mágoas e que vai estragar a vida da pessoa de novo. 
  • A pessoa está com problema conjugal por problema financeiro, mais nada. Alguém indica um espírito de "luxo" que estimula a pessoa a fazer mais empréstimos no banco, aproveitarem em festas e viagens e terem uns dias maravilhosos. Dias depois são despejados de casa e não tem nem onde morar e separam-se. 
  • A pessoa está bem e pensa em proteger e ajudar a crescer seu amor. Alguém sugere um espírito que mexe com a mente das pessoas e em pouco tempo estão mentindo um para o outro sem motivo e a confiança entre ambos é destruída. 
  • A pessoa é romântica, quer recomeçar sua vida de forma melhor. Alguém indica um espírito de luxúria e ela se vê envolvida com pessoas que só querem sexo e ela fica muito frustrada sentindo-se apenas usada. 
  • A pessoa está com problema de amor em família ou amigos. Alguém sugere um espírito manipulador e começam a ocorrer brigas que atrapalham mais ainda harmonia entre as pessoas.
  • A pessoa até diz que quer reconquistar um amor. Na verdade quer vingança e destruição da pessoa mas os espíritos indicados são para a aquela pessoa perceber seu "amor" (que não existe) então obviamente a pessoa percebe que é mais um ataque se afasta mais ainda.
  • A pessoa quer reconciliação e pega a sugestão de um espírito que é melhor para sexo. Acabam ficando juntos por alguns dias pelo aspecto sexual, mas logo separam-se de novo pois o que precisavam era aprender sobre convívio e companheirismo. 


  • Qual o melhor espírito para dinheiro? 
  • A pessoa não tem nada e alguém indica um espírito de Jupiter de prosperidade que multiplica o que a pessoa tem. Como não tem nada, multiplica a miséria.
  • A pessoa na verdade quer aumentar sua renda como funcionário de empresas. Sugerem um espírito que apresenta vagas com salários altíssimos e a pessoa larga o que tem e vai as cegas, afinal, é a famosa Empresa X. Resultado: é demitido rapidamente porque não tem aptidão para o cargo e fica um tempão desempregado. 
  • A pessoa apenas pergunta por dinheiro mas ninguém sabe que é um empresário de certo porte. Recebe uma sugestões que não tem nada a ver com administração empresarial.
  • O empresário apenas quer atrair mais clientes sem estrutura para isso. Alguém indica um espírito para atrair clientes de tudo quanto é lado e dias depois estão atolados em reclamações e perdem todo mercado.
  • Um investidor quer usar melhor seu dinheiro em ações. Mas sugerem um espírito que não tem nada a ver com esse mercado de ações. E ele empata todo capital da familia num investimento que vai ficar bloqueado por vinte anos.
  • Um empresário quer vender mais e alguém sugere um espírito que vai trazer clientes de boa qualidade porém exigentes. Só que o produto é uma porcaria, feito para o nível mais baixo ou seus funcionários são mal tratados. A empresa fecha.
  • A pessoa quer dinheiro. A sugestão traz espíritos que lhe apresentam um emprego!


  • Qual o melhor espírito para sexo? 
  • A pessoa quer melhorar seu relacionamento?
  • Precisa de ajuda para melhorar sua líbido, desejo ou recuperar vitalidade?
  • Quer fazer sexo diferente? 
  • Precisa apenas encontrar parceiras(os)? 
  • Quer alguém na sua porta? Mesmo que seja o dobro da sua idade ou alguém tão jovem que te colocaria na cadeia no mesmo instante? Ou quem sabe vai vir alguém desagradável ao extremo, mas lhe querendo? 
  • Quer sexo por dinheiro? Pode aparecer uma pessoa muito rica que pode ser violenta, feia demais, aborrecida, grosseira, carrasco,egoísta, etc.



Repito, são algumas coisas clássicas e resultados desagradáveis e repito, muitas vezes observadas em tantas vezes que pedem as coisas sem a menor indicação da real necessidade e pouco tempo depois aparecem reclamando dos resultados que tiveram apesar de avisarmos para nem tentar a coisa.



Magia Precisa de Intenção Clara

Os espíritos não vão adivinhar o que você está pensando ou deseja. Isso precisa ser dito claramente para eles.
Esqueça as bobagens newage de que a parte espiritual sabe o que você precisa. Eles sabem muito bem quem você é, mas as escolhas serão suas.
Inclusive o sofrimento é também uma escolha. Se a pessoa não quer reagir, não quer lutar contra o que for que esteja causando esse sofrimento, então por que algum espírito iria ajudar?
Esse é um simples motivo pelo qual é tão difícil de lidar com viciados. Se a pessoa não quiser mudar, muito pouco se consegue fazer.

É preciso estudar cada caso e é por isso que nenhum praticante sério de magia faz uma operação sem consultar seus oráculos antes mesmo de verificar descrições de espíritos. Isso é absolutamente necessário para entender o que realmente está ocorrendo.

E também, cada praticante vai ter prática e contatos diferentes com os espíritos. O que é fácil para um pode ser difícil para outro.



E em tempo, antes de pedir dicas, pense bem em quem são as pessoas que respondem. Que tal pedir dicas sobre vida saudável num grupo qualquer sem saber que ali muitos são traficantes?




É mais simples motivo pelo qual não faço magia sem consulta muito menos apresento preço as cegas. E também porque tantas vezes, as situações que me apresentam não precisam de magia, mas apenas de orientação!

P+
21/09/2018

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Sobre Tratamento Respeitoso Com os Espíritos

Fought The Good Fight
Art by:  Stevegoad

Sobre Tratamento Respeitoso Com os Espíritos

Eu sempre tive para mim mesmo a idéia de uma abordagem com as esferas espirituais e foi assim que desde o início eu tive oportunidade de explorar vários reinos, mesmo sem ter treinamento formal que só muito depois foi adicionado.
Mas basicamente ser respeitoso com todas esferas e observando a importância de que isso deve ser mútuo.
Cito aqui um trecho da descrição do grupo “Solomonic - Secrets of the Magickal Grimoires” de Aaron Leitch:
"We work with the spirits from a standpoint of mutual respect. We do not manipulate, deceive, threaten, torture, imprison, or otherwise treat the spirits like slaves. We establish relationships with our patrons and familiars that both we and they find mutually beneficial over a lifetime."
"(Tradução): Nós trabalhamos com os espíritos do ponto de vista de respeito mútuo. Nós não manipulamos, mentimos, ameaçamos, torturamos, aprisionamos ou tratamos os espíritos como escravos. Estabelecemos relações com nossos patronos e familiares que tanto nós como eles encontramos mutuamente benéficos ao longo da vida."

Num de seus primeiros livros, Carlos Castaneda cita um dos ensinamentos de seu Mestre, Don Juan, que falou sobre o orgulho e a humildade de um Guerreiro espiritual. Não se trata da humildade de um mendigo que lambe até a sola do sapato de qualquer um para conseguir algo. Nem a arrogância de um comandante que se impõe pela força.
Essa é uma visão dualista quando a pessoa apenas entende a força bruta ou seu lado oposto. No fundo ambos se confundem pois o mendigo caso receba algum “poder”, vai tornar-se arrogante também com quem estiver abaixo dele. Não é por nada que a sabedoria popular tem um famoso ditado: “Se quer conhecer o verdadeiro caráter de uma pessoa, dê-lhe algum poder”.
O verdadeiro guerreiro espiritual reconhece que tem um lugar numa hierarquia maior que ele próprio e respeita os que estão abaixo dele tanto quanto respeita os que estão acima. Mas ele é íntegro nas suas atitudes para com todos e não vai se curvar nem tentar obrigar outros a isso.

Assim vamos perceber que tanto certos anjos quanto dæmons podem ser até bem difíceis de lidar. Têm imenso poder e nem sempre são muito amistosos. E alguns terão até maior facilidade de trato com pessoas diferentes.
Mas vejamos isso como o encontro de dois guerreiros. O magista, que na operação traz em si a imagem e semelhança de Deus, e evoca para si próprio o Poder Divino e atua dentro do seu próprio universo particular, seu círculo ou seu centro de poder que desenvolvemos ao nosso redor com o tempo.
Claro que existem outras abordagens ritualísticas, como a Luciferiana e da Demonolatria que tem outras dinâmicas nessa parte.

Quando nos deparamos com um espírito, então seria natural que uma abordagem respeitosa seja trata-lo com o reconhecimento pelo seu poder, sem se humilhar perante ele e nem sem tentar sobrepor-se em força.
São em geral espíritos obreiros, têm suas missões também a cumprir.
As vezes alguém pergunta sobre isso, sobre o por que os espíritos nos ajudam. Bem, simplesmente porque é o que eles fazem.
Então tratar de forma até mendicante um espírito é uma forma de falta de respeito, porque ele espera ter um tratamento equivalente ao seu nível.
Se for por exemplo um Rei, ele espera também estar se encontrando com alguém de seu nível.
Os vários elementos da ritualística tem muitos motivos e as ferramentas não são meros adereços ou para ajudar a focar a mente.

Apesar de parecer mais importante para o trabalho com dæmons, também muitos anjos fazem sim questão da abordagem mais formal. Isso não é apenas por respeito e como forma de participação com energia, mas também porque eles “gostam” daquela coisa e também certos elementos se destinam a ajuda-los a se aproximarem, pois eles vêm de outra dimensão próxima a nossa, e um dos motivos do uso de velas, incensos e símbolos é de criar um ambiente energético que facilite a sua presença.
E a maneira de abordagem é sim importantíssima tanto quanto os demais elementos do ritual.
Precisamos entender isso e até realmente desenvolver em nós mesmos tantas qualidades.
Ser firme não é o mesmo que ser rude tanto quanto ser respeitoso não é o mesmo que tornar-se servil.
E isso certamente vai influir na maneira como a pessoa trabalha com os espíritos e o tipo de resultados que esses apresentarão.

Eu pessoalmente acredito que uma abordagem pela força, ou pela submissão, dificilmente vai resultar no estabelecimento de algum tipo de relacionamento maior com o espírito. A abordagem sempre pela força implica em falta de confiança mútua. E a abordagem servil demais, ou como alguém pretendeu insinuar, “sempre tentando comprar” favores vai resultar até em vampirismo.
Certamente eles não serão nossos “amigos” nunca, mas sim como companheiros. Para eles, somos apenas uma fração no seu tempo de vida.

Mas nem sempre é tão fácil convencê-los a fazer algo.
Alguns são realmente reticentes até para se aproximar.
Outros pelas suas próprias características vão tentar se impor ou obter vantagens sem realmente atender ao que foi pedido. É o caso de certos espíritos mais quentes que por qualquer coisa podem enganar ou prejudicar o magista. E geralmente é por falha na ritualística ou deixar de observar suas descrições e assim deixando margem para que eles explorem nossas falhas.

Sabemos que os antigos grimórios foram escritos principalmente por membros do clero ou por nobres, pois a população em geral era analfabeta. E certamente esses nobres também tinham seu temor devido aos aspectos sociais onde facilmente alguém poderia ser perseguido ou sofrer represálias e punições. Num ambiente desses é claro que dæmons foram tantas vezes descritos como criaturas malévolas, apesar de vermos que tantos da Goetia, por exemplo, trazem ensinamentos em tantas áreas. Mesmo que ainda assim tenham aspectos mais mundanos pois são em maioria espíritos sublunares, chtonicos. Mas também tem os que são dæmons e também anjos e aí lembrando que Deus colocou seus espíritos angelicais para apresentar os dois lados e deixar que os humanos escolhessem.
Como resultado temos as imprecações maiores para obrigar o espírito caso necessário.
E as vezes é necessário mesmo quando esse deixa de ser respeitoso ou tenta se impor. Certamente para dar seguimento numa operação sob esse aspecto, o magista tem que obrigatoriamente estar embasado, ter mérito, força pessoal e tantas vezes, coragem para manter-se em pé e impor-se caso necessário.
E mesmo assim isso não será desrespeitoso pois nesse caso tantas vezes trata-se de “medir forças”. Ou seja, o espírito está tentando ser mais forte que o magista e não vai respeitá-lo se for um fraco suplicante. Uhm?
Então onde ficam os que acham que “se compra” trabalho dos espíritos? Se o espírito não quiser fazer, ele simplesmente vai pegar o que foi oferecido, enganar o magista e ponto final.
E certamente não é uma abordagem assim de uso amplo, por isso que no próprio Cap. XXII das Claviculas fala-se que “eventualmente se fazem sacrifícios”. E mesmo assim, os sacrifícios ali citados são referentes a uma época que não existe mais. Trocou-se o sangue por frutas, mel, grãos, água, vinho, etc. E são eventualmente usados para potencializar uma operação e temos observado isso por tempo.
E uma das maiores oferendas continua sendo um sincero “obrigado” após receber o resultado de uma operação bem-sucedida.

Uma outra coisa que temos observado, é em relação ao citado acima sobre eles aceitar fazer algo e as vezes precisarem até serem convencidos para isso.
Aqui, a primeira abordagem é apresentar o caso e perguntar se o espírito “pode” fazer isso. Depois perguntar se ele “aceita” fazer. Nessa parte vai entrar a argumentação e se necessário negociar a operação e isso raramente envolve “oferendas”. Os relato de John R. King no Imperialarts são pródigos em exemplos desse nível e têm casos muito interessantes de se estudar.
Um acréscimo meu é perguntar se eles têm sugestões alternativas para o assunto. E as vezes vão ter mesmo, até sugerindo outro espírito como já ocorreu, ou mostrando algum aspecto da situação, nesse caso estarão ajudando com uma espécie de oráculo sobre a situação e até trazendo esclarecimentos.

E uma coisa que é opinião minha e de muitos colegas, é de que se o espírito realmente não quer vir ou não quer fazer a operação, geralmente é muito melhor chamar outro. Gasta-se menos tempo, menos energia e na maioria das vezes aquele originalmente escolhido não seria realmente adequado.

Outra coisa que traz confusão sobre a abordagem com os espíritos refere-se a sua manifestação. Nem todos terão manifestação visual ou algo assim e tenho um artigo sobre isso. Mas serão muitas formas que confirmarão que o espírito está presente e essas são bem mais comuns.
Eu tive uma boa quantidade de manifestações e visões nessas décadas para não estar preocupado em que cada ritual seja até um show de circo só para satisfazer o ego de alguém. É claro que é muito interessante manifestações maiores, mas me interessa muito mais os resultados do que ficar horas repetindo ameaças só para obrigar o espírito a aparecer visivelmente sem nenhum outro motivo realmente válido para isso.
Tudo isso, vai fazer parte do processo de até estabelecer um relacionamento com alguns espíritos, que serão os que lidaremos mais vezes e também descobriremos possuírem tantas outras aptidões tornando-se normal que se trabalhe com alguns que vão atender a maior parte das situações.

P+
10/05/2018


.’.







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...