English readers and other languages: Many posts are in portuguese, you can use the Translate button at left side.

Clique nas imagens dos artigos! Elas levam você para o site do artista que a criou e muitas
vezes tem assuntos relacionados ou outras imagens para expandir seus horizontes!
Mostrar mensagens com a etiqueta Windows. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Windows. Mostrar todas as mensagens

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

25 Anos de Windows ou como fazer fogo!



25 anos de Windows, 25 anos de críticas.

Os fanáticos obsecados pelo Linux (que uso profissionalmente assim como Unix, todos os dias), que me desculpem, mas cada um tem suas vantagens. Defeitos ambos tem.


Vamos imaginar os procedimentos para fazer fogo, algo simples e que todos humanos precisam, mais ou menos algo assim:


Em Windows:

Passo a passo:

O programador já sabe que fogo precisa madeira, ignição, oxigênio, etc.

Cria um programa chamado FOGO.EXE.

Se for o caso, vai ter um INSTALADOR que coloca o programa pronto para rodar na sua máquina. Basta fazer o download (clicar num link nalgum site), ou copiar o arquivo INSTALADOR para a máquina. Depois é só clicar no INSTALADOR que ele deixa tudo pronto para rodar.

Para acender o fogo, basta então, clicar no ícone: FOGO. Pronto.


Em Linux:

Observação: É aquele famoso ambiente movido a muitas linhas de comandos e mais comandos de texto que tem de ser digitados.


Passo a passo:

Abrir a console. É aquela tela que imita os antigos métodos de entrada de dados, também conhecida como "tela preta". Se for uma das muitas versões do Linux que têm uma tela gráfica piora porque você tem que descobrir aonde está escondido o menu para abrir uma janela que vai imitar o velho método de entrada manual.

Digitar alguns comandos, mais ou menos parecidos com estes:

apt-get install gravetos
apt-get install troncos.gz
untar troncos.gz
...attrib +644x machado.sh

Nota: Com muita sorte, mas muita sorte mesmo, é só isto. Em boa parte das vezes você vai descobrir que faltam módulos e que são diferentes de uma versão do Linux para outra. Passe as próximas duas ou três horas pesquisando todo tipo de resposta absurda para resolver seu problema simples.

Finalmente instalado! Agora é só acender o fogo:


sh machado.sh -cp .\troncos .\lenha
mv gravetos .\fogueira
mv lenha .\fogueira
cron 1 0 0 5 5 soprar
fogo.sh -start -soprar
etc...


Repetir os passos de ignição, soprar, monitorar até que o fogo esteja aceso.



Os comandos podem mudar de acordo com a distribuição de Linux usada. Neste caso, consulte um dos milhares de tópicos perguntando a mesma coisa e que sugerem milhares de maneiras diferentes de fazer o que deveria ser a mesma coisa.


Quem vai acampar e quer curtir uma fogueira, sabe como é bom um simples isqueiro. Claro que no espírito aventureiro de Indiana Jones o passeio poderia ser na base de paus e pedras que soltam faíscas... (risos)

.'.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Windows por Linux? Dinossauros evoluíram.

Foto: Richard Mayston

Enquanto alguns consideram tendenciosa, outros tem reações apaixonadas, outras bem embasadas.

Na minha humilde opinião pessoal gostei da matéria publicada na Computerworld, "5 fatores a serem analisados antes de trocar o Windows por Linux".

Aliás, achei ótima matéria. Em hipótese alguma tendenciosa, eu diria que é bem realista e sem argumentos do tipo político partidários em ano de eleição.

O Linux tem ótimas vantagens, favor ler outras excelentes matérias aqui da Computerworld. Quem acompanha a revista e o site verá que tem material de sobra.

Não existe sistema "de grátis". E muitas vezes, quem não tem dinheiro nem para monstar a máquina, muito menos terá para pagar o salário do profissional que passa anos em treinamento continuo para depois receber MENOS que uma diarista e ainda achar que está abafando. Claro que quem não tem "papi" que lhe sustente vai pensar um pouco diferente.

Tenho aqui servidores RISC (HP-UX), Linux e Windows. Manter Servidor WIndows e Linux prá mim custa a mesma coisa e precisa profissional capacitado para ambos. Se bem que em 99,99% das vezes, é muito mais prático, simples e objetivo instalar qualquer coisa em Windows. 99,99% das vezes, tem um instalador para Windows que faz tudo. Já no Linux, haja peripécias e muitas e muitas linhas de comando. Isto se você tiver a sorte de usar uma versão certificada que combine exatamente com que se quer instalar. E sem conexão de internet, pior. Pelo menos para Windows geralmente quando precisa, vem um CD junto, não tenho preguiça de apertar o botão da gaveta... (risos)

Pera aí, linha de comando? Isto é aquilo que nós usávamos ainda nos anos 80? Mas que barbaridade... depois eu que sou dinossauro. Olha, num passado remoto, trabalhamos até com cartões perfurados, mas não temos saudade nenhuma daquilo, e custa mais caro para a empresa se eu perder um tempão dando voltas em instalações (que são mesmo) precárias (até simplórias), cheias de incompatibilidades e remendos.

Se duvida, é só olhar os milhares de foruns em que o pessoal apresenta todo tipo de problema para instalar isto e aquilo. Tem coisas assim no Windows também? Claro que tem, mas não de nível tão primário (IMHO).

O Windows ainda tem coisas que podemos (eu disse podemos) fazer em linhas de comando, mas isto não é algo obrigatório. Eu trabalho nesta área por décadas e minha missão é otimizar a disponibilizar a interação Ser Humano X Máquina para geração de resultados, produtividade, auxiliar em processos, trazer qualidade de vida e EVOLUÇÃO. Custa muito caro quando paro de trabalhar para resolver coisas que já foram solucionadas no século passado.

Quando os desenvolvedores Linux tiverem menos preguiça e entregarem seus produtos com um instalador no mínimo decente, eu serei o primeiro a aplaudir mais esta excelente ferramenta que é o Linux, mas que infelizmente, as vezes é um grande s*co de se usar.

.'.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Linux contra Windows mas a favor do quê mesmo?

Referente a matéria da Computerworld:

http://computerworld.uol.com.br/tecnologia/2009/08/27/grupo-a-favor-de-software-livre-faz-campanha-contra-windows-7

Me parece que a Free Software Foundation está dizendo: Não paguem pelo Windows, vocês devem pagar para nós!
São os detentores das malditas linhas de comando necessárias para instalar qualquer coisa no Linux é que querem seu dinheiro!
Só os legitimos possuidores da única verdade absoluta é que devem ser pagos para dar suporte a vocês míseros profanos incultos e sem faculdade paga pelo "papi, e que instalaram de graça uma cópia qualquer do Linux, (pois isto não é tão necessário para o usuário tradicional do Windows)!
Vamos vender suporte para Linux!
Vamos incentivar as inúmeras variações, muitas sem sentido, para se conseguir configurar qualquer coisa por mais simples que seja! Vamos incentivar o uso de software ruim, assim acabamos com a lista das 500, afinal, nenhuma empresa destas conseguiria se manter sem ter software bom e isto será finalmente a realização da grande obra, acabando com todos os hereges que não concordam com a verdade suprema!

Pagar pelo software deve ser um absurdo terrível, principalmente quando o que mais vejo, são pessoas que são sustentadas pela família, ou são funcionários públicos, ou deram sorte de ser muito amigos do chefe, para poderem trabalhar e ainda assim, receber dinheiro. Mas não por terem sido produtivas.
Sabe aquelas campanhas dos eco-chatos? Aquela turma que descobriu uma maneira bem legal de viver, mas que acham que devem bater na cabeça dos outros para serem convertidos! Pior ainda quando os mais fanáticos (e frustrados ao meu ver), descobrem que sexo deve ser só espiritual... mas porque então, costumam fazer TANTOS filhos? (risos)...

Deixando um pouco a brincadeira de lado, eu trabalho com Linux e Unix desde o século passado, tenho uma enorme bagagem em mainframes e muito Windows no caminho. Linux é uma ótima escolha se a empresa investir nele, no mínimo, tanto quanto vai gastar com a Microsoft.
Quer ter todos recursos mesmo? Compre uma versão Enterprise, pague salários dignos para ter pessoal de suporte capacitado. Vai gastar a mesma coisa ou mais.
A grande vantagem, ao meu ver, são características de estrutura, principalmente de servidor. O resto, vai depender, e muito, de você conseguir fazer o que quer neste ambiente.
Mas se a questão for ter que reinventar a roda, porque algo não funciona ou não existe ou vai ficar ruim no ambiente Linux, então é muito mais barato (e inteligente), usar o Windows.
A quantidade de ferramentas para Windows que me permitem uma produtividade muito maior é significante. Começando pela plataforma Ms-Office. Desenvolvo em Ms-Access (ótima plataforma de nível profissional, e fácil de usar até por novatos), façoo programação VBA avançada que me permite ter a imensa facilidade de trabalhar na parte de front-end com alta qualidade e sofisticação, ao mesmo tempo que posso controlar cada mínimo detalhe, incluindo integrando com outros bancos de dados, etc. A maioria das IDEs de desenvolvimento, são voltadas primeiro para ambiente Windows. Felizmente a maioria agora também são disponíveis para Linux. Mas na hora de configurar alguma coisa eu prefiro mil vezes o Windows.

Pessoal da FSF, Stallman, Peter Brown, respeito sua opinião, mas a minha é diferente. Trabalho nisto todos dias, faz décadas. E faz muito tempo que existe a funcionalidade de clicar no arquivo Setup e a coisa funcionar sózinha. Mas (na minha opinião), na ampla maioria de quase tudo que se possa imaginar em Linux, isto não existe e tem que ser na base da linha de comando e sair garimpando o que for diferente, porque sempre tem algum detalhe idiota que te faz perder tempo. É só olhar nos inúmeros fóruns de Linux, em que o pessoal troca idéias sobre como conseguir configurar as coisas mais absurdas. Acho que a inexistencia de instaladores automáticos é por puro relaxamento e preguiça. Quer ter seu software bem aceito pelo usuário médio, ou por gente como eu, que não aceita perder tempo e dinheiro com coisas primárias, então por favor, faça um instalador decente!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...