English readers and other languages: Many posts are in portuguese, you can use the Translate button at left side.

Clique nas imagens dos artigos! Elas levam você para o site do artista que a criou e muitas
vezes tem assuntos relacionados ou outras imagens para expandir seus horizontes!
Mostrar mensagens com a etiqueta Propaganda. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Propaganda. Mostrar todas as mensagens

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Royal Canin = Covardes.

Cachorros atacam ursos na Ucrânia, para diversão dos assistentes.
O evento foi patrocinado pelo segundo ano pela Royal Canin.
Imagem: www.express.co.uk



Royal Canin = Covardes. 

Matéria chocante publicada aqui pela ANDA, Agência de Notícias de Direitos Animais: 


Após publicação de denúncia na ANDA, Royal Canin pede desculpas por ter patrocinado rinhas de cães contra ursos

Depois da repercussão gerada pela notícia publicada na ANDA, no último dia 27, que denunciava a Royal Canin como patrocinadora de uma rinha brutal e ilegal na Ucrânia, a marca entrou em contato com a redação para se retratar. A matéria trazia a público a denúncia da organização internacional de bem-estar animal FOUR PAWS, que publicou um vídeo comprovando o envolvimento da empresa de rações com o evento sangrento.
As imagens documentam um torneio ocorrido em abril de 2013 nas florestas da região de Vinnytsia, na Ucrânia. Por diversas horas, com intervalos de aproximadamente 10 minutos, dois ou três cães são induzidos a atacar um urso pardo covardemente  acorrentado. O “Segundo Campeonato entre Cães Caçadores, Ursos e Feras Selvagens” tinha, entre os prêmios, troféus estilizados para a disputa que tornavam clara a referência à rinha, com o logotipo da empresa estampado neles. A Royal Canin confirmou à FOUR PAWS o seu envolvimento no evento de abril, mas declinou em aceitar marcar uma reunião e se negou a comentar o assunto. Até então.

Meu Comentário:

Terrível.


Inaceitável.

Estamos mesmo no Século XXI?

Pode ser uma mega corporação, mas se o supervisor lá na ponta da porcaria da filial do último buraco do mundo fez uma barbaridade, o mínimo que a matriz deveria fazer, é demitir todo mundo (ou tentar realmente educá-los) e demonstrar que realmente tomou uma medida de (bom) caráter.

E notem bem, a Ucrânia não é nenhum buraco. graças a internet temos conhecidos por todo o mundo. Mas alguém lá na "estratosfera" dizer não sabe o que acontece dentro das suas unidades, é triste.

Não adianta falar palavrinhas bonitas que provavelmente algum advogado escreveu.

Segundo um dos comentários postados na matéria: “A Royal Canin é de propriedade do grupo americano Mars, que também é dono das famosas marcas Kitekat, Snickers, M&Ms e Whiskas.”
(não tive tempo de confirmar sobre a M&M e a Snickers)

Lembram da propaganda: "blá-blá-blá whiskas..."?  Pois é isso aí. Blá-blá-blá.

Isto é o que se chama de capitalismo selvagem. Dinheiro sujo. Não adianta pagar propaganda bonitinha para esconder as coisas. Todo mundo sabe que eu acho ecochato uns chatos mesmo.
E que também acho que quadro de "Missão da Empresa" (Brand Values) na maioria das vezes não reflete o verdadeiro ambiente organizacional. É algo que comento com frequência quando falo sobre carreira, mas também sobre o papel da empresa e o que ela faz.

Normas ISO? Eu vou dar valor para alguma delas no dia que uma empresa destas for certificada por Shamãs. Com bom senso é claro, sem extremismos por favor. A civilização tem coisas boas,mas precisa de muitos ajustes. Em boa parte das vezes que colocam ISO e outras normas técnicas a qualidade do produto, o ambiente funcional, a coerência na atividade ou a relação com clientes não mudou. Só adicionaram burocracia e tinta colorida.

Não precisa de nenhum extremismo, apenas um pouco de sensatez.

Desculpas? Neste tom de pura balela? Tem coisas que não dá para ser "politicamente correto" apenas. E amanhã continuam fazendo a mesma coisa?

Pelas inscrições nos troféus é o segundo ano que a Royal Canin patrocina o evento.

Felizmente a Internet é pequena. A memória está lá e por muitos anos isto vai constar em todas pesquisas. Então Srs da empresa, mudem. Eu tenhos meus pets e sou seu ex-cliente agora. E vou falar disto.

As mensagem da Royal Canin seria (ao que entendi) do Sr. "Herve Marc, global corporate affairs director for Royal Canin". Tipo, diretor para assuntos internacionais. Puxa, impressionante.
Agora, se o tal pedido de desculpas é sério mesmo, e vão patrocinar uma imensa quantidade de umas ajudazinhas para os ursos, porque no site da empresa não se acha uma palavra a este respeito? Já perderam a chance. A memória da internet está aí. Deviam ter uma área para colocar uma nota ao menos. Mas a famosa "Brand Values" está lá. Pelo jeito, a famosa "Missão da Empresa" (eu falo mal de todos estes quadros pendurados nas recepções), mais uma vez não é seguido.
Tem algum ombudsman?

Senhores diretores desta empresa, mais uma coisa que eu sempre estou citando nos sites de revistas de administração e das áreas em que trabalho: Empresa é um organismo social. É como um ser vivo.

Olha, ninguém muda do dia para noite, muito menos uma estrutura de uma empresa destas a menos que a alta direção realmente tenha coragem de dar a cara a tapa e fazer o que deveria ter feito. Não é apenas punir, mas mudar de verdade para algo melhor. E não é com propaganda bonita, muito menos com a tal "Brand Values".

Royal Canin, isto é pura covardia.

É muito fácil ser uma empresa grande. Difícil é ser uma Grande Empresa.


Gilberto Strapazon
31/Julho/2013


.'.


Outras reportagens a respeito:  



.'.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Negócios São Entre Pessoas.

 Business Meeting
Foto: Clumsy Juggler


Referente meu comentário no forum da Linkedin da IBM São Paulo:

"Pessoas não fazem negócios com empresas. Pessoas fazem negócios com pessoas

Pessoas não fazem negócios com empresas.Pessoas fazem negócios com pessoas. Por que e como tornar-se um Negócio Social ..."


Meu Comentário:

Muitas empresas ainda questionam redes sociais nos mais básicos de seus aspectos: a interação entre pessoas humanas. A tecnologia ajuda muito quando bem usada.
Citando um artigo em que comento sobre a preferência de lidar com pessoas, "Empresas com Dono":

"É comum a preferência pelo "Armazém do Seu Zé". As pessoas sabem quem é o Seu Zé.
Em grandes empresas, existe um distanciamento, mas as pessoas sabem quem é o dono.
Já nas corporações impessoais a expressão negativa"coisa de empresa que não tem dono" é comum."
 
 


É óbvio que certos negócios são com grandes empresas. Mas existem muitas e muitas companhias de tamanho grande com as quais simplesmente não se sabe com quem está falando*.
Claro que prefiro um computador Dell** do aquelas "coisas" que alguns montam com componentes vindos sabe-se lá donde.

Quem for como eu, mais um insatisfeito cliente de operadora de telefonia (o que inclui uns 98% dos meus colegas e conhecidos) sabe o que é empresa sem dono.
Existe uma barreira formada pelos atendentes e ninguém sabe quem são certos Zé-Ruela em cargos de gerente/diretor que tomam algumas das decisões mais absurdas e que são amplamente criticadas e de longe o maior motivo das milhares de queixas na justiça e Procon.

O termo que usei é pejorativo para alguém? Zé-Ruela é feio? E o que fazem com as pessoas e empresas o que é então? Lamento, mas um anônimo que se esconde atrás do cargo dificilmente vai aparecer e dar as caras (ter caráter) para assumir publicamente o que fez. E não vale citar pesquisa comprada em agência de propaganda.

Em tantas outras companhias, eu sei com quem estou falando. Não é um funcionário usado como escudo para filtrar só o que convém para os que estão por traz.
A empresa pode ter 50.000 funcionários e mesmo assim ser acessível para os clientes ter acesso aos seus vários escalões e saber QUEM faz o quê e quem realmente bota o nome no que faz. Anônimo não é ninguém. 

Pode ser o armazém do Zé, pode ser a Mega-Corp. É tudo uma questão de abordagem e de como as pessoas trabalham e são tratadas lá dentro.

Pessoalmente odeio empresas que arrancam o couro dos funcionários e depois pagam propaganda bonitinha. Olhem a idade média da equipe e o tempo de casa. Aguentam uns poucos anos, fogem ou são chutados fora, ou enfartam prematuramente e são descartados.

Conheço gente que trabalha/ou na Dell. E também apenas "sei" de pessoas que estão nas telefônicas, mas geralmente não falam onde trabalham porque o festival de reclamações imediato é certo. Olha, quando as pessoas tem vergonha de dizer onde trabalham é porque o problema é muito maior. Citando o caso dos gerentes/diretores anônimos, quando estes escondem onde trabalham é pior. Não vale citar evento VIP fechado (local seguro) para distribuir supostas premiações compradas em agências de marketing.

Lidar com pessoas não é CRM, não é metodologia, não é método, não é sistema. É lidar com GENTE.  Se não houver compreensão e consciência de nada adianta ler todos tipos de livros de autoajuda e adotar as técnicas de gerenciamento da moda que trocam todo ano.

Quantas destas empresas com ISO são realmente boas de trabalhar ou tem bons produtos? Falando sinceramente, quantas? De novo, não vale pesquisa feita por agência de marketing.

Se você quiser ser bom no seu ofício, aprenda todas as técnicas da profissão. Mas se quiser um dia ser um Mestre no que faz, aprenda sobre as pessoas, começando por você mesmo.

A grande corporação que se torna apenas máquina, pode até fazer bons produtos mecanicamente repetidos. Padronizam até os funcionários, determinam como vestir, o que fazer, falar, pensar. Em nome do falso politicamente correto podam, cortam fora a naturalidade das imperfeições humanas impondo um padrão de restrições e censuras. Mas esquecem de que em princípio as pessoas que são criativas e tem iniciativa não querem ficar amarradas, muito menos por um monte de bobagens ou de coisas que parecem as regras do algum convento. E que pessoa seria o padrão de pureza tão elevado assim para criticar tanto? Você? Ou quem sabe algum deus ou será alguém que nunca precisou lavar a louça e acha horrível que alguém ajude em casa? Vejam o exemplo de grandes corporações literalmente perdendo mercado pela falta de criatividade e até assumindo isto publicamente, como foi o caso da Nokia.


Notas:
*Não tenho qualquer relação com nenhuma das empresas citadas exceto como cliente ou consumidor. **Eu não tenho computador da Dell.A citação é ilustrativa.


.'.

terça-feira, 5 de junho de 2012

O Custo de Não Gostar dos Fãs/Clientes da Empresa

Foto: ..Looking Glass


Meu comentário a respeito de matérias citadas nestes sites

"Externar o amor e a admiração por uma marca extrapola as questões tradicionais de proteção à marca que nós, profissionais de marketing e comunicação, estabelecemos para nós mesmos. Que mal faz se um fã desenha um coração, cola em cima da sua marca e resolve criar um blog tendo isso como símbolo?"
Mauro Segura, autor do blog A Quinta Onda



Meu comentário


O maior custo de uma empresa é a burrice.

Só imagino o que vai acontecer se na mesma onda, os fabricantes de automóveis começarem a mandar fechar todos os clubes de amantes de carros e os milhares de sites dedicados a eles.
Vão mandar fechar também os blogs e sites de apreciadores de vinho, os que gostam de moda.
E chegando ao delirium supremus, vão mandar fechar todos fãs clubes de artistas para preservar a imagem.
Ninguém mais vai poder usar camisetas com logotipos pois uma pessoa feia/alta/baixa/linda/cética/religiosa/nariguda/careca/etc. poderia prejudicar a imagem the empresa.

Para atitudes ridículas, nada mais explicativo do que exemplos que só não são tão ridículos porque pelo menos estes exemplos são apenas exemplos e não atos que foram feitos realmente demonstrando uma visão de mercado no mínimo ridícula. Depois falam que a economia e o governo é que atrapalham os negócios e despedem os funcionários (que também eram clientes) para cortar "custos".


Geralmente um blog, twiter, o que for feito por um fã do produto muito dificilmente poderá vir a ser identificado como sendo the própria empresa.
Acho algo bem paranóico e extremista achar que ninguém pode nada. Claro que precisa olhar o site/blog por mais de meio segundo para notar a diferença.
Só que aí precisa cérebro que funcione e não apenas estatísticas compradas nalguma agência de publicidade qualquer, com ou sem publicitário socialyte.
Cliente não é intocável com certeza e muito menos empresa. O seu argumento parece é o tipo de posicionamento que temos visto de tantas empresas (que andam quebrando aos montes) que não aceitam serem criticadas e consideram clientes como suas propriedades.
Claro que certas empresas como por exemplo, as de fornecimento de energia elétrica para a população tem monopólio e são exclusivas do setor, então as pessoas praticamente não tem escolha, a menos que comprem painéis solares.
Mas isto não vai durar para sempre, acredite.
Pior, esquecem que já estamos no século XXI e que graças a internet, estas coisas não são mais varridas para debaixo do tapete.
Trataram mal sim uma pessoa que voluntariamente divulgava o produto. Acharam ruim? Podiam ter sido NO MÍNIMO educados ao invés de passar o pé pelas mãos mandando advogado passasr intimação no melhor estilo CARTEIRAÇO.
O Iberê Rodrigues, era FÃ dos produtos the Mercur e tinha apenas alguns milhares de seguidores no Twitter que se interessvam. Mesma balela de proteger a marca.
Só esqueceram de proteger justamente seu ganha pão: os clientes. Eram só 15 mil que gostavam e demonstrar isto deve ter sido horrível para empresa.
Repito meu comentário publicado noutro site: Mais um caso de Fã de produto que recebe uma notificação destas. Mesmo caso do José Antonio Oliveira que criou o blog NokiaBR que mantinha, a seu próprio custo e por gostar dos produtos. A própria empresa mandava material para ele. Até que um dia, eu disse, um dia, em 2010, algum advogadozinho de um departamento do tipo que nem sabe o que se passa na empresa mandou uma carta no mínimo imensamente grosseira (pelo desatino cometido), mandando fechar o blog sob a balela de proteger a marca.
O blog muito provavelmente ERA apenas a melhor fonte de referência no país para esses produtos. Perderam milhares de fãs e um de seus melhores divulgadores.
Cadê a FIDELIDADE destas empresas?
Proteger a marca é atirar em quem voluntariamente fazia uma ÓTIMA propaganda, e não por ser grátis, mas por FALAR BEM? Credo!
Não se trata de pagar agência de publicidade para empurrar imagens bonitinhas como muitas empresas fazem.
Trata-se apenas de uma das coisas mais difíceis de se conseguir e manter: a (ex-)boa imagem the empresa.
Perderam só alguns milhares de clientes que vão passar a olhar com mais atenção os produtos da  concorrência. Se as pessoas tiverem opção para trocar de fornecedor de energia elétrica a empresa vai mudar o discurso?
Que tal uma concorrência verdadeira? Estes milhares de clientes que também não gostaram do acontecido e vão olhar outros concorrentes sem tanto apego e interesse, pelo menos não vão correr o risco de ouvir desaforo de empresa mal agradecida.
Exemplo de péssima comunicação empresarial, desconhecimento e descaso com sua ÚNICA fonte de renda.
Empresa privada não tem teta do governo nem monopólio que dure para sempre.
Para quem não sabe, por acaso essa única fonte de renda são seus clientes.
Mas o que é perder alguns milhares de clientes para quem (ainda) tem milhões de clientes? AINDA tem.
Dois anos depois, a Nokia está bem mal das pernas e esta é uma entre tantas pedras dos ALICERCES que eles próprios chutaram para bem longe.

É uma das coisas que acontecem quando se coloca a empresa na mão de tantos novatos, ou carreiristas ou bonitinhos especialistas em fazer gráficos. Ou simplesmente o poder sobe a cabeça.
Quando escrevo no meu blog sobre consciência falo justamente do fator HUMANO, the interação REAL que deve haver.
Uma empresa é um organismo social, sujeita as mesmas leis que qualquer organismo vivo.
É fácil ser uma empresa grande. Difícil é ser uma Grande Empresa.
Acabaram os tempos de dominar o mercado só pelo tamanho. Tem que ter conteúdo de verdade. E aprender que essa mesma internet que tantos 'executivos faz-de-conta' acham bobagem, tem uma memória e alcance muito, mas muito grandes.
Vocês empresários lidam com pessoas. Vocês mesmos são pessoas.
Gostariam que seus filhos levassem um pontapé na cara só porque eram fãs de um produto? E neste caso, você continuaria a usar estes produtos?

.'.

.'.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Empresas, escutem seus clientes

Sobre a relação empresa X consumidor publicado na Exame: Como Brastemp, Renault, Arezzo e Twix reverteram a crise nas redes sociais

A matéria fala sobre consumidores insatisfeitos que recorreram as redes sociais indo até vias extremas para conseguir ser ouvidos e ter solução para seus problemas.


As pontes que unem os mundos não tem paredes.
É hora de olhar para os lados.
Foto: Amber Dawn Davi
Meu comentário:

Falo com frequência que s empresas são organismos vivos sociais. Estes eventos ocorrem dentro e fora da empresa. Lembrem do público interno!!!

As vezes, nalgum artigo no meu blog falo sobre consciência e que isto se relaciona a gestão, procuro chamar a atenção justamente para que se perceba mais do que a si mesmo, mais que um ponto de vista, olhar o mundo de forma maior e diversificada.

Em reações como as citadas, em que a primeira atitude parece de (até de) fuga, é porque muitos ainda não perceberam que a internet é uma gigantesca memória.

Veja também o artigo: Redes Sociais e a Memória da Internet.



O que antes era esquecido logo, agora fica disponível na internet indefinidamente. É necessário o trabalho pessoal, meditativo, o estar presente de forma real e não apenas como jargão publicitário.

Atitudes concretas ganham disparado de discurso em qualquer área.

Atitudes restritivas, como censurar um comentário meu, objetivo e não ofensivo foi maneira de diminuir a credibilidade sobre a empresa noutro artigo devido a incoerência das informações prestadas pela mesma.

São inúmeras situações em que podemos ampliar nossos horizontes, que acabam sendo mal exploradas quando se limitam a repetir pensamentos feudais e deixam de abrir as janelas para um mundo novo e melhor.



.'.

Leia também:
.'.
 

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Concordo: Justiça proíbe teste cego da Kaiser - Cirrose e Computador

Este é meu comentário publicado no blog do Marcelo Onaga, da Revista Exame: Justiça proíbe teste cego da Kaiser

Em 19/11/2009
"...A Justiça concedeu liminar a pedido da AmBev proibindo a veiculação da campanha publicitária da Kaiser que mostra o resultado de um teste cego feito com mais de 2500 consumidores. A Femsa, dona da Kaiser, deve recorrer..."


Meu comentário:

Como consumidor e profissional, notei uma coisa simples, mas que pode ter passado despercebido pela maioria das pessoas:

O tal teste cego anunciado, fala em "qualidade", mas parece que na verdade trata-se de quantidades vendidas.

Dependendo aonde você mora, não tem muita opção, e no meio de uma cervejada, o pessoal compra o que tiver mesmo. Da mesma forma, determinados estabelecimentos só vendem certas marcas.

Qualidade não é o mesmo que quantidade e, é só olhar o mix de marcas apresentadas naquele anúncio para comprovar que tem de tudo ali.

É muito parecido com a nossa área de informática, quem não conhece acha que computador é tudo igual e pior, bebem qualquer coisa, digo, colocam qualquer coisa goela abaixo, digo, na empresa e depois o fígado é que sofre, digo, os lucros é que se vão pelo ralo.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Havaianas estimulam comportamento do Capeta

As havaianas é claro renderam muitos comentários do tipo: "minha filhinha de QUATRO anos perguntou o que é sexo!"

Imagino o ambiente moralista e repressor em que vivem. E estamos no século XXI, mas ainda muitos vivem na Idade Média, a Idade das Trevas, cheias de demonios e encostos torturando seus pensamentos, escravizadas pelo medo.

Papai, Mamãe, o que é sexo?

Uma tremenda pouca vergonha de depravação escandalosa do demonio para nossa sociedade que merece ter seus valores protegidos contra coisas completamente absurdas e questionáveis como essa sensacionalista exploração de argumentos maniqueistas tentando confundir a boa índole de gente de bem que trabalha e cuida de suas familia contra a intromissão externa de noções que se tornam justamente questionáveis se não fizermos nada para aprimorar nossa consciência sobre a importância de dias melhores e mais harmoniosos sem que as pessoas percam a calma simplesmente porque ainda não tem coragem ou instrução social, moral e cívica e não conseguem dizer para seus filhos pequenos que "sexo simplesmente é quando duas pessoas adultas namoram" e ponto!

As crianças entendem muito bem respostas diretas e não precisa entrar em detalhes desnecessários para a idade! Conversem com um asssistente social ou com um pediatra ou psicólogo!

Essa pecaminosa conjunção de palavras endemoniadas confunde as pessoas desavisadas, joga o pecado como argumento e faz com que as mais tímidas continuem tímidas sem necessidade.

Namorar é bom e saudável e pronto.

E se minha filha, sobrinha, neta, quiser namorar, pode ir.

O importante não é se ela vai dar o rabo, mas saber o que está fazendo, com quem e porque.

Se é por amor, amizade ou diversão, o importante é saber cuidar de si mesma e aproveitar estes bons momentos de forma madura.

Pecado é o que está na cabeça das pessoas.

P.S. As moças maiores de idade favor enviar email com foto.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

As Havaianas e a Eguinha Pocotó

Está sendo comentado em vários locais, como no blog da Cristiane Correa, Editora executiva de EXAME, a respeito de uma campanha publicitária das Havaianas (citando) "em que uma neta conversavam num restaurante. Eis que entra no local o galã Cauã Reymond e a simpática velhinha diz pra neta que ela precisa de um moço como aquele. Para casar? Não, para sexo."
Link para a matéria na revista Exame: http://portalexame.abril.com.br/blogs/cristianecorrea/listar1.shtml



Minha Opinião:

Pronto. Foi feito o escândalo. E tiraram a propaganda do ar por que teve muita gente, ou melhor, alguns, se manifestaram porque aquilo é uma vergonha, um escândalo, onde é que já se viu e por aí vai.
Bem, eu convivo com pessoas que não são da população mais elitizada, conheço mais gente ainda que é tanto de familias de nível ABCD e que gostam das coisas comuns da vida, como rir, conversar, dançar, sem muita preocupação com algum sentido oculto que possa estar numa simples brincadeira.
A maioria, crianças, velhas, senhoras, moças, mocinhas, religiosos ou não, de todas as profissões, simplesmente achou graça e já esqueceu no minuto seguinte. Foi só uma piadinha de salão e pronto.
Mas para alguns que coisa terrível!!! Uma senhora, imagem representante máxima dos valores da família falando de forma tão vulgar!
Olha, a maioria das mães e avós que conheço riram junto. E sem preocupação. Claro que algumas até comentaram que antigamente mal dava para se olhar para o lado sem ter os censores nos perseguindo.
Mas sexo, continua sendo aquele cruel punhal perseguindo a mente daqueles que não fazem e criticam os outros. Quem pensa demais em sexo e não faz, vira nisso.
Quem tem uma vida saudável, isto inclui uma sexualidade saudável, que faz parte da vida humana, não se preocupa com algo assim.
E tenho certeza, de que DEUS não é um velho xarope que fica lá no céu sentado o dia inteiro preocupado com o que faço com meu saco.
Por isso, antes deste post republiquei o comentário que fiz sobre a Eguinha Pocotó. Lembram daquela música que a turma achava engraçada? Pois é, brincadeira é só isto.
Caso Havaianas, internet social e outras coisas sejam problema, estou atendendo mocinhas e mulheres legais que procurem assistência para a manutenção saudável da natureza humana. Enviar e-mail com fotos de preferências bem liberais.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Ainda sobre a DM9 e o WWF

O problema pela infeliz divulgação de uma peça de mau gosto, segue, e o Sérgio Valente, presidente da DM9 declarou que a mesma foi feita por pessoal "junior":

Fonte: http://portalexame.abril.com.br/blogs/4p/listar1.shtml

Com certeza muitos vão achar que isto é tirar o corpo fora. Acho que não. Todo dia vejo responsabilidades serem transferidas para novatos, sujeito portanto, a que algo assim ocorra.


Meu comentário lá na matéria: 

 
Acho bem plausível sim, que o Sérgio Valente, presidente da DM9, esteja sendo claro sobre um problema que é crescente em diversas áreas: a transferência excessiva de deveres, responsabilidades e também de oportunidades, para o que se generalizou chamar de "jovens talentos".

Sou da área de TI, temos o mesmo problema. E observo isto nas mais diversas atividades.

A toda hora surge mais uma matéria numa destas revistas de carreira, até nos tele-jornais da TV, reclamando que existem "milhares de vagas" porque faltam "jovens talentos".

O que procuram, são jovens extremamente brilhantes, que tenham a bagagem de conhecimento de um profissional veterano com no mínimo 10 a 15 anos, e claro, sem as preocupações que um adulto tem, como sustentar família, seus estudos, vida pessoal.

Tenho comentado sobre este problema e repito: o estoque de super-gêniozinhos, que fazem o trabalho do Einstein, e de quebra, ainda podem estar sendo sustentados pela família e não vão reclamar do salário baixo, é realmente limitado. Apenas uma pessoa entre centenas é um talento. E só um talento entre centenas, é um grande talento.

A DM9 revelou apenas o que acontece nas mais diversas empresas. É só olhar como são as equipes de muitas empresas e procurar aonde estão os profissionais com mais experiência.

Vocês confiariam a saúde de sua família inteiramente a uma clínica que só tenha estagiários, de muito talento é claro (rsss)???

Talento, capacidade criativa, inovação, engenhosidade, não são coisas só de novatos. Pelo contrário. a nova geração tem se mostrado mais comportada, mais tradicional, mais apegada a valores puramente materiais.

O pouco que sobra para renovação de idéias e atitudes, fica mais por conta de um pouco de hormônios, ou pela sorte em conseguir encontrar algo para copiar na internet. Criatividade mesmo, falta bastante. De nada adianta fazer um curso qualquer, numa faculdadezinha qualquer, e saber a decoreba de muitas siglas e nomes de ferramentas. Pode-se decorar o nome e composição química de todas as tintas, mas nada disto vai fazer da pessoa um pintor no mínimo, razoável.

E falta experiência de vida e consciência social de que não somos seres isolados. O direito de um começa quando este reconhece que os demais também tem direitos.

Picasso comentou certa vez, alegremente, que quando era criança, já pintava como um grande mestre. Mas foi só quando envelheceu que finalmente conseguiu aprender a pintar como um menino.

.'.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

DM9 dá uma escorregada, mas logo passa


"Vazou" um trabalho da DM9, com aviões sobre Nova York, o que com certeza incomodou o pessoal do Onze de Setembro. Quer dizer, publicaram mesmo e depois disseram que foi por engano.

Link para a matéria:
http://portalexame.abril.com.br/blogs/4p/20090902_listar_dia.shtml?permalink=193324


Meu comentário:

Um trabalho tecnicamente bem feito. Claro que não deveria ter vindo a público, pois as demais pessoas do mundo, nem sempre ficariam muito contentes em descobrir como alguns pensam.

Sobre o tema, bem, típico alarde ecochato da pregação da verdade única batendo com o livro na cabeça dos outros para conversão na marra.

Só esquecendo, ao meu ver, que naquela situação, conta menos a quantidade do que a causa (ação da natureza Versus ação de um).

De resto, a DM9 e uma ótima agência, e uns deslizes acontecem, mesmo que machucando uma perna para aprender a usar o calçado correto, quando necessário ;)


Vide também: Ainda sobre a DM9 e o WWF

.'.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...