English readers and other languages: Many posts are in portuguese, you can use the Translate button at left side.

Clique nas imagens dos artigos! Elas levam você para o site do artista que a criou e muitas
vezes tem assuntos relacionados ou outras imagens para expandir seus horizontes!
Mostrar mensagens com a etiqueta Justiça. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Justiça. Mostrar todas as mensagens

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Royal Canin = Covardes.

Cachorros atacam ursos na Ucrânia, para diversão dos assistentes.
O evento foi patrocinado pelo segundo ano pela Royal Canin.
Imagem: www.express.co.uk



Royal Canin = Covardes. 

Matéria chocante publicada aqui pela ANDA, Agência de Notícias de Direitos Animais: 


Após publicação de denúncia na ANDA, Royal Canin pede desculpas por ter patrocinado rinhas de cães contra ursos

Depois da repercussão gerada pela notícia publicada na ANDA, no último dia 27, que denunciava a Royal Canin como patrocinadora de uma rinha brutal e ilegal na Ucrânia, a marca entrou em contato com a redação para se retratar. A matéria trazia a público a denúncia da organização internacional de bem-estar animal FOUR PAWS, que publicou um vídeo comprovando o envolvimento da empresa de rações com o evento sangrento.
As imagens documentam um torneio ocorrido em abril de 2013 nas florestas da região de Vinnytsia, na Ucrânia. Por diversas horas, com intervalos de aproximadamente 10 minutos, dois ou três cães são induzidos a atacar um urso pardo covardemente  acorrentado. O “Segundo Campeonato entre Cães Caçadores, Ursos e Feras Selvagens” tinha, entre os prêmios, troféus estilizados para a disputa que tornavam clara a referência à rinha, com o logotipo da empresa estampado neles. A Royal Canin confirmou à FOUR PAWS o seu envolvimento no evento de abril, mas declinou em aceitar marcar uma reunião e se negou a comentar o assunto. Até então.

Meu Comentário:

Terrível.


Inaceitável.

Estamos mesmo no Século XXI?

Pode ser uma mega corporação, mas se o supervisor lá na ponta da porcaria da filial do último buraco do mundo fez uma barbaridade, o mínimo que a matriz deveria fazer, é demitir todo mundo (ou tentar realmente educá-los) e demonstrar que realmente tomou uma medida de (bom) caráter.

E notem bem, a Ucrânia não é nenhum buraco. graças a internet temos conhecidos por todo o mundo. Mas alguém lá na "estratosfera" dizer não sabe o que acontece dentro das suas unidades, é triste.

Não adianta falar palavrinhas bonitas que provavelmente algum advogado escreveu.

Segundo um dos comentários postados na matéria: “A Royal Canin é de propriedade do grupo americano Mars, que também é dono das famosas marcas Kitekat, Snickers, M&Ms e Whiskas.”
(não tive tempo de confirmar sobre a M&M e a Snickers)

Lembram da propaganda: "blá-blá-blá whiskas..."?  Pois é isso aí. Blá-blá-blá.

Isto é o que se chama de capitalismo selvagem. Dinheiro sujo. Não adianta pagar propaganda bonitinha para esconder as coisas. Todo mundo sabe que eu acho ecochato uns chatos mesmo.
E que também acho que quadro de "Missão da Empresa" (Brand Values) na maioria das vezes não reflete o verdadeiro ambiente organizacional. É algo que comento com frequência quando falo sobre carreira, mas também sobre o papel da empresa e o que ela faz.

Normas ISO? Eu vou dar valor para alguma delas no dia que uma empresa destas for certificada por Shamãs. Com bom senso é claro, sem extremismos por favor. A civilização tem coisas boas,mas precisa de muitos ajustes. Em boa parte das vezes que colocam ISO e outras normas técnicas a qualidade do produto, o ambiente funcional, a coerência na atividade ou a relação com clientes não mudou. Só adicionaram burocracia e tinta colorida.

Não precisa de nenhum extremismo, apenas um pouco de sensatez.

Desculpas? Neste tom de pura balela? Tem coisas que não dá para ser "politicamente correto" apenas. E amanhã continuam fazendo a mesma coisa?

Pelas inscrições nos troféus é o segundo ano que a Royal Canin patrocina o evento.

Felizmente a Internet é pequena. A memória está lá e por muitos anos isto vai constar em todas pesquisas. Então Srs da empresa, mudem. Eu tenhos meus pets e sou seu ex-cliente agora. E vou falar disto.

As mensagem da Royal Canin seria (ao que entendi) do Sr. "Herve Marc, global corporate affairs director for Royal Canin". Tipo, diretor para assuntos internacionais. Puxa, impressionante.
Agora, se o tal pedido de desculpas é sério mesmo, e vão patrocinar uma imensa quantidade de umas ajudazinhas para os ursos, porque no site da empresa não se acha uma palavra a este respeito? Já perderam a chance. A memória da internet está aí. Deviam ter uma área para colocar uma nota ao menos. Mas a famosa "Brand Values" está lá. Pelo jeito, a famosa "Missão da Empresa" (eu falo mal de todos estes quadros pendurados nas recepções), mais uma vez não é seguido.
Tem algum ombudsman?

Senhores diretores desta empresa, mais uma coisa que eu sempre estou citando nos sites de revistas de administração e das áreas em que trabalho: Empresa é um organismo social. É como um ser vivo.

Olha, ninguém muda do dia para noite, muito menos uma estrutura de uma empresa destas a menos que a alta direção realmente tenha coragem de dar a cara a tapa e fazer o que deveria ter feito. Não é apenas punir, mas mudar de verdade para algo melhor. E não é com propaganda bonita, muito menos com a tal "Brand Values".

Royal Canin, isto é pura covardia.

É muito fácil ser uma empresa grande. Difícil é ser uma Grande Empresa.


Gilberto Strapazon
31/Julho/2013


.'.


Outras reportagens a respeito:  



.'.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Fotos Roubadas: Apedrejem as Vítimas

Interessante como a questão do roubo e divulgação das fotos íntimas de uma atriz gerou uma onda de manifestações condenatórias.

Um verdadeiro festival de moralismos em que aparentemente, ignoram que ela foi roubada. Teve sua vida invadida e algo que é de caráter pessoal foi exposto em público.

Conentei a pouco no artigo da Conjur: As fotos da atriz e o elogio do decoro escrito pelo Carlos Costa

"No início dos anos 1960, fui estudar em um seminário. E os padres e professores insistiam no que se chamava de “decoro”, com recomendações de não se expor em público (ou seja, não se pentear ou cortar as unhas na frente dos colegas), a subir escadas sem saltar degraus de três em três, a cultivar o que se chamava de bons modos. E uma nota era lançada no boletim quinzenal sob o título de “urbanidade”.
...
...
No entanto, hoje, constrangidos, subimos no elevador em companhia de jovens casais que se agarram em beijos derramados, sôfregos, lúbricos — algo que em outros tempos se fazia, quando se fazia, a portas fechadas. Alguém poderá dizer que são coisas da modernidade, mas volto a pensar nessa falta de decoro que se tornou uma das marcas dos dias atuais.
... ...

O recente episódio das fotos da atriz Carolina Dieckmann faz parte desse cenário."

Meu comentário:


Alguns aproveitam para inverter a situação  e despejar uma torrente reprimida de moralismos condenatórios.

Aliás, quantos destes fazem parte da famosa escola "moralismo de cuecas"?

Será que são "santinhos assim"?

Quantos vi nestes dias, babando na frente do computador, procurando fotos e ao mesmo tempo criticando e acusando? Se não gosta por que querem tanto ver?

Isto é perversão de quem critica mas demonstra desejo pela vítima.


Quem muito grita geralmente tem algo a esconder. E neste caso grito é prova de falta de argumentos.

Quem muito critica os demais, costuma estar mostrando suas próprias fraquezas.

Em certos países ainda hoje, em pleno Século XXI, se uma mulher for estuprada ela é acusada e punida, geralmente de forma terrível, chicoteamento e até com a morte por apedrejamento.


Leia também: Apedrejamento: Manifesto


A vítima é punida, acusada. Pedras virtuais machucam também.

Abençoam e elogiam a fofoqueira do bairro que vai na missa todo domingo, mas passa todo tempo despejando veneno! E pior agora está ganhando terreno pois agora usa a internet para se intrometer na vida dos outros?

Estão construíndo templos ao vício da inveja, da fofoca e da repressão!

Condenem Romeu e Julieta!

Cadê o senso de humanidade? Cadê o senso de Justiça quando um profissional desta área mistura totalmente a agressão com crítica moralista sobre questões de fôro íntimo?

Antes de usarem os argumentos da religião que praticam, lembrem que muitas religiões consideram sexo pecado, algo horrível e que a mulher é considerada como coisa do diabo e que tudo é culpa dela.

Critiquem.
Mulher estuprada por polícial no oriente.
Algum pervertido quer reclamar
porque ela aparece em trajes menores?
Foto: Keen Observer9
Quantas mulheres violentadas deixam de ir a policia por medo  de sofrer nova violência por parte das "autoridades"?

Existe uma clara distinção de assuntos aqui e que precisa ser observada.

As pessoas tem vida íntima e o que um casal faz na sua intimidade é de caráter pessoal.

Existem os que usam da internet e participam em sites de exibicionismo. Mas só entra lá quem QUER. De maneira ampla e geral, ninguém está se colocando no meio da rua para afrontar. São locais reservados. 

Mas historicamente, as fofoqueiras do bairro, os mexeriquentos, os que anseiam por dominar até o mais íntimo pensamento das pessoas, insiste em se pendurar na janela e apregoar regras e falar mal dos outros.

Hoje as carolas e fofoqueiras usam a janela da internet para invadir a vida dos demais.

O artigo em princípio, fala muito bem sobre uma coisa importante, a urbanidade, o convívio em sociedade. Isto vem da família e de cultivarmos bons valores.

Conviver com as demais pessoas tem a ver com respeito mútuo e consideração. Caráter, bons costumes. Higiene, respeitar o espaço dos outros.

Mas é muito diferente uma pessoa ser roubada! Alguns aproveitaram para criticar a intimidade desta pessoa. Essa pessoa e outras, não estão colocando suas coisas num objeto pessoal, o computador, e com isto se oferecendo para o mundo. Ela foi roubada. Seria o mesmo que dizer que não posso colocar minhas cartas no cofre forte do banco porque estou me oferecendo a exposição pública caso o cofre seja arrombado e os ladrões publicarem minhas cartas.

Então cadê o direito de intimidade, de preservar o que é seu?

Vamos adotar a tirania e invasão da intimidade das negras eras feudais ou dos regimes totalitários que punem até com mortes cruéis e verdadeiros atos animalescos, qualquer pessoa que esteja fora de um suposto ideal de perfeição?

E quem são estes seres "perfeitos" que condenam os demais? 

Nada a ver com o comportamento de alguns que acham normal fazer qualquer coisa em público. Se um estuprador fotografar e divulgar fotos da vitima então condenam esta? Voltará a prática ainda existente nalguns locais em que a vítima de estupro é punida também? Credo!

Então qualquer um teria o absurdo direito de invadir uma residência e ainda por cima dizer que seu morador está errado em ter uma vida privada? Os tiranos adorariam colocar câmeras dentro das suas casas e controlar tudo, o que fazem, o que pensam.

Noutro artigo recente (link abaixo) comentei a respeito. É algo normal e bastante comum entre casais.

Infelizmente, os moralistas (será?) adoram se meter na vida dos outros e parecem sempre prontos a criticar. Que moral é esta que semeia a tirania e condena tanto?

Confundem roubo (crime) com ato de livre vontade.



Se eu concordar alguma colocação em que expõe que a invasão total da vida privada como sendo natural e algo que deveria ser aceito, eu estaria aceitando a tirania, a opressão.
Temos a histórica luta dos que se recusam a serem meros objetos, joguetes nas mãos de alguns que buscam impor seus valores pela força.

A repressão das mais básicas liberdades humanas é o mecanismo mais usado pelos tiranos, sejam políticos ou religiosos.

Se eu temer pela minha integridade pessoal pela possibilidade de algum pervertido sem escrúpulos me assaltar, e ser elogiado pelo seu ato criminoso, também temerei por tudo o que faço e deixarei de acreditar na justiça e na possibilidade de uma real evolução da espécie humana.

Eu estaria aceitando a volta da barbárie da era das trevas, das câmaras de tortura de tantos séculos que serviram basicamente para impor na marra, desejos egoístas e mesquinhos de dominação, de satisfação unicamente pelo jugo através da violência e incapacidade de aceitar divergências e por um imenso medo de que alguém nalgum lugar possa estar sendo feliz.

Se alguém acha que um cidadão que não faz nada fora da lei, não tem o direito de privacidade dentro de sua moradia, então me desculpem, mas é difícil imaginar em que tipo de valores ou caráter possa estar falando. Isto não é urbanidade, muito menos civilidade. São escravidão e tirania pura e simples.


Existem riscos e são verdadeiros. Não os ignoro em absoluto.

Veja, vamos para outro exemplo: Quem escala uma montanha está sujeito a diversos fatores de risco. Pedras soltas, falta de ar, avalanches, torcer um pé.

Nas minhas incursões vi pessoas se lesionando simplesmente porque não cuidaram de usar uma meia correta e amarrar direito o cadarço do calçado.

Mas ao invés de deixar de escalar ou fazer trilhas, aprende-se a dominar as técnicas para interagir neste ambiente hostil e ter o máximo possível de recursos disponíveis no caso de alguma adversidade.

É um risco real, e muitos consideram este esporte, uma tentativa de suicídio.

Mas ficar jogando dominó na praça também pode ser arriscado. Têm locais em que alguns se aproveitam da distração dos jogadores, ou simplesmente pode cair um galho de uma árvore.

Não é muito diferente da questão "urbanidade", assunto que dá a entrada no artigo.

Conviver em sociedade não difere muito com os cuidados necessários para andar pela natureza.

Simplesmente caminhar pela mata ou numa área montanhosa, sem cuidar do que se faz é um risco enorme.

Visite uma caverna e rapidamente vai ser lembrado de que o teto pode estar muito baixo, é preciso olhar para todos os lados. Cuidar muito onde pisa, pois as pedras soltas no chão não tem o assentamento causado pela chuva e vento. Podem estar equilibradas de forma precária. Ou estarem escondendo, da mesma maneira, um buraco profundo.

Temos paralelos com as tecnologias. Elas trazem conforto e muitas novas oportunidades.
Mas pode ser como deixar de andar pela mesma trilha e adentrar-se por labirintos desconhecidos.

Quem coloca música alto dentro do ônibus, perturba os demais. Mas também pode ser vítima dele próprio, ao deixar de ouvir um grito de alerta.


.'.

Leia também:

.'.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Direitos das Santas. E se fosse um Homem?

Foto: American Photo

Editado: Só para acrescentar este comentário. Tenho gostado das diversas manifestações. Todas elas, mesmo as mal humoradas e a mais machista de todas respostas que vi até hoje me chamando de machista.. Todas publicadas com certeza. Hey, repito o tempo todo que uso de humor nos meus textos esqueceram? (que Deus mal humorado é o seu?). E não coloquei Tag de humor aqui porque isto não é. Por favor relax, o assunto é sério, mas acredito que devemos encarar as coisas com Luz e não com ódio pré-julgado. E para quem perguntou se tenho "balls" (bolas) para aceitar o comentário, lamento, foi a coisa mais machista e preconceituosa que li nos últimos tempos. Moça, você É machista ao extremo!




Em relação ao artigo publicado no Conjur: Violência à mulher - Vazamento de fotos deve ser julgado como lesão corporal, escrito por Carlos Eduardo Rios do Amaral.


O artigo fala dos idiotas que publicam fotos íntimas de suas parceiras, como vingança machista pelo fim do relacionamento, ou por teres sido traídos ou algo assim. Claro que isto não tem nada a ver com fotos roubadas como acontecimentos que por vezes ocorrem.


Trecho inicial do artigo:
Casos que vêm ganhando grandes proporções e que crescem a cada dia nos Juizados de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher são aqueles em que o ex-namorado ou ex-companheiro, não aceita o fim do relacionamento e, para se vingar, despeja na internet) todo o acervo íntimo de áudio e vídeo do casal, muita das vezes mantendo relações sexuais ou em momentos de generosa descontração.
Poucos dias depois, tomando conta da indevida exibição feita pelo seu algoz, através de amigos, vizinhos e conhecidos, até mesmo de estranhos, o estado físico e mental da vítima é aflitivo e infeliz.
Nos diversos atendimentos que pude realizar de mulheres vítimas desses agressores, a constatação é inequívoca: a saúde da mulher fora atingida no seu âmago, irradiando-se o ato criminoso por todo o seu corpo, como um câncer agressivo e invasivo.
A totalidade dessas vítimas acaba tendo que se afastar de seus empregos, estudos e ocupações, desenvolvendo diversos tipos de doenças e crises emocionais, vivendo à base de remédios e de visitas a consultórios médicos, além de sessões com psicólogos. Muitas, no começo, mal conseguem sair de suas próprias casas, até mesmo para fazer o Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia.
Ou seja, o ex-companheiro conseguiu seu objetivo: reduziu sua ex a cinzas. Sabe esse carrasco que a mesma nunca mais será a mesma, pelos menos por um futuro razoável, suficiente para saborear sua vingança. Afinal, se “ela não for minha não será mais de ninguém”. É o velho mandamento do homem do paleolítico, que hoje vive disfarçado na sociedade sob o rótulo de machista, trocando o porrete pelo mouse.


Meu Comentário:

Com certeza nem toda mulher é safada ou santinha de família. Muito menos homem não é tudo igual como apregoam as que não deram sorte ou que só querem tirar vantagem ou são mal amadas mesmo.

Claro que expor fotos íntimas pode não ser desejável.

As pessoas podem  descobrir que você faz as mesmas coisas que as demais!

Mas É agressão mesmo.

A pessoa tem direito a sua privacidade.

Não tanto pela exposição, pois geralmente o tiro sai pela culatra e se torna uma imensa propaganda especialmente para a mulher. Ela é bonita, sabe ser carinhosa e você perdeu otário.

Mas a dor maior, é pelo ato de traição cometido por quem divulgou o material. Foram momentos bons que são depois transformados em pedras afiadas. 

Lembrem que muitas vezes, quem divulgou o material está fazendo isto por que descobriu ter sido traído, enganado. Ou seja, está respondendo de forma agressiva as agressões que sofreu primeiro. Não é legitima defesa, é uma reação por ter sido machucado também.


Para ambos isto pode ter sido o resultado de uma agressão mútua. As vezes julgam apelativamente o ato desmesurado da publicação das imagens, mas ignoram que antes disto pode ter ocorrido outros
atos por parte da mulher ou quem seja que tenha sido exposto.

Ou seja: a discórdia ou briga entre os dois foi a público. Quem nunca assistiu briga de casal em público? Tem cada coisa absurda...

Quem nunca viu uma briga de gritos em público atire a primeira pedra. Geralmente é uma baixaria, falam todo tipo de coisas mesmo que falsas com a intenção de ofender e até mesmo impor uma versão.

É a famosa "idéia" de que gritar mais alto vale algo.

Na prática, geralmente quem muito grita é porque geralmente não tem argumento, exceto o barulho.

Vamos observar que ocorre um processo de Ação e Reação.O pior extremo é quando isto se torna "olho por olho" até que todos fiquem cegos.


E claro, existem alguns casos em que a pessoa que divulga faz apenas para se exibir. Aí sim está a grande maldade, quando o objetivo é apenas alimentar a vaidade pessoal e deixa de ser resposta passional (perda de controle) para ser alguma agressão fútil ou sentimento egoísta de perda.
Neste caso, houve a intenção de prejudicar desde o início. Usa-se a pessoa exposta como troféu de uma conquista, usada e exposta em público como se fosse um bicho caçado numa armadilha.

Expor a vida íntima de alguém que foi sua companheira, parceira, amante é uma agressão sim, mas nem sempre vai ter esta conotação que o autor do artigo citado pretende.

Antes de um dano material, é um dano sentimental e isto já dói bastante. É uma agressão é claro, de teor íntimo que pode realmente ferir terrivelmente os sentimentos e levar a manifestações físicas.

Quem nunca sofreu por amor perdido não sabe como dói. A dor do amor não correspondido é terrível. E numa agressão como esta, torna-se um golpe extremamente duro.

Mas não confundam nem generalizem as coisas, por favor.

Esta dor também não tem nada a ver com as vinganças idiotas das mal amadas que maltratam, abusam e depois fazem questão de se vingar de qualquer coitado que tenha tido a infelicidade de cruzar seu caminho e tente escapar legitimamente das suas garras.


Existe sofrimento, mas não é da totalidade dos casos assim como escreve o articulista. Tem manipulação sim. Lamento dizer isto, mas é só ter pensamento coerente e observar. Manipulação acontece dos dois lados!


Lembrem-se da astúcia conveniente. Lembre do choro oportunista.  Estes imperam pelos tribunais do país.
Não são apenas os maus políticos que se fazem de bonzinhos quando estoura um escândalo.


Tem casos, como de uma garota com pretensão de modelo, que a muito tempo tinha muitas fotos sensualissimas em trajes e biquinis ridiculamente minúsculos divulgada por ela mesma em páginas de redes sociais. Um belo dia, a mesma apareceu na TV chorando por que "divulgaram" as fotos dela.
Mas eram as mesmas fotos que eu já havia visto muitas vezes publicadas a torto e direito por ela e o namorado quando estavam juntos.

Presenciei casos de mulheres que até espancavam violentamente seus companheiros, arrancaram os bens que eles tinham e não tinham e quando estes tentaram se afastar, ainda por cima foram acusados pela Lei Maria da Penha, que deveria proteger as vítimas e não as agressoras. Elas fizeram carinhas de choro e arrumaram uma "amiga" para sustentar o depoimento e pronto. Pelo menos neste caso, o juiz percebeu que havia algo incoerente e negou seguimento, apesar do estrago já feito. Num dos casos que fui testemunha pessoal, quase fui esfaqueado pela mulher duas vezes (tentando apartar a briga que ela provocou) e ainda por cima o sujeito perdeu até a própria casa que foi roubada por ela.

Teve outra que conheci intimamente em familia, que juntamente com seu marido era assídua praticante de trocas de casais em clubes de swing e coisas assim. Na separação, coisas foram jogadas em público. Na famosa hora da briga, lá estava a famosa carinha de choro, de vítima inocente.Que não era nem um pouco.


Falo isto para deixar bem claro que ainda existe sim, e muito, diferença de tratamento por parte do judiciário. Se os direitos são supostamente iguais, os deveres e responsabilidades com certeza continuam não sendo.



Voltando a questão das fotos pessoais.

Foto: •°o.OSassy ShotsO.o°•
Olha, é muito comum casais brincarem com fotos e vídeos. Faz parte da intimidade de um casal, namorados ou amigos. É absolutamente normal.

Convivendo com as pessoas, o que percebo acontecer é que a exposição indevida de fotos tem como resultado principal qualificar quem divulgou como sendo um idiota, canalha, bobalhão, enquanto que a pessoa retratada recebe uma publicidade.

Infelizmente é claro, publicidade muitas vezes indesejada.

Isto já ocorria anteriormente pela divulgação entre conhecidos de cartas e bilhetes picantes. Isto foi antes da internet, quando as pessoas ainda escreviam cartas. Já acontecia.


Muitas vezes, estas mulheres tornam-se heroínas para as demais. São as "poderosas" do grupo enquanto a pessoa que divulgou o que não devia, faz merecido papel de idiota e é publicamente ridicularizado.

Claro que sempre tem algum outro mais idiota que vai incentivar e apoiar, mas só porque quer ver mais fotos. Na verdade, observem, estes que "apóiam" desejam a mulher (propaganda) enquanto intimamente consideram o sujeito (pelo menos) um trouxa, ou um merecido "corno".


Foto: jazamo
Enquanto alguns carolas e moralistas condenam como de costume se intrometendo na vida alheia, o que se observa em boa parte das mulheres é a manifestação de que foi um ato no melhor estilo "fiz sim, estava com alguém que gostava", foi algo artístico. E ponto.

Entendam isso por favor: quando estão a dois muitas coisas lindas acontecem, então foi algo que foi apenas carinho mútuo.
Não vou falar que foi "por amor" por que simplesmente tem SIM muita gente que curte uma transa legal e está apenas se divertindo. A maioria das pessoas normais gostam de coisas assim. Ponto!
Fotos e vídeos que são publicados SEM autorização são uma fração realmente mínima de tudo que se faz. Que tal 0,000001%?? Mas ainda assim É uma agresão é claro. Mas sempre são feitas por idiotas De ambos os lados para deixar bem claro (sim, mulheres fazem isto também para deixar bem claro).


Por favor, não generalizem estendendo o assunto para esferas que tendem a colocar (de novo) a mulher sempre como coitadinha inválida e desprotegida.



Se a mulher divulgar fotos e comentários do seu (ex) companheiro com a intenção de prejudicar, com toda certeza o assunto será diferente.


E a famosa e histórica contrapartida feminina nem é considerada no artigo: as mulheres que na intenção de vingança, fazem sexo com todos os amigos dele e fazem questão de espalhar que o sujeito era ruim de cama, mesmo que antes fosse o "cara". Cansei de ver. Nojo.

Isto é geralmente aceito, mesmo que o cara fosse uma boa pessoa e a mulher uma mal amada IU apenas mais uma interesseira. Neste caso o comportamento lascivo chega a ser aplaudido. Se ela fizer algo assim, além de heroína entre outras mulheres e ainda ganha mais prestígio ainda entre os oportunistas que vão fazer fila para serem "usados".


Ilustração: Peter Gander

Estamos no século XXI meus caros! Então, chega desta balela de que mulher que faz o que quer é p*ta e homem é garanhão.


A mulher tem vida sexual tão ou até mais ativa que os homens. #falei.


Na hora de fazer, as mulheres são hiper-ultra-liberadas, mas na hora de assumir, volta a secular carinha de santinha enganada.


O idiota que faz uma coisa destas "é carrasco". Mas a mulher que historicamente tem uma conhecida capacidade vingativa terrível é tratada de "santinha", ou simplesmente esquecida do seu papel como no artigo citado.


Protejam as pessoas legitimamente agredidas. Considerem sim que as mágoas verdadeiras machucam e muito. Mas não generalizem situações.

Você só tem direito quando reconhece que o outro também tenho direito.

Homens e mulheres são diferentes e complementares.

Mas a santinha inocente em tudo, genericamente é um papel de muitos tempos passados.

Se eu ainda aceitar uma coisa destas, vou ter que pregar contra os direitos das mulheres, pois cada vez mais, mostram ser um acúmulo de privilégios e protecionismos sobre uma plataforma ilusória e conveniente: "a de se fazer de santinha".



.'.

domingo, 22 de janeiro de 2012

Os Fracos Viram as Costas

Um velho índio contou a seu neto:
"Em meu coração vivem dois lobos.
Um é das trevas, desespero, medo e desconfiança.
O outro é da luz, alegria, esperança e amor. 
Eles costumam brigar entre si."
O neto perguntou: "Qual lobo vence?"
O índio respondeu: "Vence aquele que eu alimentar."
Foto: medisun1


Maravilhosas essas palavras de um Mestre:


"I have no use for those who seek your aid and support, then abandon you,because they are weak.
Willed little children, who don't want to offend someone they think cares for them.
That same someone who caused them problems to start with."



Tradução:

Não tenho nenhum uso para aqueles que procuram sua ajuda e apoio, em seguida, lhe abandonam, porque são fracos.
Crianças de pouca vontade que não querem ofender alguém que acham que cuidam deles.
Aquele mesmo alguém que causou seus problemas para começar.


Meu comentário:

Não perco tempo com gente assim.
Antes de questionarem e aceitarem cegamente a versão de alguém que foi questionado e denunciado por suas falcatruas e mentiras sugiro que procure outra fonte de consulta, de preferência alguém que não lhe conheça. Pode ser um Exu de verdade ou um bom tarólogo/cartomante, etc.
Façam duas perguntas:
-Pergunte quem sou;
-Perguntem se estou falando a verdade;

Se quiser, então pergunte: 
-Perguntem quem lhes causou seus problemas.

Em tempo:

Grito é falta de argumento.
Você só tem direito quando reconhece que os demais também têm direitos.
.'.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Roubaram sua idéia no trabalho? Negocie, mas não baixe a guarda

Se reclamar tá na rua!
Foto: min_813



Uma matéria da Revista Exame  O que fazer quando alguém rouba sua ideia no trabalho? apareceu também no jornal da TV Globo como sendo dica de carreira.

Meu comentário

Cadê a consciência?

Eu já não tinha gostado do teor da matéria. Fico decepcionado quando vejo gastarem fortunas para mandarem as pessoas calarem a boca e não reclamarem das más condições de trabalho, ou pior, para terem medo de enfrentar a desonestidade.

Assistir ao vivo um sujeito com cara de deboche dizendo praticamente que você é quem deve calar a boca senão você é quem vai ser prejudicado, lembrou algumas cenas que presenciei e outras que ocorreram comigo.

Eu não protejo sem-vergonha.
Sem vergonha é sem-vergonha, seja corporativo ou não.

Quem foi que pagou essa gente para falar isto e com qual intenção?

Vou discordar especiamente da postura "engula o sapo senão perde seu emprego".

Já passei várias situações assim, algumas foram solucionadas, outras não.


Com toda certeza, verifique o que houve. Se alguém realmente roubou sua idéia, não estamos falando de falta escrúpulos. Quem rouba é ladrão. Quem protege ladrão também é ladrão.

É necessário consciência de ambos os lados. Não se trata de ser politicamente correto, mas de não incentivar atitudes que certamente vão repercutir negativamente e para pior logo adiante.

O funcionário que rouba uma idéia, para alguns é um modelo desejado de "competidor". Mas é justamente este tipo de gente que logo adiante vai tirar o corpo fora quando algo acontecer de errado na empresa, ou vai causar um enorme prejuízo, ou vai roubar a própria empresa. Enfim, o sujeito está mostrando que não é de confiança.

Claro que você trabalha e precisa do seu emprego. Mas isto não significa que uma pessoa precise ser capacho de outra.

Se você tiver uma bagagem profissional de credibilidade e seriedade, isto conta a seu favor.

Se você tem um relacionamento sincero com seu chefe, converse com ele, mas as vezes eles também estão de mãos atadas.

Se a postura da empresa, como citado (no exemplo, pessoas demitidas porque foram numa "Ouvidoria Falcatrua"), for de quebrar com quem reclama, você já sabe que tipo de lugar está.

Não brigue, mas deixe claro sua posição, busque outro emprego assim que possível pois será certa a repetição.

Sobre trabalhar no projeto, isto deve ter servido para você aprender a cuidar do que fala e com quem fala.
É por isto que publico todo e qualquer artigo que faço. Um resumo de numerologia que publiquei em 2002, virou "entrevista" de outra pessoa num jornal. Eu devia ter brigado mais, pois além de me roubar descaradamente, a pessoa que não sabe responder a nenhuma pergunta direta sobre o assunto como publicado, tem a cara de pau de se achar a dona de tudo e dizer para os outros que eu (que fui roubado) não sou de confiança (acreditem, tem gente assim...).

Já fiz desenvolvimento para chegar no dia da apresentação, descobrir que outro sujeito que nunca participou, levou os créditos e foi promovido. O diretor sabia que ele não tinha feito nada e todos colegas da empresa sabiam e comentaram.O clima na empresa toda piorou muito e a direção teve que amargar com o prejuízo da sua insensatez.

Uma empresa séria deve cuidar dos seus bons colaboradores ao invés de publicar ameaças.

Eu disse publicar? Sim, pois este é o tipo de matéria que é veinculada com a clara intenção de dizer para as pessoas aceitarem ser roubadas por algum imbecil que só consegue algo na vida roubando os outros.

Precisamos elevar o nível de consciêncida das empresas. Quando falam em gestão verde, em empresas sociais, é necessário lembrar que dentro de toda natureza existem as ervas daninhas, os predadores. Mas na natureza, um predador é conhecido como isto. Um lobo é um lobo e todos sabem o que ele faz. Ninguém diz que o lobo é uma ovelha e puxa seu saco.

E lembrem que as pessoas não são bicho!!! Citar exemplos da natureza tem a finalidade de mostrar alguns princípios observados nos degraus mais básicos. Os seres humanos fazem parte de toda natureza com certeza, mas um salafrário, apesar de parecer com uma erva daninha, ou um animal qualquer ladrão de galinhas, deve ser tratado como uma pessoa e assumir o que faz. Se fosse no galinheiro, teria uma armadilha. Na plantação a enxada faria o serviço.

Mas pessoas ainda tem a possibilidade de melhorar, o que em hipótese alguma significa baixar a cabeça e deixar que façam qualquer coisa. Quem tem de melhorar são ELES. Você precisa aprender a negociar e deixar de ser prejudicado nestas situações.


.'.
Leia também:
.'.

Leia outras matérias relacionadas clicando nas tags abaixo:

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Quanto? Quantas? - Atração Tipo Fatal Afasta Juíza

Referente a matéria da Conjur: Juíza acusada de grampear telefone de ex tem HC negado:
"...durante inspeção na comarca de Presidente Epitácio, juízes da Corregedoria Geral da Justiça encontraram uma série de irregularidade na vara comandada pela juíza. Havia um número elevado de processos atrasados, despachos meramente protelatórios, delegação de servidores para atividades exclusivas da juíza e abandono injustificado durante o expediente normal.
    Segundo a denúncia, a juíza, depois do rompimento com o namorado, valendo-se das prerrogativas do cargo, oficiou à Telesp Celular. Requisitou interceptação de telefone do ex-namorado, mesmo não havendo nenhuma ação criminal contra ele. Além disso, condenou o pai do ex-namorado em ação penal, sem declarar-se impedida para o caso e negou todos os benefícios legais ao réu.
    Ela determinou, ainda, a abertura de três inquéritos policiais contra o ex-namorado, pelos crimes de ameaça, tentativa de homicídio e tentativa de estupro, mesmo sabendo que tais eventos não tinham ocorrido. Segundo a denúncia, “em nenhum dos inquéritos houve o menor indício de veracidade das assertivas” feitas pela juíza contra seu ex."

Meu comentário:

Imaginem o desespero da família deste Ex-namorado, vítimas de uma pessoa que cometeu uma série de crimes.
Imaginem o quanto devem ter pedido, gritado, implorado por alguém que lhes ajudasse.
Parece coisa feudal ou pior. Amplos poderes na mão de alguém que usou e abusou.
Pode até ser que o sujeito não fosse tão boa gente (não conheço), mas ainda assim, a vingança mascarada de justiça pelas próprias mãos, praticada justamente por quem jurou defendê-la é algo lamentável.

Temos muitos casos em diversas áreas que são assim. A pessoa vai pedir ajuda para quem?

Mulher quando está com ódio vai até as últimas consequencias ao ponto da total falta de escrúpulos.


Pior ainda se tiver algum poder.

Reclamar para quem?

Por isto talvez, algumas práticas espiritualistas que estudamos acabam sendo até bastante procuradas. Pelos mais diversos motivos.

Com certeza isto não substitui nenhuma das áreas das ciências humanas, são parte complementar e intangível, ligadas ao senso de cada pessoa.

Se for para ajudar a ter clareza, acalmar ânimos, encontrar paz de espírito, trazer luz para alguma situação e seguir em frente de forma mais harmoniosa na caminhada de todo ser humano pela felicidade e maior consciência, acho ótimo.

Mas não concordo quando o objetivo é obrigar alguém ou forçar a situações de origem mesquinha ou até mesmo por pura maldade.

Até mesmo porque o resultado nunca terá uma verdade ou um resultado com mérito. Será apenas opressão e não merece respeito.

Se esta pessoa chegou ao ponto de usar ao extremo dos recursos formais, só imagino quantos outros poderá ter usado.

Costumo avisar que se for para vingancinha de gente mimada, tipo levou um "pé na bunda" porque o namorado descobriu suas traições, não me peça ajuda para ferrar com ele. Nem para ferrar com um sócio e tomar sua parte, etc, etc.

Prefiro pedir luz para as situações. Você pode ter uma satisfação curta numa vingança destas, um longo tempo de amargura e como resultado, apenas tempo perdido e vidas estragadas. E sem nenhum respeito ou mérito.

.'.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Direitos Trabalhistas no Facebook

Foto: Chris Devers


Empresas não podem punir trabalhadores por discutir condições de trabalho nos USA.


O "US National Labor Relations Board" (NLRB) citou formalmente empresas por demitir funcionários que teriam falado mal de seus superiores no Facebook.

Os trabalhadores tem direito de se reunir e falar sobre suas condições de trabalho, mas claro que falar aberta e publicamente de seus superiores, colegas de trabalho e a própria empresa, podem ser antiético ou simplesmente muito arriscado.

Mesmo que seja a verdade, bom senso sempre é fundamental. Se seu chefe é um canalha que protege a amante incompetente (e ainda por cima feia!...risos...), ou a empresa apregoa uma falsa qualidade de trabalho ou dos produtos, os turnos são escravizantes, o salário ruim, enfim, seja o que for, sempre é possível se conversar sem atirar a podridão no ventilador de forma escancarada.

A NLRB sabiamente notificou as companhias que punem seus funcionários por se manifestarem publicamente em redes sociais, por estarem cerceando e violando os direitos dos trabalhadores.

Quem sabe o Ministério do Trabalho, os sindicatos, líderes empresariais e nossas cabeças pensantes observem isto também.

Falei em líderes? Bem, é fácil ser uma empresa grande. Difícil é ser uma Grande Empresa.

Veja a matéria no US Agency Challenges Corporate Facebook Sacking.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Boa idéia: Cachaça 51 tira concorrente do mercado europeu


Produtos parecidos nem sempre são a mesma coisa.

Conforme matéria publicada no Conjur, a  Companhia Muller de Bebidas, fabricante da Cachaça 51,  conseguiu que fosse cancelado o registro na Europa da marca de aguardente também brasileira 61 A Nossa Alegria, devido a semelhança das marcas.

Meu comentário:

A infestação de produtos "parecidos", em praticamente todas as áreas, é um dos grandes problemas para o consumidor. Embalagens semelhantes e nomes parecidos, mas para produtos de qualidade e quantidade diferentes, são verdadeiras arapucas para o consumidor.

Fazem anúncios comparando preços, por exemplo, mas não contam que o conteúdo é menor, ou que precisa o triplo do produto para ter um resultado ainda inferior.

As gôndolas dos nossos mercados estão lotadas de arapucas, fabricadas por empresas que preferem o comodismo de tentar imitar os líderes, ao invés de buscarem seu próprio nicho de mercado pelas suas próprias habilidades.

Tenho certeza de que muitos produtos poderiam ser melhor vistos no mercado se fossem apresentados de forma mais autêntica.

É rídiculo um produto projetado para ser de alto consumo, custo baixo e qualidade dentro de um certo padrão mais baixo, ser comparado com outro feito para um mercado mais caro ou sofisticado.

E claro, temos vários produtos que se enquadram numa certa faixa, mas ainda, terão suas características próprias. Não existe um gosto único para tudo, assim como a expectativa de resultados é diferente de acordo com o consumidor.

Tem lugar para todos na minha opinião. Quem não é o melhor, pode ser o mais vendido.

Por exemplo, conheço pessoas que preferem detergentes líquido mais aguados (e mais baratos), simplesmente porque costumam colocar uma quantidade enorme na esponja. Não adianta trocar a marca, é um costume que preferem manter. Atitude desleixada, mas é uma escolha pessoal e isto já entra noutros problema, a educação e cultura do desperdício.

Voltando aos similares parecidos demais, lembrem, nem todos tem dinheiro para comprar bebidas importadas, mas ficam satisfeitos com uma sincera e bem feita bebida nacional.

(Ver  matéria original)


segunda-feira, 10 de maio de 2010

Castração Química Não Impede Estuprador

Meu comentário para a matéria do site Conjur:Não há terapêutica carcerária que recupere um estuprador


A castração química ou física não impede que o estuprador continue a agir.

Sem querer ofender os defensores da castração química, a pessoa ainda pode usar dedos ou outros objetos.

E também, me parece que mesmo com a líbido atenuada por uma medicação que poderá ser facilmente evitada, o cérebro estará bem ativo em suas fantasias e será capaz de importunar suas vítimas de alguma forma.

Por enquanto, a melhor opção que me ocorre, é a lobotomia.

Por favor, é hora de haver direitos humanos também para as vítimas.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Conjur - Catho é condenada a pagar R$ 13 milhões por furto de currículos

Vi agora:

Catho é condenada por furto de currículos na internet

Por Gláucia Milício repórter da revista Consultor Jurídico.

A Catho, maior empresa de recrutamento profissional do país, está obrigada a pagar R$ 13 milhões por furtar currículos da base de dados da sua concorrente, a Gelre. A determinação é do juiz Mário Galbetti, da 33ª Vara Cível de São Paulo. Ao analisar a ação, o juiz destacou que sob qualquer ângulo que se examinasse a questão, não haveria como deixar de reconhecer a prática desleal praticada pela Catho. Ainda cabe recurso da decisão.

Este processo não é o único que a empresa responde. Está tramitando, na mesma vara, processo da outra concorrente Curriculum. Assim, como a Gelre, a empresa alega que a Catho usou o programa batizado como "rouba.phtml", para capturar seus currículos e endereços eletrônicos nos sites.

No caso da Gelre, antes de analisar o pedido, o juiz Mário Galbetti pediu laudo pericial para confrontar as alegações das duas empresas. A Catho, para se defender, afirmou que não praticara nenhum ato ilícito. Contudo, no confronto de 3,8 milhões de endereços da Catho com os 499 mil da Gelre foram encontrados 272 endereços eletrônicos coincidentes, “sendo certo que a própria preferência assinalada nos documentos da Catho indica que estavam ali sendo extraídos do banco de dados da Gelre”, destacou o juiz.

Na decisão, Galbetti ainda escreveu que, conforme prova pericial feita nos computadores da Catho, foram encontradas troca de e-mails entre funcionários que recebiam bônus de acordo com a quantidade de currículos capturados da concorrente. “E se não bastasse, os próprios funcionários da Catho se auto intitulavam nos e-mails como “hacker” ou “craker”, afirmando que sua função era roubar currículos.”

Ainda segundo a decisão, a Catho utilizava o número total de currículos para fazer propaganda e captar mais clientes no mercado por ser a empresa com maior base de dados do setor. A empresa explorava o que denominava de vulnerabilidades ou falhas de segurança do site concorrente, copiando todos os currículos da sua base, registrou o juiz.

Por fim, para fixar o valor da indenização, o juiz levou em conta o valor cobrado pela própria Catho, de R$ 50 por mês, por currículo inserido. “O fato de a empresa ser uma das maiores, ou a maior do setor, somente torna ainda mais reprovável seus atos”, finalizou.

A assessoria de imprensa da Catho informou que a empresa vai recorrer da decisão.

Clique aqui para ler a decisão.

Matéria publicada no site:Conjur - Catho é condenada a pagar R$ 13 milhões por furto de currículos.

Meu comentário:

É fácil ser uma empresa grande. Difícil, é ser uma Grande Empresa.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Pirate Bay: Juiz não tendencioso mas em qual versão?

Meu comentário na matéria Revista Info: "Para Suécia, juiz do TPB não foi tendencioso"
"A corte sueca de apelação considerou que o juiz Tomas Norstrom não foi tendencioso..."
http://info.abril.com.br/noticias/internet/para-suecia-juiz-do-tpb-nao-foi-tendencioso-25062009-17.shl


Bem, tem vários pontos a serem observados.
Primeiro, mesmo que prove estar sendo técnico e objetivo, fica muito chato publicamente, pois gera amplas dúvidas quanto a credibilidade do sistema, pelo simples fato de que, queira ou não, o nobre jurista faz parte de associações amplamente contrárias ao assunto em julgamento.
Lembremos que a Lei talvez seja cega, como desejam alguns, mas os julgadores não.
Imaginem uma final de Copa do Mundo, digamos, Brasil e Argentina. Quem é que admitiria um juiz argentino ou brasileiro? Por maior que sejam as suas virtudes, e por mais acertadas que sejam as decisões e ponderações, estamos lidando com pessoas, sentimentos, opiniões e pontos de vista divergentes em vários aspectos.
Mas outra coisa importante, no assunto, é que o próprio pessoal do Pirate Bay, assim como muitos outros, tem dito:e preciso repensar a estrutura. Eu sugiro um amplo brainstorming em todas as áreas. Precisamos pensar. Empresas e desenvolvedores precisam faturar. Pessoal técnico precisa do seu salário. Artistas, escritores, todos mundo, precisa de estruturas operacionais que custam dinheiro.
Não dá para trabalhar de graça para quem simplesmente não quer pagar, começando por muitas empresas por aqui que acham que mão de obra especializada é grátis. E também não dá para sustentar preços muito divergentes, mesmo que justificados em boa parte.
Precisamos sim, pensar no como produzimos, distribuimos e somos renumerados.
Agora, se me dizem que devo produzir carro (de luxo) de graça, e tentar viver da eventual venda de gasolina, ou dar roupas e viver da venda de sabão, não dá. Não dá mesmo.
Sabemos que é necessário repensar a estrutura de negócios tanto quanto a de prestação de trabalho. Ressurgimento de feudalismo pelo quase monopólios locais de trabalho, e da implantação da senzala virtual (trabalhe sem direitos, ganhe muito pouco e não reclame por ter que se virar para fazer o que a empresa deveria fazer), indo ao ponto de que as próprias estruturas que fomentaram ganhos maciços estarem perdendo seus pontos forte, com toda certeza são indicadores de que a enchente já chegou, a avalanche já caiu, o vulcão já está em erupção.
A voz do povo é a voz de Deus é um ensinamento milenar chines. E neste caso, tanto produtores, quanto público, precisam repensar o modelo.
Pessoalmente, acredito que é possível sim chegarmos (sem tanta dificuldade) a uma abordagem ampla, em que mais pessoas poderão fazer seus negócios, e receber de forma justa pelo seu trabalho, tanto quanto será mais fácil poder pagar pelo que usarmos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...