English readers and other languages: Many posts are in portuguese, you can use the Translate button at left side.

Clique nas imagens dos artigos! Elas levam você para o site do artista que a criou e muitas
vezes tem assuntos relacionados ou outras imagens para expandir seus horizontes!
Mostrar mensagens com a etiqueta Direitos Humanos. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Direitos Humanos. Mostrar todas as mensagens

sexta-feira, 19 de abril de 2013

O escândalo vergonhoso de ser um pouco feliz pode custar seu emprego.


Para muitos é insuportável a simples idéia de que nalgum lugar, de alguma maneira,
alguém possa estar sendo feliz.
Imagem: Harlem Shake – CIn UFPE


"Harlem Shake em cartório no RS rende 6 demissões
Vídeo divulgado na internet mostra os funcionários dançando em cima de pilhas de processos. Tribunal de Justiça do RS considerou o episódio lamentável..."
Fonte: Revista Exame


"Dentro do fórum, no meio do expediente, a brincadeira não agradou. A juíza, pelo menos, não achou graça alguma. “É uma situação vergonhosa para o Poder Judiciário e temos que agora tomar todas as providências de forma a amenizar uma pouco toda a repercussão negativa que teve“, disse a juíza diretora do Fórum."
Fonte: Tribuna Hoje



Meu comentário:


O nobre desembargador com certeza parece estar desatento a questão da qualidade de vida no ambiente de trabalho. 

Cartórios são famosos pelo seu ambiente triste e pesado. E pela demora. Eu mesmo tenho um monte de coisa parada por estes cartórios e que vão e voltam dúzias de vezes do juiz. E o pessoal do cartório que leva a culpa. Mas eu sei que um mau ambiente de trabalho é o maior veneno para produtividade e qualidade. Esta é que é a verdadeira situação vergonhosa nos cartórios, o mau ambiente de trabalho de uma forma geral. Você conhece algum cartório com um ambiente um pouco mais leve? São poucos.

Então numa rara oportunidade em que se revelou que pessoas humanas (que tem emoções e sentimentos como quaisquer outras), teriam um pouco de vitalidade para interagir entre si e mostrar algo alegre, foram severamente reprimidos de forma autoritária. 

É certa a preocupação com o material de trabalho e acredito que a maioria das pessoas são responsáveis e capazes de uma brincadeira inocente de forma adulta e madura. 

Por outro lado, entre centenas, milhares de exemplos, incluindo até exercitos de muitos países, a NASA apresentou sua própria versão humorada do mesmo. 
Enquanto alguns carrancudos ficam escandalizados por ver alguém um pouco mais feliz, um dos mais altos centros tecnológicos do planeta mostra que todo mundo precisa rir um pouco. 

Não é com atitudes como esta que o judiciário vai resolver seus imensos problemas. Não adianta depois gastar uma fortuna do bolso dos contribuintes, em reuniões e campanhas tentando melhorar a imagem do judiciário. 


O judiciário precisa melhorar, mas não é no chicote que vai fazer isto. 

Pergunto: Não desconfiam que a punição foi um pouco demais para uma simples brincadeira? Em quem doeu tanto assim assistir um pouco de alegria natural? Não seria melhor então, se for o caso de preservar o ambiente de trabalho, de chamar as pessoas e aplicar a tradicional e costumeira advertência  ao invés de sair distribuindo porrada e chicotada?

E a segunda pergunta: puniram só os terceirizados, afinal, eles estavam no seu local de trabalho como a maioria dos terceirizados. E onde estavam os concursados?  (risos...)... brincadeira, conheço muito concursado que trabalha mesmo. Mas que ficou engraçado ficou. ôps, estou fazendo brincadeira...

.'.

domingo, 12 de agosto de 2012

Intelectual Indo Tomar Café da Casa de Cultura Mário Quintana

Desinteressment
Arte: Bujwid (Polonia)



Intelectual Indo Tomar Café da Casa de Cultura Mário Quintana
25/04/2004


Nota do autor: para evitar desespero aos nossos leitores, omitiremos todas partes que se referem ao uso do telefone celular em público e as respectivas questões de bom senso, não comentar em voz alta a vida alheia nem quanto ao gosto musical dos toques do telefone e nem sobre deixar tocar a tal música por longo tempo como se estivesse apreciando profundamente o sentimento metafísico e inspirativo genialístico que só os eleitos entendem.


Aproveitando um recente tópico de um intelectual falando mal de quem não é intelectual, repasso o interessante relato vivencial que nos foi relatado pelos "especialistas de provimentos de solicitações individualizadas" (garçons) do café da Casa de Cultura Mário Quintana, aqui em Porto Alegre.

O local trata-se de um dos "points" da intelectualidade, e com certeza, existem similares na maioria das grandes cidades.

O intelectual típico aparece no final do dia, geralmente após as 17h30minh até 18h, que é quando termina o expediente na repartição pública aonde trabalham. Isto já indica por si só que são exemplares seletos da casta que sabiamente optou por valorizar o dinheiro da família (ou de alguma entidade patrocinadora) e trabalhar, digo, estudar (decoreba) pelo menos uma vez na vida para conseguir aprovação num concurso.

Sempre trazem sua agenda moderna, e com o logotipo da empresa doadora discretamente apagado (ou raspado) da capa, além é claro, de algumas pastas com os famosos projetos...
Estes intelectuais costumam ter um monte de papéis que chamam de projetos, e muitos recortes de revistas e jornais de distribuição gratuita que corroboram suas teses.

Portanto chegam e sentam-se. Quer dizer, mostram que chegaram (sons de clarins) então começa a penúria do garçom...

1) Antes de sentar, escolhem atentamente qual a mesa mais adequada no recinto, visto ser necessário atentar ao fato de que uma eminente personalidade pública de renomada estirpe intelectual chegou ao local. Daí a necessidade de ficar de pé, se possível atrapalhando a passagem a de algum infeliz cliente ou garçom que por acaso tenha a pretensão de querer andar pelo mesmo espaço, normalmente suficiente para umas três pessoas, enquanto aquele que se considera um modelo para uma futura estátua em praça pública analisa. E "como" analisa o ambiente.

2) Após finalmente sentar-se, o garçom deve aguardar um bom tempo, até que a personalidade recém chegada se decida sobre quais pastas vai deixar em cima da mesa, e sobre quantas vezes vai abrir e fechar a agenda, enquanto coloca todo este material sobre a cadeira. Depois coloca de volta na mesa. Repete-se algumas vezes.

3) Finalmente após angustiosos minutos para os garçons, a distinta criatura faz um gesto quase imperceptível, mas que com certeza, caso questionado (um absurdo), ele terá toda gentileza de afirmar ter estado longamente de braços erguidos estando por aguardar a atenção do obviamente inepto garçom. E claro que comentará isto com seus colegas de ofício na primeira oportunidade.

4) Imediatamente atendido pelo garçom, solicita o "cardápio" ou "menu" como alguns preferem... Primeira vinda do garçom.

5) Recebido o cardápio, estudará detalhadamente todas as alternativas por alguns minutos.

6) Novamente efetua um longo e milimétrico movimento imperceptível para solicitar novamente a presença do garçom.

7) Atendido pelo garçom, é comum solicitar se teria um determinado prato do cardápio que está sem preço. Obviamente não tem, e a personalidade expressa seu descontentamento com um franzir de olhos ou um amplo movimento facial... (manda o garçom embora e continua a olhar o cardápio)... Segunda vinda do garçom...

8) Na falta de alguma alternativa atraente, então o distinto cliente, chama novamente o garçom, solicita "então só um café expresso"... Se for dia de pagamento, poderá pedir até um "capuccino"... Terceira vinda do garçom...

9) É servido o café expresso... Quarta vinda do garçom...

10) Como uma importante personalidade pública está deliciando-se com um dos melhores cafés do país, na mais importante casa cultural do estado, este deverá obrigatoriamente demorar uns 25 minutos entre saborear o paladar com o café, beber aquele minúsculo copinho com água, e apreciar demoradamente a demonstração culinária do biscoitinho que acompanha tudo isto...

11) Neste meio tempo, nosso importante exemplo da intelectualidade mundial, supra-sumo do conhecimento que precisa destes momentos merecidos de deleite e apreciação devido ao seu incansável sacrifício para a população mundial ao perdurar longamente na repartição pública, então aproveita para verificar sua agenda fartamente preenchida de importantes eventos culturais e rever outros tantos pontos dos projetos que estão nas pastas...

12) Sobem e descem as pastas da mesa para a cadeira lateral...

13) O garçom vem até a mesa neste período (por obrigação do ofício), para perguntar se o cliente deseja mais alguma coisa (se não vier o importante cliente vai pensar que está sendo desconsiderado)... Quinta vinda do garçom...

14) Se além de ser dia de pagamento dos salários, ou ainda, se por um raro acaso, estiver com alguém tão importante quanto ele (e também for dia do pagamento), poderá pedir mais um café... Sexta vinda do garçom...

15) Finalmente, depois de uns 30 minutos, outro gesto que seria interpretado incorretamente por pessoas comuns, como sendo uma coceira no nariz, indica ao garçom, que a nossa importante personalidade está requisitando atendimento novamente...

16) O garçom vem até a mesa. Então seu importante cliente... Pede a conta... Sexta vinda do garçom...

17) O garçom vai até o caixa, pede o boleto... Este é emitido rapidamente, mas o garçom deve aguardar precisos minutos ou o cliente pensará que estão com pressa para desocupar sua mesa para alguém de nível intelectual inferior.

18) O garçom volta à mesa com o boleto, naquele pratinho tradicional... Sétima vinda do garçom...

19) Obviamente o garçom apenas entrega a conta e retira-se de volta ao balcão...

20) Infelizmente, personalidades ilustres não andam com porta-moeda, sempre esquecem daquelas coisinhas tão sem importância, por isto paga com uma nota de R$ 10... Se for dia de pagamento, será uma de R$ 50...

20) Nosso importante exemplo da cultural mundial chama novamente o garçom para efetuar o pagamento...  Oitava vinda do garçom...

21) O garçom retira o pagamento e dirige-se ao caixa para comprovar a emissão do tíquete (necessário para que o cliente verifique se foi cobrado algo adicional) e para receber o troco necessário...

22) O garçom retorna à mesa, entrega o troco ao nosso exemplar modelo da humildade intelectualistica tão amplamente importante para o universo que ainda é capaz de escutar o garçom agradecer e ainda fazer um comentário citando um importante autor relativo ao advérbio utilizado... E finalmente fazer um gesto de condescendência ao serviçal que lhe trouxe o café... Nona vinda do garçom...

23) Se acaso estiver chovendo, acontece uma estranha descontinuidade neuronal que afeta a capacidade intelectiva ligada às necessidades práticas, como capacidade de locomoção, escolher o ônibus certo e saber fazer cocô sozinho, causando com que o intelectualóide (o cliente em questão), subitamente perceba-se numa situação em que necessita decidir em pelo menos 15-20 minutos como proceder para pegar suas coisas e sair.

24) Se não estiver chovendo, nossa personalidade artística facilmente tomará seu rumo em menos de 10 a 12 minutos...


Moral da história: Chamar NOVE vezes o garçom para tomar um cafezinho e depois acham que os outros é que são grossos mal educados e sem cultura?

E por último, muitos destes são justamente aqueles que aparecem falando mal do país, do povo, das pessoas. Em toda parte.

.'.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Fotos Roubadas: Apedrejem as Vítimas

Interessante como a questão do roubo e divulgação das fotos íntimas de uma atriz gerou uma onda de manifestações condenatórias.

Um verdadeiro festival de moralismos em que aparentemente, ignoram que ela foi roubada. Teve sua vida invadida e algo que é de caráter pessoal foi exposto em público.

Conentei a pouco no artigo da Conjur: As fotos da atriz e o elogio do decoro escrito pelo Carlos Costa

"No início dos anos 1960, fui estudar em um seminário. E os padres e professores insistiam no que se chamava de “decoro”, com recomendações de não se expor em público (ou seja, não se pentear ou cortar as unhas na frente dos colegas), a subir escadas sem saltar degraus de três em três, a cultivar o que se chamava de bons modos. E uma nota era lançada no boletim quinzenal sob o título de “urbanidade”.
...
...
No entanto, hoje, constrangidos, subimos no elevador em companhia de jovens casais que se agarram em beijos derramados, sôfregos, lúbricos — algo que em outros tempos se fazia, quando se fazia, a portas fechadas. Alguém poderá dizer que são coisas da modernidade, mas volto a pensar nessa falta de decoro que se tornou uma das marcas dos dias atuais.
... ...

O recente episódio das fotos da atriz Carolina Dieckmann faz parte desse cenário."

Meu comentário:


Alguns aproveitam para inverter a situação  e despejar uma torrente reprimida de moralismos condenatórios.

Aliás, quantos destes fazem parte da famosa escola "moralismo de cuecas"?

Será que são "santinhos assim"?

Quantos vi nestes dias, babando na frente do computador, procurando fotos e ao mesmo tempo criticando e acusando? Se não gosta por que querem tanto ver?

Isto é perversão de quem critica mas demonstra desejo pela vítima.


Quem muito grita geralmente tem algo a esconder. E neste caso grito é prova de falta de argumentos.

Quem muito critica os demais, costuma estar mostrando suas próprias fraquezas.

Em certos países ainda hoje, em pleno Século XXI, se uma mulher for estuprada ela é acusada e punida, geralmente de forma terrível, chicoteamento e até com a morte por apedrejamento.


Leia também: Apedrejamento: Manifesto


A vítima é punida, acusada. Pedras virtuais machucam também.

Abençoam e elogiam a fofoqueira do bairro que vai na missa todo domingo, mas passa todo tempo despejando veneno! E pior agora está ganhando terreno pois agora usa a internet para se intrometer na vida dos outros?

Estão construíndo templos ao vício da inveja, da fofoca e da repressão!

Condenem Romeu e Julieta!

Cadê o senso de humanidade? Cadê o senso de Justiça quando um profissional desta área mistura totalmente a agressão com crítica moralista sobre questões de fôro íntimo?

Antes de usarem os argumentos da religião que praticam, lembrem que muitas religiões consideram sexo pecado, algo horrível e que a mulher é considerada como coisa do diabo e que tudo é culpa dela.

Critiquem.
Mulher estuprada por polícial no oriente.
Algum pervertido quer reclamar
porque ela aparece em trajes menores?
Foto: Keen Observer9
Quantas mulheres violentadas deixam de ir a policia por medo  de sofrer nova violência por parte das "autoridades"?

Existe uma clara distinção de assuntos aqui e que precisa ser observada.

As pessoas tem vida íntima e o que um casal faz na sua intimidade é de caráter pessoal.

Existem os que usam da internet e participam em sites de exibicionismo. Mas só entra lá quem QUER. De maneira ampla e geral, ninguém está se colocando no meio da rua para afrontar. São locais reservados. 

Mas historicamente, as fofoqueiras do bairro, os mexeriquentos, os que anseiam por dominar até o mais íntimo pensamento das pessoas, insiste em se pendurar na janela e apregoar regras e falar mal dos outros.

Hoje as carolas e fofoqueiras usam a janela da internet para invadir a vida dos demais.

O artigo em princípio, fala muito bem sobre uma coisa importante, a urbanidade, o convívio em sociedade. Isto vem da família e de cultivarmos bons valores.

Conviver com as demais pessoas tem a ver com respeito mútuo e consideração. Caráter, bons costumes. Higiene, respeitar o espaço dos outros.

Mas é muito diferente uma pessoa ser roubada! Alguns aproveitaram para criticar a intimidade desta pessoa. Essa pessoa e outras, não estão colocando suas coisas num objeto pessoal, o computador, e com isto se oferecendo para o mundo. Ela foi roubada. Seria o mesmo que dizer que não posso colocar minhas cartas no cofre forte do banco porque estou me oferecendo a exposição pública caso o cofre seja arrombado e os ladrões publicarem minhas cartas.

Então cadê o direito de intimidade, de preservar o que é seu?

Vamos adotar a tirania e invasão da intimidade das negras eras feudais ou dos regimes totalitários que punem até com mortes cruéis e verdadeiros atos animalescos, qualquer pessoa que esteja fora de um suposto ideal de perfeição?

E quem são estes seres "perfeitos" que condenam os demais? 

Nada a ver com o comportamento de alguns que acham normal fazer qualquer coisa em público. Se um estuprador fotografar e divulgar fotos da vitima então condenam esta? Voltará a prática ainda existente nalguns locais em que a vítima de estupro é punida também? Credo!

Então qualquer um teria o absurdo direito de invadir uma residência e ainda por cima dizer que seu morador está errado em ter uma vida privada? Os tiranos adorariam colocar câmeras dentro das suas casas e controlar tudo, o que fazem, o que pensam.

Noutro artigo recente (link abaixo) comentei a respeito. É algo normal e bastante comum entre casais.

Infelizmente, os moralistas (será?) adoram se meter na vida dos outros e parecem sempre prontos a criticar. Que moral é esta que semeia a tirania e condena tanto?

Confundem roubo (crime) com ato de livre vontade.



Se eu concordar alguma colocação em que expõe que a invasão total da vida privada como sendo natural e algo que deveria ser aceito, eu estaria aceitando a tirania, a opressão.
Temos a histórica luta dos que se recusam a serem meros objetos, joguetes nas mãos de alguns que buscam impor seus valores pela força.

A repressão das mais básicas liberdades humanas é o mecanismo mais usado pelos tiranos, sejam políticos ou religiosos.

Se eu temer pela minha integridade pessoal pela possibilidade de algum pervertido sem escrúpulos me assaltar, e ser elogiado pelo seu ato criminoso, também temerei por tudo o que faço e deixarei de acreditar na justiça e na possibilidade de uma real evolução da espécie humana.

Eu estaria aceitando a volta da barbárie da era das trevas, das câmaras de tortura de tantos séculos que serviram basicamente para impor na marra, desejos egoístas e mesquinhos de dominação, de satisfação unicamente pelo jugo através da violência e incapacidade de aceitar divergências e por um imenso medo de que alguém nalgum lugar possa estar sendo feliz.

Se alguém acha que um cidadão que não faz nada fora da lei, não tem o direito de privacidade dentro de sua moradia, então me desculpem, mas é difícil imaginar em que tipo de valores ou caráter possa estar falando. Isto não é urbanidade, muito menos civilidade. São escravidão e tirania pura e simples.


Existem riscos e são verdadeiros. Não os ignoro em absoluto.

Veja, vamos para outro exemplo: Quem escala uma montanha está sujeito a diversos fatores de risco. Pedras soltas, falta de ar, avalanches, torcer um pé.

Nas minhas incursões vi pessoas se lesionando simplesmente porque não cuidaram de usar uma meia correta e amarrar direito o cadarço do calçado.

Mas ao invés de deixar de escalar ou fazer trilhas, aprende-se a dominar as técnicas para interagir neste ambiente hostil e ter o máximo possível de recursos disponíveis no caso de alguma adversidade.

É um risco real, e muitos consideram este esporte, uma tentativa de suicídio.

Mas ficar jogando dominó na praça também pode ser arriscado. Têm locais em que alguns se aproveitam da distração dos jogadores, ou simplesmente pode cair um galho de uma árvore.

Não é muito diferente da questão "urbanidade", assunto que dá a entrada no artigo.

Conviver em sociedade não difere muito com os cuidados necessários para andar pela natureza.

Simplesmente caminhar pela mata ou numa área montanhosa, sem cuidar do que se faz é um risco enorme.

Visite uma caverna e rapidamente vai ser lembrado de que o teto pode estar muito baixo, é preciso olhar para todos os lados. Cuidar muito onde pisa, pois as pedras soltas no chão não tem o assentamento causado pela chuva e vento. Podem estar equilibradas de forma precária. Ou estarem escondendo, da mesma maneira, um buraco profundo.

Temos paralelos com as tecnologias. Elas trazem conforto e muitas novas oportunidades.
Mas pode ser como deixar de andar pela mesma trilha e adentrar-se por labirintos desconhecidos.

Quem coloca música alto dentro do ônibus, perturba os demais. Mas também pode ser vítima dele próprio, ao deixar de ouvir um grito de alerta.


.'.

Leia também:

.'.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Direitos das Santas. E se fosse um Homem?

Foto: American Photo

Editado: Só para acrescentar este comentário. Tenho gostado das diversas manifestações. Todas elas, mesmo as mal humoradas e a mais machista de todas respostas que vi até hoje me chamando de machista.. Todas publicadas com certeza. Hey, repito o tempo todo que uso de humor nos meus textos esqueceram? (que Deus mal humorado é o seu?). E não coloquei Tag de humor aqui porque isto não é. Por favor relax, o assunto é sério, mas acredito que devemos encarar as coisas com Luz e não com ódio pré-julgado. E para quem perguntou se tenho "balls" (bolas) para aceitar o comentário, lamento, foi a coisa mais machista e preconceituosa que li nos últimos tempos. Moça, você É machista ao extremo!




Em relação ao artigo publicado no Conjur: Violência à mulher - Vazamento de fotos deve ser julgado como lesão corporal, escrito por Carlos Eduardo Rios do Amaral.


O artigo fala dos idiotas que publicam fotos íntimas de suas parceiras, como vingança machista pelo fim do relacionamento, ou por teres sido traídos ou algo assim. Claro que isto não tem nada a ver com fotos roubadas como acontecimentos que por vezes ocorrem.


Trecho inicial do artigo:
Casos que vêm ganhando grandes proporções e que crescem a cada dia nos Juizados de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher são aqueles em que o ex-namorado ou ex-companheiro, não aceita o fim do relacionamento e, para se vingar, despeja na internet) todo o acervo íntimo de áudio e vídeo do casal, muita das vezes mantendo relações sexuais ou em momentos de generosa descontração.
Poucos dias depois, tomando conta da indevida exibição feita pelo seu algoz, através de amigos, vizinhos e conhecidos, até mesmo de estranhos, o estado físico e mental da vítima é aflitivo e infeliz.
Nos diversos atendimentos que pude realizar de mulheres vítimas desses agressores, a constatação é inequívoca: a saúde da mulher fora atingida no seu âmago, irradiando-se o ato criminoso por todo o seu corpo, como um câncer agressivo e invasivo.
A totalidade dessas vítimas acaba tendo que se afastar de seus empregos, estudos e ocupações, desenvolvendo diversos tipos de doenças e crises emocionais, vivendo à base de remédios e de visitas a consultórios médicos, além de sessões com psicólogos. Muitas, no começo, mal conseguem sair de suas próprias casas, até mesmo para fazer o Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia.
Ou seja, o ex-companheiro conseguiu seu objetivo: reduziu sua ex a cinzas. Sabe esse carrasco que a mesma nunca mais será a mesma, pelos menos por um futuro razoável, suficiente para saborear sua vingança. Afinal, se “ela não for minha não será mais de ninguém”. É o velho mandamento do homem do paleolítico, que hoje vive disfarçado na sociedade sob o rótulo de machista, trocando o porrete pelo mouse.


Meu Comentário:

Com certeza nem toda mulher é safada ou santinha de família. Muito menos homem não é tudo igual como apregoam as que não deram sorte ou que só querem tirar vantagem ou são mal amadas mesmo.

Claro que expor fotos íntimas pode não ser desejável.

As pessoas podem  descobrir que você faz as mesmas coisas que as demais!

Mas É agressão mesmo.

A pessoa tem direito a sua privacidade.

Não tanto pela exposição, pois geralmente o tiro sai pela culatra e se torna uma imensa propaganda especialmente para a mulher. Ela é bonita, sabe ser carinhosa e você perdeu otário.

Mas a dor maior, é pelo ato de traição cometido por quem divulgou o material. Foram momentos bons que são depois transformados em pedras afiadas. 

Lembrem que muitas vezes, quem divulgou o material está fazendo isto por que descobriu ter sido traído, enganado. Ou seja, está respondendo de forma agressiva as agressões que sofreu primeiro. Não é legitima defesa, é uma reação por ter sido machucado também.


Para ambos isto pode ter sido o resultado de uma agressão mútua. As vezes julgam apelativamente o ato desmesurado da publicação das imagens, mas ignoram que antes disto pode ter ocorrido outros
atos por parte da mulher ou quem seja que tenha sido exposto.

Ou seja: a discórdia ou briga entre os dois foi a público. Quem nunca assistiu briga de casal em público? Tem cada coisa absurda...

Quem nunca viu uma briga de gritos em público atire a primeira pedra. Geralmente é uma baixaria, falam todo tipo de coisas mesmo que falsas com a intenção de ofender e até mesmo impor uma versão.

É a famosa "idéia" de que gritar mais alto vale algo.

Na prática, geralmente quem muito grita é porque geralmente não tem argumento, exceto o barulho.

Vamos observar que ocorre um processo de Ação e Reação.O pior extremo é quando isto se torna "olho por olho" até que todos fiquem cegos.


E claro, existem alguns casos em que a pessoa que divulga faz apenas para se exibir. Aí sim está a grande maldade, quando o objetivo é apenas alimentar a vaidade pessoal e deixa de ser resposta passional (perda de controle) para ser alguma agressão fútil ou sentimento egoísta de perda.
Neste caso, houve a intenção de prejudicar desde o início. Usa-se a pessoa exposta como troféu de uma conquista, usada e exposta em público como se fosse um bicho caçado numa armadilha.

Expor a vida íntima de alguém que foi sua companheira, parceira, amante é uma agressão sim, mas nem sempre vai ter esta conotação que o autor do artigo citado pretende.

Antes de um dano material, é um dano sentimental e isto já dói bastante. É uma agressão é claro, de teor íntimo que pode realmente ferir terrivelmente os sentimentos e levar a manifestações físicas.

Quem nunca sofreu por amor perdido não sabe como dói. A dor do amor não correspondido é terrível. E numa agressão como esta, torna-se um golpe extremamente duro.

Mas não confundam nem generalizem as coisas, por favor.

Esta dor também não tem nada a ver com as vinganças idiotas das mal amadas que maltratam, abusam e depois fazem questão de se vingar de qualquer coitado que tenha tido a infelicidade de cruzar seu caminho e tente escapar legitimamente das suas garras.


Existe sofrimento, mas não é da totalidade dos casos assim como escreve o articulista. Tem manipulação sim. Lamento dizer isto, mas é só ter pensamento coerente e observar. Manipulação acontece dos dois lados!


Lembrem-se da astúcia conveniente. Lembre do choro oportunista.  Estes imperam pelos tribunais do país.
Não são apenas os maus políticos que se fazem de bonzinhos quando estoura um escândalo.


Tem casos, como de uma garota com pretensão de modelo, que a muito tempo tinha muitas fotos sensualissimas em trajes e biquinis ridiculamente minúsculos divulgada por ela mesma em páginas de redes sociais. Um belo dia, a mesma apareceu na TV chorando por que "divulgaram" as fotos dela.
Mas eram as mesmas fotos que eu já havia visto muitas vezes publicadas a torto e direito por ela e o namorado quando estavam juntos.

Presenciei casos de mulheres que até espancavam violentamente seus companheiros, arrancaram os bens que eles tinham e não tinham e quando estes tentaram se afastar, ainda por cima foram acusados pela Lei Maria da Penha, que deveria proteger as vítimas e não as agressoras. Elas fizeram carinhas de choro e arrumaram uma "amiga" para sustentar o depoimento e pronto. Pelo menos neste caso, o juiz percebeu que havia algo incoerente e negou seguimento, apesar do estrago já feito. Num dos casos que fui testemunha pessoal, quase fui esfaqueado pela mulher duas vezes (tentando apartar a briga que ela provocou) e ainda por cima o sujeito perdeu até a própria casa que foi roubada por ela.

Teve outra que conheci intimamente em familia, que juntamente com seu marido era assídua praticante de trocas de casais em clubes de swing e coisas assim. Na separação, coisas foram jogadas em público. Na famosa hora da briga, lá estava a famosa carinha de choro, de vítima inocente.Que não era nem um pouco.


Falo isto para deixar bem claro que ainda existe sim, e muito, diferença de tratamento por parte do judiciário. Se os direitos são supostamente iguais, os deveres e responsabilidades com certeza continuam não sendo.



Voltando a questão das fotos pessoais.

Foto: •°o.OSassy ShotsO.o°•
Olha, é muito comum casais brincarem com fotos e vídeos. Faz parte da intimidade de um casal, namorados ou amigos. É absolutamente normal.

Convivendo com as pessoas, o que percebo acontecer é que a exposição indevida de fotos tem como resultado principal qualificar quem divulgou como sendo um idiota, canalha, bobalhão, enquanto que a pessoa retratada recebe uma publicidade.

Infelizmente é claro, publicidade muitas vezes indesejada.

Isto já ocorria anteriormente pela divulgação entre conhecidos de cartas e bilhetes picantes. Isto foi antes da internet, quando as pessoas ainda escreviam cartas. Já acontecia.


Muitas vezes, estas mulheres tornam-se heroínas para as demais. São as "poderosas" do grupo enquanto a pessoa que divulgou o que não devia, faz merecido papel de idiota e é publicamente ridicularizado.

Claro que sempre tem algum outro mais idiota que vai incentivar e apoiar, mas só porque quer ver mais fotos. Na verdade, observem, estes que "apóiam" desejam a mulher (propaganda) enquanto intimamente consideram o sujeito (pelo menos) um trouxa, ou um merecido "corno".


Foto: jazamo
Enquanto alguns carolas e moralistas condenam como de costume se intrometendo na vida alheia, o que se observa em boa parte das mulheres é a manifestação de que foi um ato no melhor estilo "fiz sim, estava com alguém que gostava", foi algo artístico. E ponto.

Entendam isso por favor: quando estão a dois muitas coisas lindas acontecem, então foi algo que foi apenas carinho mútuo.
Não vou falar que foi "por amor" por que simplesmente tem SIM muita gente que curte uma transa legal e está apenas se divertindo. A maioria das pessoas normais gostam de coisas assim. Ponto!
Fotos e vídeos que são publicados SEM autorização são uma fração realmente mínima de tudo que se faz. Que tal 0,000001%?? Mas ainda assim É uma agresão é claro. Mas sempre são feitas por idiotas De ambos os lados para deixar bem claro (sim, mulheres fazem isto também para deixar bem claro).


Por favor, não generalizem estendendo o assunto para esferas que tendem a colocar (de novo) a mulher sempre como coitadinha inválida e desprotegida.



Se a mulher divulgar fotos e comentários do seu (ex) companheiro com a intenção de prejudicar, com toda certeza o assunto será diferente.


E a famosa e histórica contrapartida feminina nem é considerada no artigo: as mulheres que na intenção de vingança, fazem sexo com todos os amigos dele e fazem questão de espalhar que o sujeito era ruim de cama, mesmo que antes fosse o "cara". Cansei de ver. Nojo.

Isto é geralmente aceito, mesmo que o cara fosse uma boa pessoa e a mulher uma mal amada IU apenas mais uma interesseira. Neste caso o comportamento lascivo chega a ser aplaudido. Se ela fizer algo assim, além de heroína entre outras mulheres e ainda ganha mais prestígio ainda entre os oportunistas que vão fazer fila para serem "usados".


Ilustração: Peter Gander

Estamos no século XXI meus caros! Então, chega desta balela de que mulher que faz o que quer é p*ta e homem é garanhão.


A mulher tem vida sexual tão ou até mais ativa que os homens. #falei.


Na hora de fazer, as mulheres são hiper-ultra-liberadas, mas na hora de assumir, volta a secular carinha de santinha enganada.


O idiota que faz uma coisa destas "é carrasco". Mas a mulher que historicamente tem uma conhecida capacidade vingativa terrível é tratada de "santinha", ou simplesmente esquecida do seu papel como no artigo citado.


Protejam as pessoas legitimamente agredidas. Considerem sim que as mágoas verdadeiras machucam e muito. Mas não generalizem situações.

Você só tem direito quando reconhece que o outro também tenho direito.

Homens e mulheres são diferentes e complementares.

Mas a santinha inocente em tudo, genericamente é um papel de muitos tempos passados.

Se eu ainda aceitar uma coisa destas, vou ter que pregar contra os direitos das mulheres, pois cada vez mais, mostram ser um acúmulo de privilégios e protecionismos sobre uma plataforma ilusória e conveniente: "a de se fazer de santinha".



.'.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Quanto? Quantas? - Atração Tipo Fatal Afasta Juíza

Referente a matéria da Conjur: Juíza acusada de grampear telefone de ex tem HC negado:
"...durante inspeção na comarca de Presidente Epitácio, juízes da Corregedoria Geral da Justiça encontraram uma série de irregularidade na vara comandada pela juíza. Havia um número elevado de processos atrasados, despachos meramente protelatórios, delegação de servidores para atividades exclusivas da juíza e abandono injustificado durante o expediente normal.
    Segundo a denúncia, a juíza, depois do rompimento com o namorado, valendo-se das prerrogativas do cargo, oficiou à Telesp Celular. Requisitou interceptação de telefone do ex-namorado, mesmo não havendo nenhuma ação criminal contra ele. Além disso, condenou o pai do ex-namorado em ação penal, sem declarar-se impedida para o caso e negou todos os benefícios legais ao réu.
    Ela determinou, ainda, a abertura de três inquéritos policiais contra o ex-namorado, pelos crimes de ameaça, tentativa de homicídio e tentativa de estupro, mesmo sabendo que tais eventos não tinham ocorrido. Segundo a denúncia, “em nenhum dos inquéritos houve o menor indício de veracidade das assertivas” feitas pela juíza contra seu ex."

Meu comentário:

Imaginem o desespero da família deste Ex-namorado, vítimas de uma pessoa que cometeu uma série de crimes.
Imaginem o quanto devem ter pedido, gritado, implorado por alguém que lhes ajudasse.
Parece coisa feudal ou pior. Amplos poderes na mão de alguém que usou e abusou.
Pode até ser que o sujeito não fosse tão boa gente (não conheço), mas ainda assim, a vingança mascarada de justiça pelas próprias mãos, praticada justamente por quem jurou defendê-la é algo lamentável.

Temos muitos casos em diversas áreas que são assim. A pessoa vai pedir ajuda para quem?

Mulher quando está com ódio vai até as últimas consequencias ao ponto da total falta de escrúpulos.


Pior ainda se tiver algum poder.

Reclamar para quem?

Por isto talvez, algumas práticas espiritualistas que estudamos acabam sendo até bastante procuradas. Pelos mais diversos motivos.

Com certeza isto não substitui nenhuma das áreas das ciências humanas, são parte complementar e intangível, ligadas ao senso de cada pessoa.

Se for para ajudar a ter clareza, acalmar ânimos, encontrar paz de espírito, trazer luz para alguma situação e seguir em frente de forma mais harmoniosa na caminhada de todo ser humano pela felicidade e maior consciência, acho ótimo.

Mas não concordo quando o objetivo é obrigar alguém ou forçar a situações de origem mesquinha ou até mesmo por pura maldade.

Até mesmo porque o resultado nunca terá uma verdade ou um resultado com mérito. Será apenas opressão e não merece respeito.

Se esta pessoa chegou ao ponto de usar ao extremo dos recursos formais, só imagino quantos outros poderá ter usado.

Costumo avisar que se for para vingancinha de gente mimada, tipo levou um "pé na bunda" porque o namorado descobriu suas traições, não me peça ajuda para ferrar com ele. Nem para ferrar com um sócio e tomar sua parte, etc, etc.

Prefiro pedir luz para as situações. Você pode ter uma satisfação curta numa vingança destas, um longo tempo de amargura e como resultado, apenas tempo perdido e vidas estragadas. E sem nenhum respeito ou mérito.

.'.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

O Direito de Beber

Um funcionário da Ambev foi demitido porque teria bebido cerveja de outro fabricante. Será que é de rir?
Matéria publicada na Conjur: Empregado demitido por beber cerveja de concorrente ganha indenização


Meu comentário:




Direção versus Gerencias

Já prestei serviço como terceirizado para a Ambev, e fui colega de um de seus ex-diretores, bem como conheci pessoas que lá trabalham(ram). O que pode ter ocorrido, e é comum, é que a diretoria tenha uma percepção dos acontecimentos e baseia-se na confiança que deve(ria) existir entre os departamentos.
Porém, nem sempre as atitudes de um estão de acordo com o coletivo. Acredito na real possibilidade do ocorrido, o que é com certeza muito desagradável e deve ser severamente repreendido por caracterizar mais do que assédio moral, mas uma verdadeira afronta as liberdades pessoais duramente conquistadas pelos povos em séculos lutando contra a escravidão.
Também é possível que tenha sido algo a nível de departamento, que evolui de forma negativa dentro da empresa.
Já comentei, sobre noutras áreas, que muitas vezes falta justamente colocar o nome dos supervisores/gerentes responsáveis diretamente pelo ocorrido. Muitas vezes, apesar da responsabilidade que é própria, diretores/presidentes não sabem do que se passa.
Vide o caso das telefônicas em que gerentes anônimos criam programas que esculhambam com o mercado e ficam anonimamente contemplados com a impunidade de seus atos.

Certas punições deveriam ser solidarias. Empresas que tenham uma boa índole poderiam assim se destacar pela REAL qualidade de seus atos.

Por exemplo, um gremista não muda seu caráter por estar no restaurante de um colorado e vice versa.
.'.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Tabaco: Quem não gosta pode mais que os outros?

Foto: ConceptVessel

Faz uns dois anos, comentei sobre uma matéria da Revista Info, que alardeava certas grandes empresas que inventaram de falar abertamente que preferiam contratar criminosos do que fumantes. A questão certamente é difícil de abordar, pois o nível de preconceito e os disparates da matéria eram de assustar qualquer um que pense dois segundos antes de se submeter a qualquer coisa. Vide matéria e links para o artigo original: Quem não contrata fumante o que é?

Bem, como tudo pode ser piorado, este ano apregoaram noutro artigo, que não querem gordinhos além dos fumantes. Mulher feia então nem se fale. E claro, deixaram em aberto para quem quiser entender bem claro, que as pessoas são e serão discriminadas sim.
A barbaridade preconceituosa, digo, a matéria do Luiz de França foi publicada na Revista Info, Vai ficar mais difícil para fumante e gordinho.

Segue meu comentário, em que retomo alguns pontos citados na matéria já citada no início.


Novamente deixo claro que estou dando MINHA opinião. Ao contrário de muitas pessoas, não me considero um juiz universal muito menos acho que sou o dono da vida dos demais para impor e exigir que façam algo só porque me satisfaz.


Que mundo é este?


Engraçado. Parei de comer carne e todo mundo reclamou porque eu não era mais parceiro de churrasco.
Parei de beber aí a coisa ficou feia, pois deixei de ser companhia nas festas.
Parei de fumar fazendo terapia shamãnica e me consideraram louco de vez.
Aprendi Yoga, meditação, espiritualidade, bioenergética, e mais todo o desenvolvimento profissional e nada pelo jeito dava muito resultado.
Olha, as pessoas tem direito de opção. Se você um dia faz algo porque isto ou aquilo, pode ter certeza que amanhã outro DEFENSOR DA MORAL E DOS BONS COSTUMES DA VIDA DOS OUTROS vai estar pegando no seu pé.
Querem salvação? Deixem as pessoas pedirem para se se salvar.
Só falta saírem DE NOVO batendo com a bíblia na cabeça das pessoas como aconteceu muito fazem poucos anos.


O artigo fala de que empresas economizaram milhões (como adoram falar números grandes né?) cortando gordinhos e fumantes. Mas NUNCA falam quanto que perderam em produtividade, ou se passaram a gastar mais tempo em processos e reprocessos por perderem pessoas que eram bons profissionais e foram substituídos por vários novatos ou com menos capacidade. Também não falam se passaram a pagar mais caro em propagandas e comprar estatísticas para provar que tudo está "lindo".

Gordinhos e fumantes na mira! Vocês são doentes seus gordos e fumantes feios! O artigo parece dizer que vocês não são da raça pura e saudável... (lembram dos discursos nazistas?)

Nos últimos tempos, a geração saúde aumentou com os ecochatos e estamos chegando nos "seletos saudáveis e bonitos".

Olha, típico papo de gente racista.
Vão se olhar no espelho!

Porque não falam do stress por pressões e cargas abusivas de serviço, ou do salário que não permite uma alimentação mais diversificada e de melhor qualidade, dos horários que não deixam tempo para praticar esportes regularmente ou conviver saudavelmente com a família?

Tratamento de marginal para gordinhos e fumantes? Acabaram então com qualquer mérito profissional de uma boa parte dos empresários, governantes, médicos, juízes, professores, doutores, etc, etc, etc

Por favor, os Exmos Juízes que estão acima do peso se manifestem pois correm o risco de perder o emprego por imcompetência gordural!

E como ficam filhinhos e filhinhas de papai que andam por aí vagabundeando, farreando, bebendo, se drogando, fazendo corrida nas ruas e matando gente? A culpa é do cigarro? Eles são evidentemente burros mas é por causa do cigarro ou por falta de uma estrutura familiar adequada que lhes ensine os mais básicos valores humanos, como o amor a vida e ao próximo?

Gordinhas de famílias "de elite" ficarão sem emprego também ou serão colocadas diretamente como chefe de alguma coisa?

Gente feia serão os próximos! A menos que a feia seja filha do chefe é claro.

Magros demais, mal vestidos, torcedores do Palmeiras, etc...


Prejuízos? E os ganhos cadê?

Falam sempre de "gastos com as pessoas", mas NUNCA falam dos GANHOS, nem da produtividade dos diversos grupos.
Pesquisa manipulada não vale! Ou melhor, é boa para os que não são cegos rirem muito.

Já teve outra matéria Não Contrato Fumante  já citada, sendo discriminatória, racista e defendendo um procedimento claramente anticonstituicional.

Literalmente escreveram que preferem contratar um fascínora do que um fumante. Sinceramente espero que nenhuma das mulheres ou filhas das pessoas envolvidas na reportagem tenham sofrido algum tipo de agressão, mas se houve, acredito que elas preferiam ter estado com um fumante pacífico do que com um bandido.

1984 de George Orwell está parecendo cada vez mais atual. Deve-se usar a roupa certa, frequentar a escola certa, usar o cabelo certo, a bebida correta, a comida adequada... Lembram da raça superior e toda certinha que o Terceiro Reich propagandeava? Lembram da contra propaganda feita e das conquistas sociais das últimas décadas?




Em maiúsculo: DESDE QUANDO OS ACOMODADOS E OS CONFORMADOS SE TORNARAM OS MAIS CRIATIVOS E PRODUTIVOS?

Gente conformada e acomodada é muito bom para fazer a mesma coisa, sem criatividade, sem iniciativa, sem preocupação nenhuma (até com a qualidade).
Gente acomodada, não reage a mudanças, mas também não se preocupa em melhorar o que faz. Criatividade para quê? Iniciativa para quê? Bobagem alguém deve dizer!
O que importa é que máquinas sejam todos, sem pensamento, sem vontade, sem iniciativa.
Uma nobre e pequena elite dominante intelectual é mais do que suficiente para tudo apregoam surdamente!

Olha, bons profissionais sabem muito bem a definição das coisas.
Fumantes sabem que fumar faz mal, gordinhos sabem que são obesos.

Mas os MAL EDUCADOS não sabem respeitar os outros. 

O bom profissional, uma pessoa de boas maneiras, de bons princípios, pode ser vegetariano ou adorar um churrasco.
O mal pode ser formado na FGV, em Harvard, pode ser filho do chefe, vir de famílias tradicionais ou ser amigo de infância do Papa.
É muito fácil vender consultoria jogando a culpa em todo mundo e não olhar para o próprio umbigo.

Falem em produtividade, falem em criatividade. Valorizem a qualidade de vida. MAS LEMBREM QUE AS PESSOAS TEM DIREITO DE ESCOLHA.

Pesquisas? Quem fez e quem pagou? E com qual interesse? Esqueceram que tem pesquisa de tudo quanto é igreja, partido ou o que for, provando que se você não é assim ou assado você é o próprio capeta?



Logo serão os mal-vestidos, os de esquerda, direita, centro-qualquer-coisa, os que gostam de algum estilo de música considerado burro, como os que gastam ouvindo coisas horríveis como pagode, jazz e Chopin.

Faz pouco o presidente da Nokia, empresa também citada na outra matéria (não gostam de fumantes), reconheceu que não conseguiram ser tão criativos com seus produtos e isto representou uma redução na companhia. Interessante não é?
Então cadê os grandes inventores que não quiseram ir trabalhar lá?
Por que não quiseram ficar sentadinhos numa cadeira???
Por acaso eu vos digo que pessoas mais criativas e produtivas tendem a não ser conformadas.Muitos não fumam, mas com certeza, não vão ser produtivos com uma coleira no pescoço.

Quando atirarem pedras nos outros, não fiquem espantados se estas pessoas não quiserem ir trabalhar nas suas senzalas, digo, empresas.

Veja: depende da profissão e da pessoa a maneira de cada um fazer o seu melhor.

Um dos mais famosos mestres ceramistas do Japão, pratica meditação, tem uma disciplina muito bonita. Mas só produz uma de suas famosas e caríssimas canecas depois de muiiiiiiiito tempo. Literalmente a disciplina dele pode ser chamada de "mania".

Não vou nem falar de alguns dos mais famosos projetistas, desenhistas, arquitetos, construtores, DONOS DE INDÚSTRIAS, e tantos outros, famosos por tem alguma opinião própria.
Apregoam em usar a roupa certa, as usar as palavras certas na entrevista de emprego!!!
Como é que eu vou acreditar numa entrevista de emprego destas se o entrevistador quer alguém que repita uma decoreba que não prova nada?
Que palhaçada é essa? Um artigo diz literalmente "Minta na entrevista e seja contratado"?
As empresas querem profissionais ou papagaios sem iniciativa?

Quanto falta para colocarem câmeras dentro das casas? Já existem empresas que tem câmeras na porta do banheiro, inclusive nas lista de melhores empresas para trabalhar.
MELHOR PARA QUEM?

Onde estão os verdadeiros grandes líderes empresarias?
Cadê as verdadeiras grandes invenções sendo colocadas em prática?

Lembrem que SEXO também faz mal para a produção. A menos que você seja a amante do chefe, neste caso, não conta. O resto que se dane e abaixe a cabeça, pois a lei não é para todos.

É muito fácil ser uma empresa grande. Difícil é ser uma GRANDE empresa.




Realmente existe uma seleção por pessoas bonitas, especialmente mulheres, ainda mais quando se trata de cargos para atendimento ao público.

Porém, graças a proteção da lei que é para todos, se alguém fizer uma discriminação tão pestilenta e cheia de preconceito, racismo, discriminação, humilhação, etc como tem sido alguns artigos (incluindo estes citados e outros bem recentes), certamente o judiciário vai cair em cima.

É bem parecido com o que houve nos anos recentes, com várias igrejas apregoando aos gritos que qualquer um que não fosse da igreja deles seria ligado ao demônio e coisas piores.

Tratar de forma tão abjeta pessoas demonstra além de uma arrogância pessoal inimaginável, uma falta de trato e uma manifestação de pensamento até animalesco, ao se outorgarem sabe-se lá que direito, de considerar qualquer um como sendo doente, pestilento, ou sabe-se lá o que.

Então posso chamar estes de loucos dementes? Alguma neurótica, sociopata, psicopata, pervertida, maníaca ou sabe-se lá o que, me diz que sou doente porque fumo?

Einstein e Freud foram completos lunáticos graças a deus! O que dizer de mimadas patricinhas e mauricinhos com suas neuroses escandalosamente atiradas em público e gerando sabe-se lá quantos problemas sociais, pela mesquinharia, cobiça, falta de respeito com a vida alheia, etc?

Hitler, Mussolinim, Nero, Calígula e outros grandes donos da verdade devem ser seus ídolos.

Primeiro vão cheirar seus carros fedendo a imundos desinfetantes e recheados de motoristas bêbados, que saem alegremente de locais abertos em que se proibe de fumar, mas não se proibe o assédio, as agressões nem o entorpecimento doentio dos sentidos ao ponto de sairem atropelando pessoas até em cima da calçada e acharem que é normal!!!

O descaramenteo da discriminação já é tão vexatório que está na hora do Ministério Público tomar providências ou então, liberem de uma vez para que todas seitas e igrejas saiam novamente as ruas batendo na cabeça das pessoas com uma bíblia para "fazer jesus entrar".
 
Fatos ocorridos, fatos repetidos.

As pessoas só tem direitos quando reconhecem que os demais também tem direitos.


Nota: Ministério Público, órgão responsável pela defesa dos interesses sociais de forma a garantir a cidadania em uma sociedade, e não apenas de uns poucos que se acham acima dos demais.


 .'.
Leia também:

.'.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Apedrejamento - Manifesto

É tão pervertido que especifica o tamanho das pedras e quanto
do corpo deve ficar de fora, para que o sofrimento dure mais.

As notícias sobre uma mulher que foi condenada a morte por apedrejamento no Irã, são pelo menos, a chance desta mulher ter uma morte menos violenta nalgum outro momento, ou como é comum de acontecer, simplesmente desaparecer.

Tento entender, como o islamismo, uma religião que tem nos seus escritos sagrados, algumas das mais belas palavras sobre a vida humana, tem dentro de si, tamanha crueldade e barbarismo.


Animalesco é o mínimo que posso pensar sobre tais atitudes. Mas observando um pouco mais, pelo tamanho da reação que certos assuntos causam naqueles povos, a coisa mais parece uma imensa aberração sexual, típica das maiores perversões.

As leis de cada país a muito deixaram de ser apenas coisas resolvidas a portas fechadas.

O mundo todo está em comunicação, e as pessoas não aceitam mais coisas como comprar produtos feitos pelo trabalho escravo, ou sentar-se a mesa de alguém que acha normal ficar mais de uma hora jogando pequenas pedras, para aumentar sadicamente o sofrimento de um apenado.



Homens e mulheres sofrem semelhante bárbaro e covarde martírio.

O Cristianismo, através da Inquisição praticou algumas das maiores atrocidades já vistas.

A culpa não é do estado se a religião é quem dita as regras.

Que mundo viveremos logo adiante?

Que mundo semeamos para nossos filhos?

Apedrejamento é uma ação tão pervertida quanto a pedofilia.
Covarde, cruel, bárbara, animalesca, primitiva e sub-humana.

Somos cidadãos do mundo, podemos dizer que buscamos uma vida honrada, ou apenas passamos um dia após o outros, inventando estórias para esconder nossos defeitos?

Alguns sites sobre o assunto, com textos e vídeos, inclusive de dissidentes. Opiniões políticas a parte, leia, olhe, pondere e chegue as suas próprias conclusões.

Atenção: os vídeos e imagens são realmente fortes.

Video of Stoning to Death 

6 Muslim Countries Inflict Death by Stoning

Afghan couple stoned to death by Taliban after their families turned them in when they tried to elope


Mais imagens no Google

.'.

Leia outros artigos relacionados clicando nas tags abaixo:

quarta-feira, 31 de março de 2010

Preconceito contra quem fuma e perdão para quem Mata

Estudo publicado no site ligado a uma igreja escancaradamente preconceituosa e perseguidora de qualquer linha que não seja a deles: "Não é da minha igreja é burro, não é da minha religião é do diabo! Faz sexo fora do casamento é pervertido!!!"

Mas sobre tabagismo, acho interessante que além das idiotices facistas que andam circulando, ninguém lembra que o pessoal inteligente pode consumir bebidas alcoolicas inclusive em lugares públicos, como bares e boates, e depois, além de incomodaresm os outros, saem por aí praticando barbaridades, brigas, violencias, e no transito matando de forma absurda.

Mesmo no meu tempo de não fumante, eu sempre preferi um tabagista por perto do que mais um bebado (a) chao por perto. Isto inclui os apreciadores de bebidas finas e os mais inteligente, porque bebado não tem condição social. E "puta bebada", pode ser qualquer patricinha também.... 

Acho gozado como colocam afirmações de quem é mais burro baseado numa sandice incrivelmente discriminatoria e tendenciosa destas. Algumas das pessoas mais burras que conheço são universitários, geração saúde, não fumam, praticam esportes, mas são de uma alienação total, falta de cultura e de senso social absurdos.


Inteligência não se mede pelo preconceito.

E eu nunca soube de alguém que atropelou crianças na calçada porque era fumante.


Então podem beber o melhor whisky, encher a cara com o melhor vinho, beber todas numa balada "XXXisquérrima", que isto vai ter muita gente elogiando, achando inteligente.



Link para a tal matéria:
Estudo (???) diz que fumantes são menos inteligentes

O que eu faço é no meu espaço, sem incomodar ninguém e não saio por aí pregando lição de moral de cuecas. 

A questão é ditar regra na vida dos outros. No meu comentário na revista Info (que está no link do comentário acima), fui claro em falar que este tipo de atitude é facista, é o mesmo que se intromete na vida das pessoas, é o mesmo que faz alguns acharem-se no direito de dizer que quem gosta de pagode é burro, quem gosta de música clássica é mais burro ainda e quem gosta de rock e new age pior ainda. Cada pessoa é um pequeno universo. 

Eu não saio por aí pregando que pintar o cabelo faz mal, ou que gostar deste ou daquele filme é coisa de retardado, ou que é preciso seguir tal moda para ser elegante, nem que toda loira é burra (existe pesquisa cientifica provando que é mas não concordo também), etc. 

Fumar faz mal sim. Comer alface demais também. Sexo faz mal e respirar pode ser perigosissimo!! 
O direito de um só começa quando este reconhece que os demais TAMBÉM tem direitos. Então se alguma pessoa quem nem conheço, enfia o nariz na minha cara dizendo que sou isto ou aquilo só porque ela não gosta do meu time, ou do meu cabelo, ou da minha crença espiritual, ou da roupa que uso, ou seja o que for mesmo que eu esteja no meu canto sem incomodar ninguém, vou considerar que esta pessoa não respeita outro ser humano. 


Tenho a MINHA opinião, que manifesto, mas não sou eu quem vai salvar o mundo, muito menos escrever uma matéria facista, discriminatória e racista do tipo "Quem não é concorda comigo é burro, se não for da minha igreja é satanista, se for loira é qualquer coisa". Ainda hoje, em pleno século XXI, pessoas são perseguidas e até assassinadas cruelmente só porque fazem algo que alguém acha que não deve ser assim ou assado. Isto se chama desejo pela escravidão. 

Cada um no seu quadrado. 

E eu não sou do tipo que fuma com criança no colo, muito menos dirijo bebado, nem frequento vernissages ou badalações de socialites ao mesmo tempo que ignoram ou negam ajuda para melhorar um pouco que seja, as condições de vida de outras pessoas. 


Falar do tabaco (que faz mal sim), usando perfume testado em animais (crueldade), ou usando produtos que agridem a natureza sem se importar, etc. é demagogia. Vejo isto toda hora. 

Dificilmente podemos fazer tudo que seja ecologicamente correto, é praticamente impossivel, mas o pouco que fizermos, deve ser com consciência. 

Eu não sou perfeito, nem pretendo. Mas não saio na rua perseguindo quem está quieto no seu canto. 

 .'.
Leia também:

.'.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Franceses andam se matando por causa do serviço

Enquanto a nossa Telefonica mata com a paciência dos usuários, na França os funcionários da France Telecom estão se suicidando.
Revista Info: http://info.abril.com.br/noticias/mercado/suicidio-na-france-telecom-choca-sindicatos-12092009-7.shl


Meu comentário:

É uma pena que vidas se percam desta maneira.
Acho que isto nos ajuda a lembrar, que nem sempre os demais países, tem qualidade de vida melhor para seus cidadãos.

E também, além das dificuldades profissionais, que outras carências estariam estas pessoas sentindo, para serem tão afetadas a ponto de fazerem do trabalho, sua única vida?

Acho que vou aproveitar para colocar uma assessoria personalizada para atendimento de mulheres francesas necessitadas de intercâmbio holístico profissional visando o reencontro da paz interior e a harmonia integral. Enviar cartas com foto.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Quem não contrata fumante o que é?

Art by: Rahma Kuloglu - Turkey

Quem não contrata fumante o que é?

A redatora Ana Lúcia Moura Fé publicou na INFO de 18 de maio de 2009, uma infeliz matéria com o título:  Não contrato fumante

A matéria começa assim:
"...De uma pilha de currículos, sobram dois candidatos com a mesma experiência e formação. Um é fumante, o outro tem antecedentes criminais. Qual deles tem mais chances de conseguir o emprego? O fumante, certo? Não, necessariamente. Para muitos empregadores, o hábito de fumar é pior do que ter sido fichado na polícia..."
Para isso, escrevi o seguinte comentário, que consta no site da revista. Observem que depois disto, poucos mais comentaram, e gostei do que disseram. Interessante é que os extremistas que pegaram pesado não se manifestaram, por que será?


Todos buscam uma vida melhor.
Foto: "Lady Pandacat"
Mas que barbaridade. Estamos no século XXI?
Cadê aquela balela toda sobre direitos humanos e tudo o mais?
Alguns grupos se achando uma raça superior, que são a fonte da única e verdadeira palavra divina e que por causa disto estão acima de todos os outros?
Não chegaram algumas grandes guerras mundiais, holocausto, apartheid e tudo o mais?

Desculpem mas vou dar MINHA opinião. Isto não quer dizer que as pessoas sejam obrigadas a concordar comigo, mas também não vou perseguir ninguém por causa disto.

Vejamos: Produtividade? Estão brincando né? Ou é mais uma daquelas sessões de "moral de cuecas"? (risos)
Acho a matéria sensacionalista, claramente discriminatória, preconceituosa e de quebra, dá espaço para que algum desavisado pense que tem direito a interferir na vida dos outros, em qualquer aspecto. E ainda, ao começar dizendo que um criminoso será melhor visto então, deixa bem claro o teor sensacionalista e claramente tendencioso, além de poder ser considerado como apologia ao crime.

Primeiro, fumar não é crime. Dirigir embriagado e matando gente é. Racismo é crime. Vender produtos maquiados é imoral e até criminoso. Mercadoria vencida, remédios adulterados, mentir para clientes, fazer falcatruas para tirar dinheiro dos outros o que é então??? Gente que está prontinha a puxar o tapete de alguém para se promover as custas dos outros então, é o que não falta.

Acho gozado que não leio matérias do tipo: "Não contrato fofoqueiros", "Não contrato puxa-sacos", "Não contrato gente frustrada", "Não contrato quem come carne", "Não contrato vegetarianos", "Não contrato pagodeiros", "Não contrato roqueiros", "Não contrato mulher feia"... (risos)

Quem é que está censurando? E com qual intenção? Este assunto é como o de alguns grupos que apregoam que qualquer um que não seja da mesma religião é devoto do diabo ou o próprio! (não estou falando dos americanos, nem dos evangélicos, nem dos sacerdotes hindus, ok? É geral!)

É como os que gritam que sexo é pecado, mas fazem todo tipo de coisa escondidos. Gritam que dinheiro é pecado enquanto faturam milhões e exploram de forma vil seus empregados.

Sugestão de filme: "Tempos Modernos" de Charlie Chaplin. Começa numa fábrica em que o operário tem que apertar parafusos sem parar todo dia. É tratado feito máquina e enlouquece. "Não sois máquina, homens é o que sois!"
É isto que as empresas querem de seus funcionários? Em pleno século XXI ainda temos que ouvir discursos míopes e cerceadores das liberdades individuais ao pior cerceamento atribuido ao estilo vitoriano? Tempo da escravidão (teoricamente) já acabou né? Ou será que a visão de humanos como bichos numa gaiola (para seu próprio bem) tornou-se politicamente correta?

Olha, área de produção tem serviço que depende realmente de atividades mensuráveis pelo tempo, além da quantidade e qualidade. Mas área de conhecimento, começa pela qualidade e produtividade. Mas em todas áreas a maioria das pessoas são profissionais razoavelmente competentes, trabalham direito e sabem das suas responsabilidades.

Qualidade de vida traz produtividade.
Isto inclui liberdade de escolhas pessoais
Foto: Amanda Mabel
.
Produtividade não se avalia pelo tempo que a pessoa fica grudada na cadeira, pelo contrário!

O bom lenhador não é aquele que golpeia com seu machado o tempo todo. O BOM lenhador é aquele que para, afia o machado e SABE escolher as melhores árvores.

Se uma pessoa não tem capacidade (ou gente no mínimo decente e competente) para avaliar alguém da área pelo seu serviço, mensurável por qualidade, quantidade, continuidade, rentabilidade e segurança do resultado, não merece estar nesta posição porque está provando ser insegura, inapta, despreparada, desatualizada e até mesmo incompetente conforme o caso.

Claro que você pode perder uma promoção porque não faz fofocas dos colegas para o chefe ou porque alguém acha a sua gravata h-o-r-r-o-r-o-s-a, ou porque tem mais experiência que todos estagiários novatos da empresa juntos, mas isto parece não ser tão importante.

Continuando, (enquanto os ecochatos gritam), as pessoas tem DIREITO a fazer intervalo no seu turno de trabalho. Seja da área de produção ou não. Antes de enfiarem o dedo na cara dos outros, é bom pensar.
Claro que a pessoa que fuma, ou que come chocolate em serviço, ou usa perfume, etc, tem que ter um pingo de bom senso (lamento, mas acho que falta em alguns pontos da matéria).
Falando sério, geralmente faço meu serviço de três a cinco vezes mais rápido que os demais, com um nível de detalhamento e qualidade muito elevados. Eu paro para fumar eventualmente, vou no banheiro, bebo um café, estudo muito, troco idéias e ajudo colegas. Faço outras coisas sim, e sempre converso sobre isto deste a contratação. E ainda pode sobrar bastante tempo porque trabalho para fazer bem o meu serviço e não para ficara tapando o sol com peneira. Se vier um idiota me encher o saco porque fumo vai ouvir bem alto para cuidar da vida própria se não tem capacidade para administrar. Meu serviço está normalmente bem adiantado e muito bem feito. Passo menos tempo fora da mesa do que muitos fofocando ou refazendo serviço mal feito.

Alguém citou sobre higiene? NOSSA que horror!!! Vocês devem conviver com gente relaxada que não sabe nem lavar as mãos. Conheci muita casa bonita que fede, o banheiro é um lixo, e os moradores são um exemplo de "porquice" (mas tem um carrão daqueles). Se o problema é esse, com certeza também tem problema de não puxar a descarga (coisa comum também em banheiro feminino), ou não tomam banho, ou comem muita comida que provoca gases, ou não sabem usar uma lata de lixo. Então, a TAL de higiene, é um problema de educação dos seus colegas, não do cigarro.
Conheço gente que bebe em lugares elegantes, aprecia boas bebidas e literalmente FEDE, mas não fumam.

Quer dizer que o funcionário de uma empresa destas (ou hospício?) pode ser seboso, mau caráter e fedorento? Se for ladrão, bandido, criminoso melhor ainda? Mas fumante não? (Isto é de rir ou chorar?) Só falta dizerem que assassinos, estupradores e pedófilos terão preferência!

Você deixaria sua filha, esposa ou mãe trabalhar numa empresa que dá preferência por criminosos?


Em tempo: Dar oportunidade de trabalho para quem errou na vida e quer voltar a ter uma vida digna e honesta é uma coisa. Estimular bandidagem contumaz é outra bem diferente.


Querem enganar quem?


Acho que essas empresas precisam urgentemente de uma reciclagem em valores humanos e também, em princípios básicos de higiene, como por exemplo, usar o banheiro, ou a cozinha do setor sem deixar um rastro de destruição e imundície.

De que adianta ter dinheiro para gastar em bolsas chiquérrimas se não tem sequer o mínimo de educação em convivência social?

Cheiro do cigarro? Puxa, que nariz sensível... Antes responda com sinceridade, quem sabe a sua empresa é daquelas que fedorenta a vizinhança toda ou polui e destrói rios? E o que dizer do cheiro do banheiro das mulheres? Ou colegas com mau hálito? E aquela música horrorosa tocando porque alguém da chefia acha l-i-n-d-a, obrigando as pessoas a colocar fones de ouvido para fugir do martírio?

Cigarro faz mal para a saúde? Claro que faz. E a comida industrializada que vocês comem? E aquelas porcarias cheias de tinta que dão para as crianças comer? Quem sabe eu também poderia achar que vocês vão se perder no abismo por causa da religião (ou falta dela) que vocês adotam, ou quem sabe, as perigosissimas roupas sintéticas que prejudicam a circulação nas partes íntimas? E as músicas alienantes que hipnotizam as pessoas para o consumo desenfreado?
Achariam bom se alguém levantasse campanhas contra todas essas idiotices humanas e lhe perseguissem pessoalmente?

E se chegam a descobrir que o CEO/CIO de seus maiores clientes/fornecedores são fumantes? Com certeza devem ter pesadelos horríveis com monstros de sete olhos devorando mocinhas virgens entre um cigarro e outro.

Olha, cigarro, religião, seja o que for: Este tipo de matéria abre espaço para que fanáticos também venham a meter o bico nas demais áreas da sua vida.

Faz mal? PUXA VIDA que novidade!!! Beber faz mal, comer faz mal, até respirar faz mal sabiam? Falta de sexo faz mal. Sexo demais faz mal. Sexo mal feito faz mal. E daí? 
Quando eu parei de fumar, o primeiro cuidado foi de evitar virar o típico ex-fumante chato, que acha que descobriu a Luz da Salvação e se mete a querer salvar o mundo todo. É uma escolha pessoal minha. Você só pode salvar a você mesmo. Se alguém estiver interessado, vai lhe procurar, não se preocupe, estou falando sério.
Voltei a fumar depois de quinze anos sim. E daí? As vezes fumo um bom charuto também. E daí? Eu não vou na sua casa dizer como você tem que viver. Eu não vou despedir você ou seu filho porque não gosto da sua música. Eu não como pimentão (planta satânica) mas não expulso ninguém da minha vida por isto. Eu não vou despedir você porque sou um maldito racista que se acha superior por causa da minha religião, cor da pele ou porque sou de um povo eleito dos deuses, ou sou rico e bonito, ou uma empresa que (ainda) não foi devorada por outro conglomerado internacional. Muito menos vou crucificar alguém porque come pimentão que além do gosto horrível, é uma coisa comprovadamente satânica.
Faltou sensatez na matéria. Se a pessoa sair de vinte vezes por turno, com certeza isto é problema, seja qual for o motivo da saída. Agora, falar como se o cigarro fosse a causa dos males do universo, é pura miopia.
Deve ter (com certeza) estatística para provar que cigarro afeta produtividade. E cadê as estatísticas sobre fofoqueiros, racistas, gente que puxa o tapete dos outros, falcatruas, etc, etc?
Sabem que existem três tipos de mentira? As pequenas mentirinhas (meu time é melhor que o seu, etc). Segundo, as grandes mentiras deslavadas. Terceiro: as estatísticas. É incrível o que uma estatística pode inventar e parecer provar. Escolha o resultado e faça uma estatística para provar.

Se a empresa não respeita o espaço das pessoas, imagino o que mais estão controlando. Só para lembrar é comum mal educados lerem e-mails particulares dos funcionários sob a desculpa de "segurança". Monitorar e inspecionar é uma coisa. Invadir e bisbilhotar em detalhes é assédio e coisa de fofoqueiros. Veja matéria: Araponga Web pode ser prejudicial para a empresa.

Fumar fora do prédio acho ótimo. Eu mesmo costumo fumar fora de casa. Agora, fumódromo com cerquinha, placas apontando, intimidando, isolando, muitas vezes de forma vexatória, chega a ser uma violência e desrespeito com as pessoas. Demonstra falta de maturidade para lidar com pessoas. Coisa de criança mal educada.

Cerceamento moral nunca é algo bom.

A perda de produtividade que alguns alegam, pode vir a ocorrer muito mais pela desmotivação e falta de respeito, falta de treinamento, poucas expectativas de progresso, más condições de trabalho, etc.

Nota: Algum tempo depois deste texto ser publicado em resposta ao absurdo total da matéria citada, uma das grandes multinacionais de telefonia, cujo nome é citado lá na matéria, explicitamente admitiu que estava muito mal por falta de.... adivinhem... criatividade! Pergunto: Que criatividade existe em funcionários tratados como macaquinhos amestrados e controlados por chicotes de pessoas neuróticas?

Então, continuemos...

Quem é mal tratado sem motivo justo, não se sente bem e vai de alguma forma dar um retorno equivalente.

As pessoas tendem a tratar como são tratadas. Então se você espera ser bem tratado, no mínimo, trate bem. Isto começa pelo respeito a individualidade de cada um.



Mas obrigar as pessoas a parar de fumar? Então posso achar que vocês deveriam ser obrigados a ter uma vida sexual saudável, transar toda semana como gente normal e não só para procriar feito bicho. E daí?

Todos deveriam ser obrigado a amar então! Os violentos não iriam gostar com certeza.

Ou quem sabe, que deveriam ser realmente celibatários (fazer sexo escondido não vale!) e meditar todos os dias comendo apenas uma porção de arroz integral com alface.

Fazendo um aparte, só para aproveitar o comentário. É muito comum observar que casais que só mantém relações sexuais com fins de procriação (de acordo com alguma religião), costumam ter filhos aos montes...

O que é bom para um, nem sempre é para todos.

Impor uma mesma regra de comportamento para dezenas de milhares não é o mesmo que trabalhar sózinho. Sociopatas costumam achar que não precisam de ninguém.

Você é o dono da empresa? Grande coisa! Estamos falando de grupos sociais, uma sociedade. A empresa pode ser sua mas você não é dono das pessoas!

A lei serve justamente para fornecer níveis mínimos de sociabilidade. Criminosos, são os que estão fora destes limites, os que não são cidadãos.

Quem não sabe viver em sociedade o que é?

Eu estou dentro da lei, não vou constrangir ninguém ilegalmente para forçar que minha opinião seja a única.

Ao citar nominalmente no artigo, as empresas estão assumindo publicamente pratica de discriminação. Interessante notar que algumas desta empresas grandes citadas estão perdendo mercado por falta de inovação. Gente acomodada não inova, só obedece.

É a mesma coisa recusar negros, mulheres feias, fumantes, loiras, etc. Se deixarmos, qual vai ser a próxima perseguição? Qual vai ser a próxima coisa a que alguém "cheio de boas intenções" vai querer obrigar?

É correto se meter na vida dos outros?
Chamar alguém de "pior que" criminoso só porque não concorda com a opção da pessoa? Isto é puro racismo.
Vou ser avaliado pela empresa, porque sou branco, preto, vegetariano ou não, e não pela minha competência profissional?

Estamos mesmo no século XXI mesmo?

Se uma empresa me avaliar desta forma, com certeza eu não vou querer estar nesta empresa, porque não respeita nem os direitos humanos mais básicos e muito menos a minha liberdade de ser eu mesmo.

Não adianta comprarem propaganda bonitinha, mentir nas revistas, pagar por prêmios de qualidade para os submissos, porque com o tempo, as pessoas vão saber a verdade de qualquer maneira.

O direito de uma pessoa começa quando essa reconhece que os demais também tem direitos.

Por favor pensem nisso.


*** Minhas opiniões são pessoais e não refletem necessariamente a opinião de meus empregadores.

 .'.
Leia também:

.'.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...