English readers and other languages: Many posts are in portuguese, you can use the Translate button at left side.

Clique nas imagens dos artigos! Elas levam você para o site do artista que a criou e muitas
vezes tem assuntos relacionados ou outras imagens para expandir seus horizontes!
Mostrar mensagens com a etiqueta Celebração. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Celebração. Mostrar todas as mensagens

terça-feira, 24 de março de 2015

Um Dia Especial

Nepal 
Photo: Martin Lion and Sebastian Gypser


It's A Special Day.
40 years ago I started an endless walk.
The great journey of spirituality.
A curiosity through a book, produced in me the desire to find out what was beyond the illusion of reality in which we live.
I met some of the greatest wonders and darkness and what is beyond the abyss.
To all my beloved Masters and traveling companions, my eternal thanks.
 

.'.

É Um Dia Especial.
Faz 40 anos que eu comecei uma caminhada sem fim.
A grande jornada da espiritualidade.
Uma curiosidade através de um livro, despertou em mim o desejo de descobrir o que estava além da ilusão de realidade em que vivemos.
Conheci algumas das maiores maravilhas e trevas e aquilo que está mais além do abismo.
A todos meus amados Mestres e companheiros de jornada, meu eterno muito obrigado.


.'. 

25/03/2015
 

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Dia Internacional do Amigo



Bem, esta pelo 20 de Julho, o Dia Internacional do Amigo.
Vou colocar este vídeo do YES como mensagem.
Primeiro porque acho uma ótima música.
Segundo, porque é uma versão acústica de um trabalho que mostra o quanto se pode fazer da mesma maneira, sem tantos acessórios.
E mesmo assim, ser fantasticamente sensacional como só aquela mensagem rápida e sincera de uma amigo de verdade consegue ter. Sabe quanto vale um simples "Oiiii!!!!"??
Ou como aquele simples café compartilhado a dois que pode ser tão intenso.
Terceiro, porque nem todos teus amigos te entendem, mas acham legal que você seja como é. Alguém é esquisito mesmo não é?
Quarto, pelos amigos que passam coisas boas e outras muito boas contigo. E continuam sendo teus amigos quando as coisas ruins acontecem.
Quinto, pelos teu amigos que continuam achando muito esquisitos os teus gostos, mas apreciam tuas qualidades.
Sexto, pelos que tem coragem de dizer que tu está errado e mostram o porque. Mesmo que tu não concorde.
Sétimo, pelos que tem coragem também de dizer que acham que tu está errado, mas porque não concordam com a tua escolha. Pode ser que eles torçam para outro time de futebol ou tenham outra religião!!! Mas não vão deixar de ser teus amigos porque vocês tem pontos de vista diferentes.
Oitavo, porque estes amigos todos, perto ou longe, mesmo que muitos anos sem estarem juntos, ainda pensam um no outro com carinho, pelas coisas boas e também pelas brigas. E se respeitam e valorizam e dão créditos a todos.
Nono, porque aconteça o que for, eles torcem pelo teu sucesso, tua alegria porque são parte do teu sangue, da tua vida.
Décimo, porque os amigos podem ter todas diferenças possíveis, mas sabem que só serão felizes quando todos formos felizes juntos!

.'.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

O escândalo vergonhoso de ser um pouco feliz pode custar seu emprego.


Para muitos é insuportável a simples idéia de que nalgum lugar, de alguma maneira,
alguém possa estar sendo feliz.
Imagem: Harlem Shake – CIn UFPE


"Harlem Shake em cartório no RS rende 6 demissões
Vídeo divulgado na internet mostra os funcionários dançando em cima de pilhas de processos. Tribunal de Justiça do RS considerou o episódio lamentável..."
Fonte: Revista Exame


"Dentro do fórum, no meio do expediente, a brincadeira não agradou. A juíza, pelo menos, não achou graça alguma. “É uma situação vergonhosa para o Poder Judiciário e temos que agora tomar todas as providências de forma a amenizar uma pouco toda a repercussão negativa que teve“, disse a juíza diretora do Fórum."
Fonte: Tribuna Hoje



Meu comentário:


O nobre desembargador com certeza parece estar desatento a questão da qualidade de vida no ambiente de trabalho. 

Cartórios são famosos pelo seu ambiente triste e pesado. E pela demora. Eu mesmo tenho um monte de coisa parada por estes cartórios e que vão e voltam dúzias de vezes do juiz. E o pessoal do cartório que leva a culpa. Mas eu sei que um mau ambiente de trabalho é o maior veneno para produtividade e qualidade. Esta é que é a verdadeira situação vergonhosa nos cartórios, o mau ambiente de trabalho de uma forma geral. Você conhece algum cartório com um ambiente um pouco mais leve? São poucos.

Então numa rara oportunidade em que se revelou que pessoas humanas (que tem emoções e sentimentos como quaisquer outras), teriam um pouco de vitalidade para interagir entre si e mostrar algo alegre, foram severamente reprimidos de forma autoritária. 

É certa a preocupação com o material de trabalho e acredito que a maioria das pessoas são responsáveis e capazes de uma brincadeira inocente de forma adulta e madura. 

Por outro lado, entre centenas, milhares de exemplos, incluindo até exercitos de muitos países, a NASA apresentou sua própria versão humorada do mesmo. 
Enquanto alguns carrancudos ficam escandalizados por ver alguém um pouco mais feliz, um dos mais altos centros tecnológicos do planeta mostra que todo mundo precisa rir um pouco. 

Não é com atitudes como esta que o judiciário vai resolver seus imensos problemas. Não adianta depois gastar uma fortuna do bolso dos contribuintes, em reuniões e campanhas tentando melhorar a imagem do judiciário. 


O judiciário precisa melhorar, mas não é no chicote que vai fazer isto. 

Pergunto: Não desconfiam que a punição foi um pouco demais para uma simples brincadeira? Em quem doeu tanto assim assistir um pouco de alegria natural? Não seria melhor então, se for o caso de preservar o ambiente de trabalho, de chamar as pessoas e aplicar a tradicional e costumeira advertência  ao invés de sair distribuindo porrada e chicotada?

E a segunda pergunta: puniram só os terceirizados, afinal, eles estavam no seu local de trabalho como a maioria dos terceirizados. E onde estavam os concursados?  (risos...)... brincadeira, conheço muito concursado que trabalha mesmo. Mas que ficou engraçado ficou. ôps, estou fazendo brincadeira...

.'.

sábado, 22 de setembro de 2012

Esteja com Quem Gosta de Você

Fique tranquilo, é um amigo meu filho.
Foto: Autor desconhecido. Localizada em página do Wimp.com no Facebook


Esteja com quem gosta de você. 

Nosso espaço mais próximo é sagrado.

Quando aprendemos a escolher quem pode estar nele também estamos praticando autoestima.

Cuidando da nossa autoestima também damos chance a agradáveis surpresas,
descobrir o belo que está por toda natureza.


.'.


21/09/2012
Gilberto Strapazon (Sw. Prabuddha)

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Roda do Mundo

Roda do Mundo

Por trás de todas as coisas há um Sol maior,
uma Luz que pode ser apreciada por aqueles que buscam o eterno,
verdadeiro, profundo e místico caminho que leva certamente à liberdade e,
a única forma de evitar que isto aconteça para você,
é evitar este caminho, sendo criativo e inventivo
como têm sido dia a dia com suas preocupações e restrições.
Você tem toda a possibilidade de esbarrar com Deus se estiver aberto,
mas também pode escolher seguir desviando-se dele
com suas desculpas infantis
e acreditar que seu status quo irá libertá-lo da roda do mundo.
A escolha é sua.

 
Sw. Gilberto Prabuddha
05/05/1995

.'.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Amor: Aviso! - Love: Warning!

Foto: Irinia G.

Say to a friend:
Be carefull. Love is contagious!

Avise um amigo:
Cuidado. Amor é contagioso!


Sw. Prabuddha
Buddhazine - Março/2001


.'.

sábado, 14 de abril de 2012

Comer Carne e Consciência: Entrevista com o Monge Genshô

Sem extremismos a vida é mais fácil.

Encontrei esta entrevista com o Monge Genshô, que aborda de maneira simples a opção de cada um sobre coisas da vida, buscando consciência naquilo que faz.

A entrevista original está no blog Vegetarianismo e Ética: Entrevista com o Monge Genshô

Abaixo a íntegra do texto:









Entrevista com o Monge Genshô

O senhor come carne? Os monges devem ser vegetarianos?
Sou vegetariano. Nos mosteiros a tradição budista é vegetariana. Mas a abordagem não é tão simples. O foco do budismo é o sofrimento, devemos tentar diminuir o sofrimento que causamos ao viver. Mas quando um monge é convidado a uma casa come o que lhe oferecem sem nada dizer. Quando mendiga e recebe comida também. Manter uma mente discriminativa e orgulhosa, achando-se superior por não comer carne é visto como uma atitude não compassiva. Na verdade eu ainda não consigo comer carne sem pensar, isto é uma falha minha e espero um dia ter atingido o ponto do mestre zen que mendigando recebeu comida de um portador de hanseníase (lepra), o polegar apodrecido do homem caiu em sua tigela, ele comeu sem pestanejar… Este era realmente um grande mestre zen.
De vez em quando, ouço que os monges budistas não comem peixe. O que me diz sobre este assunto?
Bobagem. Os monges não comem carne de nenhuma espécie dentro dos mosteiros. Nos mosteiros, não se matam animais para comer. Os monges não devem aceitar que se mate um animal especialmente para eles. Mas devem aceitar, sem protestar ou manifestar preferência, qualquer coisa que lhes seja oferecida pronta, inclusive qualquer tipo de carne.
Como se sente aquele que é vegetariano e budista em relação a uma criança passando fome?
A pergunta tem sentido, mas precisamos aprofundar.
Podemos perceber que qualquer ampliação do eu em direção ao mais abrangente é um ganho de consciência. A prática é a ampliação, não importa onde começa: importa seu processo de expansão, porque uma vez iniciado abrangerá cada criança faminta e ser sofredor sem distinção.
Se alguém sente compaixão, ela será em todos os casos uma ampliação. Para alguns, a compaixão
vai somente até os limites de seu próprio corpo. Para outros, abrange o seu próximo. Para a maioria, restringe-se àquilo que se vê; se não estiver vendo não se condói. Para outros, até os limites das fronteiras de seu país, de sua raça. É etnocêntrica e cessa com os diferentes; é fácil ver tais limites em ação nas guerras tribais e religiosas.
É muito difícil conhecer alguém que vê toda a humanidade como objeto de seus sentimentos. Para quase todos, a compaixão tem os limites da espécie humana, e não lhe dói um cavalo escravizado e o chicote que zumbe à frente da carroça. Tampouco os matadouros em que as ‘Auchwitz’ de animais funcionam. Para quem o planeta e suas pedras torturadas doem? E a finitude das estrelas entristece?
A dor por alguém de nossa espécie não desqualifica a compaixão por um animal, apenas demonstra até onde vai o limite da consciência. Quantos são incapazes de matar, mas permitem ou pagam para que outrem o faça? São mandantes e não se creem cruéis porque não agiram por suas mãos, apenas outorgaram procuração.
Quantos dizem não gostar de política, e deixam de influir nos destinos de seu povo deixando que outros decidam tudo por eles? Deixam que os outros decidam, até mesmo, os destinos das crianças de quem se apiedam, mas evitam olhar.
Assim, repita-se: qualquer ampliação do eu em direção ao mais abrangente é um ganho de consciência. Por esta razão, o voto do bodisatva fala em todos os seres sencientes como objeto da prática. Falharemos nesta incorporação inevitavelmente.
Mas ao fim, como ocorre com alguns monges que conheço, nenhum país, nem pessoa , nem comunidade, estará fora de seu objetivo. Essas pessoas percorrem o mundo em um permanente esforço de ampliação da compreensão para libertar todos os seres do sofrimento, por todos os meios possíveis, sacrificando, até o limite, seus próprios corpos. Isso porque sua compaixão quer abranger tudo que puder tocar.
Aí não há mais distinções estreitas para a mente iluminada, homem, criança, animal, ou rios e pedras.
Mas ao fim e ao cabo, a compreensão final mostrará a ilusão que mesmo o sofrimento carrega. É ilusão, mas dói naqueles que nela estão mergulhados. Por isso, os bodisatvas permanecem no mundo tentando acordar os seres até que este tempo cósmico se esgote. Eles sabem que o bem e o mal não existem, nem o certo nem o errado, nem a dor. Mas, para quem a sente, ela é angustiante e é uma alegria libertar qualquer ser de seu grilhão.
Já li várias vezes que não é recomendável uma dieta alimentar baseada em carnes, visto que algum ser vivo foi sacrificado para saciar nossa fome. Eu não como carne, mas fico pensando: será que nos alimentarmos com vegetais também não é uma forma discutível, já que as plantas também são formas devida? Se isso se confirma, praticamente não sobra nada. Como isso pode ser? Há como escapar desse ciclo?
Pergunta muito frequente. Resumindo:
1) O budismo não é em si vegetariano;
2) Em geral, a prática recomenda diminuir o sofrimento que causamos, já que é impossível viver sem causar sofrimento;
3) Nos mosteiros zen, a prática é uma comida sem matar animais de nenhum tipo. Em decorrência disso, muitos budistas são vegetarianos. Mas isso é prática pessoal, que cada um pode adotar se estiver inclinado a tanto;
4) Se um monge zen recebe carne para comer, ele nada diz e come. Se alguém diz que vai matar um animal para servi-lo, ele pede que não o faça;
5) Achar-se superior por não comer carne é visto como um erro de orgulho, falar sobre isso é discriminar.
O vegetarianismo de alguns budistas não é radicalismo? Afinal, quando comemos alfaces não as matamos?
É verdadeiro que a vida vive da vida. É impossível viver sem causar sofrimento. Como você deve ter notado no texto que citou do Lama Padma Santem, ele diz “budistas comem de tudo, mas no centro temos uma dieta vegetariana”. Eu o conheço muito bem e já comemos lado a lado muitas vezes. A idéia não é radical, é de que podemos diminuir o sofrimento já que estamos sempre causando o mesmo. Pelo menos no meu caso, não digo o que é certo ou errado. No zen não se pode fazer esta distinção.
Os que comem carne estão certos; os que não comem por compaixão aos seres que têm sistema nervoso(diferentes de alfaces) estão apenas sentindo a dor dos outros seres, tentando diminuir o sofrimento inevitável que viver causa. Estão, à sua maneira, certos também.
É apenas sua condição cármica que os faz sentir assim. Outros nada sentem quando caçam, por exemplo. Trata-se de sua condição mental. Por essa razão, você verá tantas atitudes como as do Lama, ou as dos mestres zen que aceitam comer carne quando lhes oferecem, mas que, em suas casas, praticam um vegetarianismo sem exibições.
Quanto ao fato de se verem os ocidentais como praticantes mais zelosos, os mestres orientais têm observado, pelo menos no zen, que um dia se virá do oriente para aprender no ocidente um budismo revitalizado. Trata-se da degenerescência natural que as escolas sofrem e da qual o próprio Buda falou.
Sim, todas as práticas têm a ver com religião, são os métodos de que ela se utiliza. Espero que você compreenda que não se trata de radicalismo.
Existe diferença entre matar um animal para comer, ou colher uma alface?
Procure mudar o foco para o sofrimento e não apenas para a palavra matar, que tem um significado mais simples. Quando você corta cabelos, ácaros podem se alimentar deles, bactérias idem. Você sofre quando seus cabelos cortados são consumidos? Não, porque não possuem um sistema nervoso como outras partes do corpo. Seria muito diferente se lhe cortassem um dedo para ser consumido. Assim, existe diferença entre uma folha de alface e um ganso de foie gras, torturado para produzir uma iguaria. Assim, considerando a dor que seus atos causam, você pode ver melhor as marcas cármicas que eles produzem.

No Dharma

Genshô



.'.
Leia também:
.'.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

O Direito de Beber

Um funcionário da Ambev foi demitido porque teria bebido cerveja de outro fabricante. Será que é de rir?
Matéria publicada na Conjur: Empregado demitido por beber cerveja de concorrente ganha indenização


Meu comentário:




Direção versus Gerencias

Já prestei serviço como terceirizado para a Ambev, e fui colega de um de seus ex-diretores, bem como conheci pessoas que lá trabalham(ram). O que pode ter ocorrido, e é comum, é que a diretoria tenha uma percepção dos acontecimentos e baseia-se na confiança que deve(ria) existir entre os departamentos.
Porém, nem sempre as atitudes de um estão de acordo com o coletivo. Acredito na real possibilidade do ocorrido, o que é com certeza muito desagradável e deve ser severamente repreendido por caracterizar mais do que assédio moral, mas uma verdadeira afronta as liberdades pessoais duramente conquistadas pelos povos em séculos lutando contra a escravidão.
Também é possível que tenha sido algo a nível de departamento, que evolui de forma negativa dentro da empresa.
Já comentei, sobre noutras áreas, que muitas vezes falta justamente colocar o nome dos supervisores/gerentes responsáveis diretamente pelo ocorrido. Muitas vezes, apesar da responsabilidade que é própria, diretores/presidentes não sabem do que se passa.
Vide o caso das telefônicas em que gerentes anônimos criam programas que esculhambam com o mercado e ficam anonimamente contemplados com a impunidade de seus atos.

Certas punições deveriam ser solidarias. Empresas que tenham uma boa índole poderiam assim se destacar pela REAL qualidade de seus atos.

Por exemplo, um gremista não muda seu caráter por estar no restaurante de um colorado e vice versa.
.'.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

O Isolamento Social na Internet Espia as Montanhas

Passu Gilgit - Pakistan
Foto: M Atif Saeed
Por um lado, a comunicação facilitada. Informações do mundo inteiro compartilhadas.

As pessoas tem mais contato, ou melhor podem enviar mensagens para as outras de qualquer lugar, pelo computador, celular, smartphones.

Mas que contato é este? Na verdade, o grande mural eletrônico de mensagens é alimentado por pessoas que cada vez mais estão passando boa parte do tempo olhando para seus aparelhos e cada vez menos para quem está do lado.

Relacionamentos acontecem a partir destes contatos. Diminuem os encontros por causa de um bate papo interessante, por um olhar ao nosso lado. Primeiro vem as palavras, sem entonação, ou enfeitadas com cores e desenhos que dificilmente expressam tudo que uma comunicação cara-a-cara permite.

É claro que é bom poder trocar mensagens, expandir horizontes. Mas o contato pessoal é fundamental. 

Outra coisa que acontece é a "cerca eletrônica". Levantaram-se muros cada vez mais altos.

Tem gente que não vai além do alcance do sinal do celular. Ir acampar ou explorar a natureza só se for aquela do parque lotado, perto de casa. Mata selvagem, nem pensar.

O excesso de disponibilidade de comunicação faz com que as pessoas fiquem mais próximas, numa mesma região geográfica, distantes entre si, apenas conectadas.

Aos poucos, começa a parecer aquela situação de até pouco tempo em que raros eram os exploradores que iam para as montanhas e locais remotos. E é nestes locais que estão algumas das maiores experiências para o crescimento interior.

A magia da vida acontece ao ar livre, dentro de nós. Podemos compartilhar informações, mensagens pessoais.

Mas é ao vivo que colhemos o dom da vida.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Beber Pode Ser Saudável e Ecológico

Uma Fonte de Água do Whisky (Western Highlands)
Foto: cjh44

Meditação e whisky combinam SIM!

Uma dissertação sobre o caminho do meio.


Whisky também é ecológico. O bom whisky digo.

As melhores destilarias estão situadas nas highlands ou em lugares sabidamente consagrados pela tradição ocultista, aonde existam fontes naturais de águas subterrâneas.

Todos sabem que nascentes assim, são locais energéticos, onde a manifestação das forças elementais e telúricas é elevada.

Desde a antiguidade, os druidas, bem como seus equivalentes por todos os locais do planeta, buscam as nascentes naturais pela sua força mágica e por ser um local adequado para a elevação do espírito, a realização de rituais e pelas qualidades curativas.

Portanto, beber whisky, em quantidade moderada é claro, por exemplo, não mais que uma garrafa ao mesmo tempo (risos...), é ecológico e natural.

Só para lembrar, Gurdjeff era famoso por fazer suas palestras em bares, onde bebia garrafas e mais garrafas de vinho sem ser minimamente afetado pelo álcool, o que era uma demonstração da capacidade de sublimação.


Fonte de água usada no whisky vindo de uma caverna.
Foto: The Yankee Guido


A energia da natureza, do vento, da água, do sol, está presente no que fazemos.

Oportunizar para uma relação mais harmônica, sem negar as boas coisas da civilização, é dar a chance a nós mesmos e aos demais, de uma vida mais plena.

Alegria faz parte da vida.

O ato de beber entre amigos, é um ato instintivo em todas as sociedades.

Propor um brinde, convidar para um café, até mesmo um copo d´água, são geralmente, a primeira manifestação de entendimento.

As pessoas quando estão em acordo, logo dizem: "Vamos beber a isto".

Então, vêm as diversas bebidas.

A primeira de todas é a água.

Depois vêm os chás e sucos de frutas.

Então chegam as bebidas festivas e as cerimoniais.

Houve tempo, em que as bebidas alcoólicas eram de uso exclusivamente espiritual/religioso.

Diversos povos ainda possuem algumas bebidas muito específicas, que se destinam ao trabalho espiritual.

Deve-se atentar que tais bebidas, são usadas dentro de um determinado contexto e jamais deveriam ser ingeridas sem o devido acompanhamento e orientação direta de um mestre realmente versado nas artes. E são muito poucos.

A bebida festiva, nas diversas nações, tem a finalidade de alegrar o espírito, deleitar o paladar.

E claro, como tudo, se o uso for incorreto, perde-se a oportunidade de um bom momento.

Conhecer como o bom whisky, um bom vinho ou uma bebida celebrativa é feito pode ser parte de uma viagem de características mágicas.


Gilberto Prabuddha.'.
28 de Agosto de 2003


Foto: D.Clow - Maryland
 

.'.

Leia outros artigos relacionados clicando nas tags abaixo:

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Imagem de Deus

Foto: Geirangerfjord - Wikipedia

O que está acima é como o que está abaixo. Macrocosmo, microcosmo. Onisciência, Onipresença.

Existe deus, existe aquele a quem chamam de Deus, existem deuses, existe o Todo e o Nada.

Talvez ainda os exemplos, os momentos, os sentimentos as melhores formas de imagem, ou simplesmente, de compreensão do incognoscível.

Olhe para a natureza, o Sol, a Lua, as estrêlas, os campos e florestas, as montanhas, o movimento das águas, os ciclos da vida, a alegria e a tristeza, os sentimentos, emoções, sensações, a percepção do tempo e a ausência desta, as manifestações materiais ou não.

A respiração, o carinho num afago de mão, a voz do seu chefe, os animais em todas suas manifestações, toda diversidade humana, a vida em todas suas formas nestes e noutros mundos.

Volte-se para si mesmo, a maravilha da existência em cada célula e todos seus muitos componentes até a mecânica quântica em nossos átomos componentes. As ondas de luz e de rádio conhecidas e todas as formas de energias para as quais a ciência comum não tem (ainda) meios de detectar, mas que o mais humilde dos sensitivos conhece profundamente e a fé atesta em tantas formas.

O cansaço, o prazer e a renovação pelo sexo, pela alimentação, pelo trabalho. A inspiração intuitiva. A inteligência maior na visão dos iniciados e na inocência infantil dos que se mantém sempre jovens.

O próximo passo, o estar aqui e agora, lembrar-se de si mesmo.
A imaginação e o entendimento do futuro.
A percepção e a visão sensitiva e abrangente.

Alguns chamam estas coisas de manifestações, outros de acontecimentos, outros simplesmente a chamam de vida.

Tudo isto É.

.'.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

O Fluxograma da Cerveja

Agora, falando em cerveja de verdade, você está indeciso sobre o que vai beber, ou é simplesmente um dedicado estudante dos prazeres desta antiga bebida?

Olha o que pessoal do www.geekologie.com encontrou:


 All Of Them!: A What Beer To Drink Flowchart é um fluxograma que inclui algumas das melhores cervejas do planeta. Nenhuma brasileira, afinal o site é lá de fora e eles não conhecem a Polar, que é uma das melhores por aqui.

Mas uma Guinness... uhmmm... estou aceitando presentes de Natal.


 .'.





Leia também: Beber Pode Ser Saudável e Ecológico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...