Clique nas imagens dos artigos! Elas levam você para o site do artista que a criou e muitas
vezes tem assuntos relacionados ou outras imagens para expandir seus horizontes!

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Se preocupe quando eu parar de me importar.

Autor desconhecido.
Fonte: Facebook.


Se preocupe quando eu parar de me importar.


As pessoas me perguntam porque fico triste e indignado com algumas coisas. Bem, acontece que sou humano e me importar faz parte de mim.

Não sou aquelas pessoas que fazem pose de perfeita e tem a vida toda enrolada. Pelo contrário, tenho todo tipo de problemas como qualquer um.
Assim como muitos, acho um saco aqueles terapeutas/espiritualistas/orientadores/etc que parecem não ter problema nenhum, se mostram ser totalmente resolvidas super-seguras em tudo e que na prática, não são nada disto.

Eu tenho os mesmos tipos de problemas que todo mundo tem. Todos. Em todas as áreas. Tenho problemas familiares, de relacionamento, financeiros, sexuais, profissionais, etc.
E fui muito a fundo nisto. E nas minhas vivências pessoais e espirituais pude experimentar coisas que poucas pessoas se arriscaram, mesmo que fosse apenas sair do lugar comum (o que é difícil para muitos). 
Então quando falo que me baseio nas minhas vivências, não é por ter lido alguma revistinha mística, ou um cursinho de duas horas como muitos fazem por aí. 
Quando falo que algumas vezes eu quebrei a cara, não foi só um contratempo. Pode ter sido algo muito doloroso. E antes que alguém pergunte, eu não sou masoquista.

As coisas acontecem na nossa vida. Dia a dia temos a oportunidade de novas experiências e mesmo o que seria cotidiano, as vezes se revela de uma forma inesperada e nosso mundo se transforma do dia para a noite. 

O que muda é a sua visão das coisas o que você faz com isto. E se tive oportunidade de vivenciar e expandir certas áreas, então em muitas coisas eu vou ver mais, sentir mais e tantas vezes, sofrer mais por causa disto. E noutras tantas, vou amar mais, rir mais, brincar mais.

E vou reclamar também. Eu não sou um ser hiper-iluminado e uma fonte de compaixão infinita como o primo Gautama Buda. Tenho emoções, sentimentos. E as vezes reações bem humanas e comuns.

E vou continuar a falar muita bobagem também. Se Deus não gostasse de brincadeiras, então isto aqui não seria o mundo Dele. 

Se eu não me importasse, aposto que alguém reclamaria também.

Prefiro falar de alegria, mesmo que as vezes eu esteja triste, mas sei que ambas estão ali, juntas.
Apenas estou escolhendo o que quero, sem negar a existência da outra parte.




14/01/2013
.'.

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...