Clique nas imagens dos artigos! Elas levam você para o site do artista que a criou e muitas
vezes tem assuntos relacionados ou outras imagens para expandir seus horizontes!

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Negócios São Entre Pessoas.

 Business Meeting
Foto: Clumsy Juggler


Referente meu comentário no forum da Linkedin da IBM São Paulo:

"Pessoas não fazem negócios com empresas. Pessoas fazem negócios com pessoas

Pessoas não fazem negócios com empresas.Pessoas fazem negócios com pessoas. Por que e como tornar-se um Negócio Social ..."


Meu Comentário:

Muitas empresas ainda questionam redes sociais nos mais básicos de seus aspectos: a interação entre pessoas humanas. A tecnologia ajuda muito quando bem usada.
Citando um artigo em que comento sobre a preferência de lidar com pessoas, "Empresas com Dono":

"É comum a preferência pelo "Armazém do Seu Zé". As pessoas sabem quem é o Seu Zé.
Em grandes empresas, existe um distanciamento, mas as pessoas sabem quem é o dono.
Já nas corporações impessoais a expressão negativa"coisa de empresa que não tem dono" é comum."
 
 


É óbvio que certos negócios são com grandes empresas. Mas existem muitas e muitas companhias de tamanho grande com as quais simplesmente não se sabe com quem está falando*.
Claro que prefiro um computador Dell** do aquelas "coisas" que alguns montam com componentes vindos sabe-se lá donde.

Quem for como eu, mais um insatisfeito cliente de operadora de telefonia (o que inclui uns 98% dos meus colegas e conhecidos) sabe o que é empresa sem dono.
Existe uma barreira formada pelos atendentes e ninguém sabe quem são certos Zé-Ruela em cargos de gerente/diretor que tomam algumas das decisões mais absurdas e que são amplamente criticadas e de longe o maior motivo das milhares de queixas na justiça e Procon.

O termo que usei é pejorativo para alguém? Zé-Ruela é feio? E o que fazem com as pessoas e empresas o que é então? Lamento, mas um anônimo que se esconde atrás do cargo dificilmente vai aparecer e dar as caras (ter caráter) para assumir publicamente o que fez. E não vale citar pesquisa comprada em agência de propaganda.

Em tantas outras companhias, eu sei com quem estou falando. Não é um funcionário usado como escudo para filtrar só o que convém para os que estão por traz.
A empresa pode ter 50.000 funcionários e mesmo assim ser acessível para os clientes ter acesso aos seus vários escalões e saber QUEM faz o quê e quem realmente bota o nome no que faz. Anônimo não é ninguém. 

Pode ser o armazém do Zé, pode ser a Mega-Corp. É tudo uma questão de abordagem e de como as pessoas trabalham e são tratadas lá dentro.

Pessoalmente odeio empresas que arrancam o couro dos funcionários e depois pagam propaganda bonitinha. Olhem a idade média da equipe e o tempo de casa. Aguentam uns poucos anos, fogem ou são chutados fora, ou enfartam prematuramente e são descartados.

Conheço gente que trabalha/ou na Dell. E também apenas "sei" de pessoas que estão nas telefônicas, mas geralmente não falam onde trabalham porque o festival de reclamações imediato é certo. Olha, quando as pessoas tem vergonha de dizer onde trabalham é porque o problema é muito maior. Citando o caso dos gerentes/diretores anônimos, quando estes escondem onde trabalham é pior. Não vale citar evento VIP fechado (local seguro) para distribuir supostas premiações compradas em agências de marketing.

Lidar com pessoas não é CRM, não é metodologia, não é método, não é sistema. É lidar com GENTE.  Se não houver compreensão e consciência de nada adianta ler todos tipos de livros de autoajuda e adotar as técnicas de gerenciamento da moda que trocam todo ano.

Quantas destas empresas com ISO são realmente boas de trabalhar ou tem bons produtos? Falando sinceramente, quantas? De novo, não vale pesquisa feita por agência de marketing.

Se você quiser ser bom no seu ofício, aprenda todas as técnicas da profissão. Mas se quiser um dia ser um Mestre no que faz, aprenda sobre as pessoas, começando por você mesmo.

A grande corporação que se torna apenas máquina, pode até fazer bons produtos mecanicamente repetidos. Padronizam até os funcionários, determinam como vestir, o que fazer, falar, pensar. Em nome do falso politicamente correto podam, cortam fora a naturalidade das imperfeições humanas impondo um padrão de restrições e censuras. Mas esquecem de que em princípio as pessoas que são criativas e tem iniciativa não querem ficar amarradas, muito menos por um monte de bobagens ou de coisas que parecem as regras do algum convento. E que pessoa seria o padrão de pureza tão elevado assim para criticar tanto? Você? Ou quem sabe algum deus ou será alguém que nunca precisou lavar a louça e acha horrível que alguém ajude em casa? Vejam o exemplo de grandes corporações literalmente perdendo mercado pela falta de criatividade e até assumindo isto publicamente, como foi o caso da Nokia.


Notas:
*Não tenho qualquer relação com nenhuma das empresas citadas exceto como cliente ou consumidor. **Eu não tenho computador da Dell.A citação é ilustrativa.


.'.

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...