Clique nas imagens dos artigos! Elas levam você para o site do artista que a criou e muitas
vezes tem assuntos relacionados ou outras imagens para expandir seus horizontes!

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Alquimia: Como da Água para o Fogo

Foto: Natalie Gupta

Alquimia: Como da Água para o Fogo

Alquimia trata da evolução do ser, não apenas da matéria. 



A água se junta ao ar e de forma imperceptível, emana sua poderosa substância de ligação para que a energia do Sol manifeste-se em forma harmoniosa e conjunta na transformação da terra em ar.
A elaboração de um processo alquímico requer vários fatores.
Em primeiro, a decisão do operador alicerçada por uma definição exata do processo pretendido.
Segundo, determinação de continuar o processo sob todos os aspectos, tornando-se a si próprio o cadinho, o recipiente que conterá o magma vivo da nova realização.
E terceiro, agir em silêncio sob a Lei da Transmutação Universal.



I

Primeiro, qualquer interferência externa será considerada uma obstrução ou uma tentativa de interromper o processo.
Quando se está em fase de migração vibratória, o ser que opera magicamente sobre a substância está se tornando ele mesmo uma parte do Sol, para assim poder atuar diretamente nos princípios básicos que regem a matéria.
 

Assim, liberta-se a porção digamos assim, espiritual, em forma livre. A partir do 4, reduzimos para chegar ao 1*.
Nota * Numerologia hermética.

Da forma vem o que não tem forma.
 

Tomamos inicialmente à substância bruta, a personalidade ainda potencial da pessoa, aquela que ainda não pode ser chamada de indivíduo, pois não possui consciência de si nem de seu ambiente.
Então, conduzimos esta para o processo de equilíbrio e desenvolvimento primeiro, de seu corpo.
Trazer novamente ao que é denso o contato mágico com sua verdadeira natureza, resgatar o contato com a Mãe terra, com o rio, a montanha e as estrelas.
Perceber que esteja onde estiver o ser humano é senhor de seu mundo quando se torna senhor de si mesmo.
Não apenas um título, um “diploma” de Swami ** . Atingir o estado de estar em seu próprio direito. Não mais uma parte da massa pegajosa das pessoas comuns. Mas conhecer e agir de acordo com a Lei dos Céus, a verdadeira Lei do universo, que vêm do Sol central.


Nota ** Em hindu, SWAMI significa Senhor de Si mesmo . 
MA significa Senhora de si mesma ..

II

Em segundo, refinar a mente. A grande ilusão também é uma diversão mental e, vemos facilmente seu disfarce entre os enormes cabedais de erudição e gestos carregados de simbolismos.
A mente não pode e nem suporta olhar para si. Busca no exterior mais motivo para fixar sua atenção, desviando aquele que está como semente divina, da verdadeira água da vida.
Rituais, emblemas, canções. Fachadas e prédios de conquistas inexistentes e artificiais. O verdadeiro conhecimento chega apenas quando percebemos, por um instante, que somos capazes de calar-nos e ouvir o Silêncio.


III
O êxtase está dentro de nós.
Foto: Marc Rettig
Então, por terceiro, quando encaramos o Silêncio, percebemos o quanto de inútil foram todas nossas tentativas e seitas. 
 
Todos os processos apenas nos desviaram por anos, vidas talvez, do que está permanentemente a nossa frente: o grande oceano da existência.

Quando então estamos novamente unificados em nossa mente corpo e espírito, pode-se finalmente começar o processo de reconhecimento da polaridade de nosso ser.

Aos poucos, percebemos nossa vida como um pêndulo. Hora oscilamos e vacilamos, hesitando de forma automática.
Hora, estamos focalizando apenas um lado de nossa vida. Mais do que trabalhar o descobrir sua parte masculina e feminina, mas sim, perceber o que vêm a ser estar ao centro, não se afetar pelos ventos nem marés dos acontecimentos que nos rodeiam.
Aquele que encontra o silêncio percebeu o centro. Passa a buscá-lo continuamente, pois sentiu algo que não sabe explicar, tampouco o poderia. Apenas poderia chamar aos demais para algo que lhe tocou tão profundamente.
Das palavras e sensações que trouxeram o caminho para todas as respostas. Do intervalo no tempo onde não existem dúvidas, nem ansiedade,
E ali, finalmente, ao encontrar o centro, chegamos ao princípio primeiro. Aquilo que alguns que sobem as altas montanhas encontra. Outros que mergulham nos oceanos e outros que se atiram pelas corredeiras em botes frágeis. Talvez, o salto no vazio.

 
Enfrentar o risco significa ser autêntico plenamente pelo menos uma vez na vida.
Seja atirar-se de um penhasco na águas que estão lá embaixo. Com todo frio na barriga e pânico que isto possa representar.
Seja correr na escuridão absoluta de um ritual nas montanhas. Ou mais corajosamente, enfrentar cara a cara sua realidade dentro de uma cidade infecta.
Sempre será preferível ao ser humano estar junto à natureza. Seu aprendizado será mais rápido, com maior qualidade. A transformação mais gradual. Ao passo que no ambiente urbano, a lentidão e a inconsciência lhe tomam energia que será preciosa quando perceber que está finalmente pronta a encarar, corajosamente a liberdade.
Ser livre é um processo apavorante, terrível, catastrófico para os covardes. Nenhuma mamãezinha limpando suas fraldas, ninguém lhe paparicando, nenhum político para você jogar suas próprias culpas. Nenhuma droga seja cocaína, álcool, religião ou política. Sem escudos, nem máscaras.
Para receber 100% da energia da existência, têm que te expor aos 100%. Se te expuseres ao universo, sómente em 90%, de que adianta? É como caminhar apenas uma parte do caminho.
Portanto, se não chegaste ao destino, o que pensas que vai receber?
Avança! Desperta! Se ficares em tua cama, teu travesseiro pode ser até um bom conselheiro e um ótimo companheiro nas catarses de tua meditação caótica, mas continuarás apenas em tua própria cama.
 

Se quer mudar algo, use a técnica TBC: Tire a Bunda da Cadeira!
By Roman Pavlyuk
Não delires achando que uma viagem astral comprada vai te libertar de forma mágica de tua própria cela. Se não consegue sair de teu próprio mundo, por tuas próprias pernas, o que espera encontrar?
A liberdade é uma canção. A canção é um som. O som é um pulsar do coração. O pulsar vem de Deus.

Aos que buscam um dia tornarem-se livres, aos que anseiam pelo ar puro da existência, por soltar-se para sempre das amarras, deixar de ser escravos e prostitutas mendigando carinho e proteção.

Busca um caminho. Encontra alguém que tenha chegado além do princípio original. Alguém que seja transparente como uma criança. Se encontrares um Mestre, recorda, lembra disto, sempre, ele te guiará. 

 
Afirmo-te com o amor de meu coração. Ele te guiará.
-“Mas não me gosta o jeito deste Mestre.” Ele te guiará.
-“Esta técnica é diferente do que meus estudos universitários indicam.”  Ele te guiará.
-“Minhas pesquisas são por outro lado.” Ele te guiará.

 
Se você está no meio da massa, arrastando-se, como pode saber em que direção estará o caminho?
Talvez até teu Mestre seja outro, mais adiante. Mas como encontrá-lo?
Sois como uma criança pequena perdida na multidão.
Precisa de alguém mais alto, um adulto, que te tome pela mão e lhe leve ao teu lugar.
Todos os Mestres são a mesma pessoa. A eles cabe cuidar e guiar cada pessoa para atingir sua missão nesta vida.
Quando o discípulo está preparado, o Mestre chega. Pode ser por um sinal, uma mensagem, uma advertência ou algum sujeito esquisito e sorridente que se senta ao teu lado no ônibus.
Talvez você seja tão importante que o Mestre em pessoa toma um avião, marca uma audiência e venha falar com você. Risos...
 

Foto: Hartwig Koppdelaney

Acorde.
 

Um Mestre vivo é uma experiência que está acontecendo no momento presente.
Se estiveres por algum motivo próximo a ele, agradeça a existência por te guiar.
O Sol te dará a luz que necessitas para encontrar a primeira pegada. Caberá a ti apenas iniciar estes passos e chegar ao canto mais alto, à canção suave e divina.
Estarás percebendo talvez de forma instintiva que tens uma semente em teu ser e, esta semente é a Chama Solar.
 

Olhe sempre para o Sol da manhã e dá-lhe as graças pelo novo dia que recebes.
Sinta a terra sob teus pés. Ela é tua matéria, tua origem.
Traga o ar profundamente em si. Perceba que todo teu ser se energiza e realiza então, o mágico trabalho da combustão da matéria, da transformação dos elementos em energia.
Da liberação dos princípios básicos para que tua chama divina seja nutrida, como imensa fornalha de Amor.
Este Amor é distribuído pelo teu corpo, tua circulação sanguínea é o canal disto. Percebe-o!
Tomarás consciência de que teu corpo é uma máquina de Amar!
Perceba que está se amando então teu Amor poderá finalmente começar a fluir para os demais de forma verdadeira.
Como uma chama que vêm de teus olhos. Se compreenderes isto, entenderás a transformação da água em fogo.
Encontra um Mestre e toma sua mão, firmemente. Ele te guiará ao teu verdadeiro caminho.
E se a existência coloca-te perto de um Mestre autêntico, agarra-te a ele! Talvez não seja teu Mestre (ainda), mas ele te encontrou, perdido e solitário. Justamente, será ele quem te guiará, como uma criança órfã e cega, ao teu verdadeiro encontro. O encontro mágico da água e do fogo.
Tem em teu ser tudo o que necessitas para ser feliz.
O calor que buscas, está em ti. Na combustão que realizas quase sempre sem perceber.
A sede que sentes, se percebes, mostra teu corpo pedindo pela água que circula abastecida do amor de teu coração, para todo teu corpo.
Tua língua então, poderá devolver o ar transformado em algo belo, uma poesia, uma canção. Desperta!
Tu és a síntese dos elementos. Quanto perceberes que tu mesmo és o quinto elemento, será tarde demais!
Terás despertado e será inevitavelmente contaminado pela felicidade.


.'.
Sw. Gilberto Prabuddha
27/05/1996
.'.

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...