English readers and other languages: Many posts are in portuguese, you can use the Translate button at left side.

Clique nas imagens dos artigos! Elas levam você para o site do artista que a criou e muitas
vezes tem assuntos relacionados ou outras imagens para expandir seus horizontes!

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

A Existência de Papai Noel - Explicada por um Ocultista Humorado

Li um texto com o seguinte nome: A Inexistencia de Papai Noel  – Explicada por Engenheiros

Basicamente, o humorado texto, citando formulas da engenharia, explica que Papai Noel não pode existir porque as renas morreriam torradas na atmosfera, a quantidade de presentes seria impossível de transportar, ele não teria tempo para visitar todo mundo (nem ir ao banheiro) e outras coisas que são próprias de algumas áreas da ciência ortodoxa extremista.


Foto:  Hannah (Finland)
Meu (humorado) Comentário a respeito:

De forma geral as pessoas já sabem que misturo humor com informações sérias: Deus é bem humorado acredito.

Além de não ter coração, quem se deu ao trabalho de escrever este texto não sabe que:
  • Tempo é relativo e é algo próprio desta dimensão.
  • Noutros planos, o tempo pode alongar-se infinitamente.

Citando uma estória de fantasia, as Crônicas de Narnia ilustram isto. Qualquer um que estude sobre arquivos Akáshicos e plano astral sabe.

Sobre velocidade, ocorre o mesmo. Portas dimensionais ligam diretamente o Aqui com qualquer outro ponto do universo. A própria ciência percebeu que o universo é curvo. Qualquer um que estude e pratique magia ou que precise escapar dos credores sabe disto.

Mesmo que o tempo e a velocidade não sejam problemas, ainda temos a duração de cada parada. Isto também não é problema! Qualquer estudioso praticante da espiritualidade, bem como mais recentemente o pessoal da física Quântica está descobrindo, sabe que Bi-locação, ou até múltiplas locações são possíveis e utilizadas amplamente.
Uma das muitas maneiras seria Papai Noel entrar diretamente no Akasha e de lá manifestar-se desdobrando-se através do plano astral, podendo entrar em várias casas ao mesmo tempo. No caso, o que ocorre é uma manifestação do arquétipo dando sustentação a expressão da omniconsciência de Papai Noel.

Assim, cada pessoa com quem ele conversar terá uma experiência individual e legítima.

Sobre a carga útil do trenó, vejo mais uma vez que as pessoas que escreveram o texto realmente não tem coração. Ora bolas, apenas um joguinho de Lego para cada criança? Cadê os trenós, os aeromodelos, as bonecas, os carros e joias (adultos também ganham presentes), etc?

Acertou quem lembrou que ele pode deixar TUDO na sua oficina no Polo Norte. O saco do Papai Noel é um portal móvel, que dá acesso direto ao depósito! É como se fosse usar seu smartphone para acessar a internet sem fio! Onde ele estiver ele abre o saco e seu assistente passa para ele o que estiver precisando no momento. Você não precisa ter toda internet gravada né? E desta forma, dá até para pegar um lanchinho, afinal de contas, trabalhar a noite inteira dá uma fome danada.

Achei muito sádica e cruel essa ideia das renas serem torradas na atmosfera por causa da velocidade! Além de não ter coração quem escreveu o tal texto não deve gostar muito de inocentes animaizinhos. É possível até que esta seja uma forma de homofobia disfarçada por causa do nariz vermelho de uma das renas.

É claro que as renas não vão torrar né? A Terra está girando ao redor do sol. Bastaria viajar um fuso horário a cada hora para se manter sempre no mesmo horário. E se avançar rapidamente, aliás, usando um dos portais dimensionais que agora todos sabem que existem, podem-se avançar vários fusos assim, mantendo-se por mais tempo no período da noite. Por exemplo, Papai Noel pode estar num local em que são 03hs da madrugada. Ele vai para outro fuso horário onde são 02hs e fica lá até as 03h e sucessivamente.

E tudo isto na verdade ficando só um pouco em cada lugar.

Mas porque fazer isto se Papai Noel pode usar da muti-locação para estar em vários locais ao mesmo tempo? Na verdade, isto é feito nalgumas partes e só quando ele precisa que seu trenó e as renas sejam vistos, o que mais recentemente tem sido restrito a alguns filmes e comerciais de refrigerante. Donde vocês acham que vem o dinheiro para pagar essa estrutura toda? E também, porque é bom para as renas se exercitarem um pouco.

Portanto, fiquem bem tranquilos e continuem cuidando para que todos olhem para o futuro com uma perspectiva alegre.

Matar o Natal é de interesse dos que gostam de ver o sofrimento dos demais.

E tenham cuidado: Amor é contagioso!

.'.
18/08/2011

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

O melhor mapa da Chapada Diamantina

Foto: Andras Jancsik


Voltou (finalmente) o site do melhor mapa e guia já feito sobre a Chapada Diamantina, obra do amigo shamã Roberto Sapucaia:


www.trilhasecaminhos.com.br




A Chapada, além de cidades históricas, é um imenso parque natural, ideal para turismo ecológico, fazer trilhas de bike e trekking, explorar locais remotos.

Morros esculpidos pela natureza, rios limpíssimos, cascatas, cavernas, imensas áreas naturais belas e de muita energia.

Acho também um fantástico local a ser explorado para estudos, treinamento e atividades de desenvolvimento pessoal, empresarial e mágico.

Atividades como vivências shamânicas, trabalhos de consciência para executivos, práticas de magia junto das grandes forças naturais (elementais) que ali estão, etc.

Sempre falo que empresas são organismos sociais. Dependem de criatividade, produtividade, qualidade, chegando ao modo de atuar e produzir. Tudo isto tem a ver com a natureza, que é uma das maiores escolas de administração que existem.

Empresas que precisam estimular e desenvolver a criatividade, a percepção  mais abrangente de negócios, mercado, etc, ter um local adequado para buscar inspiração, planejar, perceber "in loco" o que são algumas das principais as raízes para o que se chama "gestão verde". Ou simplesmente, estar numa atmosfera adequada a ponderar sobre o que fazem, nutrindo a inteligência de seus negócios, sua vida pessoal e trazendo para a corporação, uma maior interação com a sociedade.



Os mapas que o Roberto fez, foram baseados em mapas de satélite, longas caminhadas exploratórias e são detalhadíssimos. Começaram com informações que antes só existiam na cabeça de alguns poucos guias, alguns poucos papéis rabiscados da gaveta de alguém. Depois os caminhos foram trilhados e mapeadas extensivamente por ele.




www.trilhasecaminhos.com.br 

Empresas, escutem seus clientes

Sobre a relação empresa X consumidor publicado na Exame: Como Brastemp, Renault, Arezzo e Twix reverteram a crise nas redes sociais

A matéria fala sobre consumidores insatisfeitos que recorreram as redes sociais indo até vias extremas para conseguir ser ouvidos e ter solução para seus problemas.


As pontes que unem os mundos não tem paredes.
É hora de olhar para os lados.
Foto: Amber Dawn Davi
Meu comentário:

Falo com frequência que s empresas são organismos vivos sociais. Estes eventos ocorrem dentro e fora da empresa. Lembrem do público interno!!!

As vezes, nalgum artigo no meu blog falo sobre consciência e que isto se relaciona a gestão, procuro chamar a atenção justamente para que se perceba mais do que a si mesmo, mais que um ponto de vista, olhar o mundo de forma maior e diversificada.

Em reações como as citadas, em que a primeira atitude parece de (até de) fuga, é porque muitos ainda não perceberam que a internet é uma gigantesca memória.

Veja também o artigo: Redes Sociais e a Memória da Internet.



O que antes era esquecido logo, agora fica disponível na internet indefinidamente. É necessário o trabalho pessoal, meditativo, o estar presente de forma real e não apenas como jargão publicitário.

Atitudes concretas ganham disparado de discurso em qualquer área.

Atitudes restritivas, como censurar um comentário meu, objetivo e não ofensivo foi maneira de diminuir a credibilidade sobre a empresa noutro artigo devido a incoerência das informações prestadas pela mesma.

São inúmeras situações em que podemos ampliar nossos horizontes, que acabam sendo mal exploradas quando se limitam a repetir pensamentos feudais e deixam de abrir as janelas para um mundo novo e melhor.



.'.

Leia também:
.'.
 

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Ecologia Empresarial

Ecologia Empresarial

"Estima os teus soldados como estima as crianças, e eles de bom grado irão contigo a vales profundos; estima os teus soldados como filhos bem-amados, e eles de boa vontade morrerão contigo."
A Arte da Guerra. Sun Tzu


Atingir mais que sobrevivência, o novo Aeon, "sugere" a busca consciente de crescimento.

Toda empresa é um organismo, e assim, a natureza conduz a busca, a necessidade de conhecer sua missão, seus caminhos, sua harmonia e força, para então realizar-se, num processo criativo, a arte da vida e das pessoas.

Lembre, toda empresa é um organismo social, um organismo vivo.

.'.
Publicado originalmente no Buddha-Zine Edição 04 - Agosto de 1998

 

.'.

As Árvores Sagradas da Fortuna

As Árvores Sagradas da Fortuna
Publicado no BuddhaZine nro 07 - Fevereiro de 1999


Piedra del Aguila y Volcanes del Sur de Chile
 Foto: Jose Huenante Barria


As montanhas são as árvores da Terra, são as elevações, as copas frondosas. 
As árvores, são as montanhas do reino vegetal. Seus galhos, os caminhos que encontramos nas montanhas. Em seus espaços, os vales. Em seus frutos, a dádiva da nova era.

A Araucárias estão entre os mais antigos habitantes do planeta Terra, vindas não sabe-se donde, se por evolução ou por semeadura cósmica. Talvez, como passageira sofisticada de alguma nave de pura luz.

A capacidade principal das Araucárias está no contatar diretamente o ser humano, em tocar sua essência, chegar ao seu coração. Guardiãs da sabedoria de milhões e milhões de anos, contemporâneas dos que estavam aqui antes dos próprios dinossauros, elas zelam pela imensa sabedoria dos antigos.

As araucárias representam os próprios antigos. Com a mudança da energia planetária do Himalaya para a Cordilheira dos Andes, as Araucárias trazem em sua grossa casca, um carinho escondido, um convite, ao abraço, para recebermos, voluntariamente, seu ensinamento, do porque estamos aqui, quem somos e, como fazemos parte do todo em que nos criamos. A nossa meta, a nossa missão, o encontro da nossa maior fortuna pessoal, que é alcançarmos a realização pessoal, de trabalharmos no que realmente queremos, no caminhar para a liberdade maior, estão nos seus galhos, no seu lento crescimento, paciente, acompanhado das aves e seres da natureza.

Cuidar das matas de Araucárias, andar entre suas copas, é uma experiência única, quando percebemos que a grande fortuna, está na sabedoria, sem mais fazer mal aos demais seres, agindo de maneira justa, usando o necessário para crescermos e, finalmente, um dia, nos tornarmos as estrelas de nossas vidas.

Aos que plantam araucárias, estes estão fortalecendo em si mesmo, primeiro, a visão do futuro, a capacidade de perceber um contexto maior do que o seu próprio umbigo.

Segundo, a capacidade empresarial de expandir suas atividades pela maior compreensão (energia de visão) do mercado, fortalecendo suas raízes, deixando de lutar contra a natureza das coisas.

No fim da luta vamos descobrindo que é mais fácil nadar a favor da corrente do grande rio, sem auto-destruição, sem vícios, trocando o cigarro pelo ar puro, a preguiça por uma caminhada saudável com amigos, a melancolia pelo romance, a miséria pela fortuna, a dúvida pela certeza.

Esta energia está presente num abraço, como o que trocamos com as pessoas queridas e que, conscientemente podemos ter com estas conselheiras sábias, sentindo nosso peito junto ao seu corpo, tornando-nos novamente manifestação da criação, da força e da abundância.

.'.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Líderes Constróem. Gestores Administram.

Líderes vão aonde os outros não chegam.
Foto: Walden Darwin

Se faltam líderes, faltam homens de visão? Nestes tempos regularmente vemos ser ridicularizados opiniões que concordam com o iluminado comentário de Einstein!

A pessoa que faz, que tem comprometimento, metas e ideais elevados, aqueles que ao longo da história tem criado impérios, grandes invenções, projetos e obras são ridicularizados pelos que estão cada vez mais a valorizar a capacidade mecânica de "decorar palavras" e seguir processos repetitivos.

Se conhecimento e pilhas de diplomas fossem um diferencial, os intelectuais das bibliotecas de Harvard e outras grandes instituições, seriam os presidentes e executivos das grandes companhias.

Existe uma diferença muito grande entre ter visão, iniciativa e intuição estratégica, do que repetir ladainhas que (até) dão certo mas sem nenhuma inovação.

Hoje são pouco os conselheiros e os empresários visionários, que buscam aprender sobre mais sobre as pessoas, o mercado e o mundo em que vivemos, para através do processo de utilizar de forma criativa nossos potenciais interiores. São eles que criam, vão mais longe, aprendem a caminhar de forma inusitada.
Repito sempre: é muito fácil ser uma empresa grande. Difícil, é ser uma Grande Empresa.

Meu comentário feito para matéria da Revista Amanhã - Se faltam líderes, é preciso sobrar governança


.'.
Leia também:

Leia outros artigos relacionados clicando nas tags abaixo:
.'.

Bom Emprego ou Vender a Alma por Tostões?

Foto: Wayne Ferrand
Interessante como certas empresas passam uma imagem que parece que as pessoas que estão lá vivem numa fazenda linda e maravilhosa, podem trabalhar com qualidade de vida e olhar pela janela sem culpa.

Aí vem uma reportagem sobre uma delas e o que mostram é outra coisa bem diferente. Essa é da Revista Exame: O Expediente na Natura é Nervoso


Nota: Este comentário foi censurado pela Exame (veja nota 2). Fazia muito tempo que algo assim não ocorria. Aliás, na Exame deve ter sido a única nestes anos todos. O vídeo parece feito por agência de "propaganda" e deve ser matéria paga. Escrevi para a jornalista responsável duas vezes e para o Editor, simplesmente sem resposta. Realmente estranhei muito pois eu entenderia perfeitamente (e aceitaria melhor) uma explicação sincera do tipo: realmente é uma matéria paga.

Nota 2: A Exame publicou dois dos comentários finalmente. Fazia um certo tempo que não olhava de novo a matéria. Estou verificando hoje, que com excessão do primeiro, os dois comentários seguintes (repetição do primeiro e depois questionando), foram liberados no site da Exame. Lá consta a data da postagem original e dali fiz cópia para o artigo abaixo. Não sei em que data isto finalmente foi liberado. Mas parece que levar adiante a minha queixa, no caso postando aqui, funcionou. Mas seria melhor uma simples resposta como dito acima. Mantenho o restante o comentário pois a questão é o ambiente de trabalho e não as regras editoriais da revista onde comento faz muitos anos.



Meu comentário:


Primeiro, deixo bem claro que não tenho nada pessoal contra a empresa, que é uma entre tantas que mostram uma imagem mais ou menos assim. Na minha casa uso alguns produtos deles, que são de boa qualidade até onde verificamos.

O objetivo deste comentário é escrever minha opinião sobre "como é trabalhar numa empresa que passa uma imagem assim, e sobre quem é que produz o que consumimos". Sim, eu me importo em saber como são as empresas e como vivem as pessoas, tanto quanto me importo em saber como alguém faz seus produtos. Por exemplo, eu não gosto de empresas que vivem as custas de trabalho (semi-)escravo nalgum buraco lá no oriente e com isto ferrando os concorrentes, ou enchendo o mercado de porcarias.

Vamos lá.

Ok, a empresa é grande e tem ambiente de alta performance. A impressão que tive na matéria é que a empresa neste ambiente "nervoso", de alta performance, resultados a curto prazo, pressão por resultados, etc, como citados pelos diversos entrevistados, vem contra muitas imagens que a empresa tem na mídia.

Pergunto: qual a REAL qualidade de vida dos funcionários? Um saláriozinho um pouco melhor em troca de stress e muita pressão? A imagem que tive é de que arrancam o couro das pessoas. Isto compensa o pouco que se ganha a mais?

Sustentabilidade, integração com a natureza com certeza não é ficar tipo bicho-grilo só curtindo paz e amor e coisa e tal. Mas ter uma carga de tarefas que combine trabalho, estudo, lazer, repouso é necessário. (Leia também: A Produtividade do Tempo Bem Usado)

Pergunto, como estão na realidade as famílias destes que estão o tempo todo sob carga? Sabe aquelas pessoas que trabalham feito doidas e quando finalmente aparecem em casa, mal conseguem dar atenção (de verdade) para a família .

Interessante que nas imagens da reportagem, a maioria das pessoas eram jovens, sem muito brilho no olhar, vários pareciam entristecidos. Quando eles cansarem, passarem dos trinta anos, para onde irão?


Instalações e propaganda bonitinha não compensam.

Parece que tem que poucas pessoas para fazer o trabalho de muitas. Se contratassem um pouco mais de pessoas quem sabe o ambiente seria menos nervoso, menos estressante, porém mais criativo e produtivo.

Produtividade não se arranca junto com os rins.

Quando empresas falam sobre tecnologia verde, sustentabilidade, preservação da natureza e isto e aquilo, falo que para isto ser real, trabalha-se primeiro de tudo com o nível de consciência das pessoas.  Isto começa com as lideranças. Autoconhecimento, meditação, atividades reais de integração consigo e com o mundo.

De nada adianta escrever releases bonitinhos, se aquilo mostra-se apenas redação de marketing e no máximo, de shamãs e ocultistas formados em bancas de revistas. Mestres instantâneos de cursinho de final de semana tem por aí feito erva daninha. Palavras copiadas daqui e dali. E cadê o fundamento, a vivência real?

As tais normas ISO qualquer coisa, quando voltadas a produtividade em sintonia com a natureza, só deveriam ter validade quando a empresa fosse certificada por pessoas que lidam com a natureza realmente, como os shamãs, os mestres em meditação, enfim aqueles que vão aprender sobre a natureza conversando com ela no seu dia a dia e não apenas como uma aulinha qualquer escondida.

De que adianta escrever num canto qualquer sobre a importância de "bem estar" e "estar bem" se isto desmorona facilmente ao se verificar que as pessoas estão num ambiente "nervoso" o tempo todo?

Trabalhar bastante é bom, e é legal quando isto é sob uma base distribuída e equilibrada, em que altos e baixos podem ocorrer. Todos lugares tem suas épocas de mais ou menos serviço, faz parte da estrutura do mundo.

Foto: Michael Menefee
A própria natureza tem as estações do ano para nos lembrar sobre como as coisas andam.

Colocar o pé no fundo do acelerador e cimentar, é sinal de que mais hora menos hora, alguma peça vai quebrar por desgaste e precisará ser trocada.

Mas pessoas não são peças. Pessoas são parte de algo. Aliás, são partes de muitas coisas. Quando falo de tomar contato, conhecimento e integração consigo e os demais estou falando disto também.

Nosso primeiro contato é conosco, nosso corpo, mente, emoções, espírito.
Depois com nossa família, marido, esposa, filhos, amigos.
Depois nosso grupos sociais, grupos de amigos, colegas de trabalho, de escola, de esportes.
Depois de uma coletividade maior, seu bairro, cidade, estado, país.
E todos fazemos parte de uma grande coletividade chamada humanidade, e esta faz  parte do todo maior que é a vida do planeta e também com este.
Nos relacionamos tanto com nossos familiares tanto quanto com a natureza que nos circunda e dela fazemos parte.

Uma empresa também é um organismo. Um organismo social, tem vida. Não é um amontoado de peças que podem ser simplesmente trocadas quando quebram. E como qualquer mecanismo, precisa de manutenção preventiva, tanto quanto nosso corpo, mente e espírito precisam de alimento e cuidados.

Pessoas que se desgastam pelo excesso de serviço numa empresa, são partes desta que muitas vezes não poderão ser repostas. Serão no máximo trocadas por outra, mas lembremos da perda do conhecimento e experiência que isto representa.

Quando alguém vai para outro local, outra empresa, como parte de sua evolução natural, isto é bom. Mas e quando ela se vai por desgaste ou até mesmo por desavenças? Todos perdem.
Um cliente insatisfeito é uma má propaganda para a empresa. Mas as empresas esquecem que um funcionário insatisfeito também.

Devemos aprender a observar, ouvir , estudar e buscar aplicar na prática aqueles conceitos que muitas vezes são apenas palavras bonitas num mural na parede para ser visto pelos visitantes. Palavras bonitas não fazem nada. Atos integrais sim. Agir de acordo com o que se pensa, fazer aquilo que se prega.

Tudo isto faz parte do resultado da empresa, seus produtos.

Você já parou para se perguntar qual é a energia que você está recebendo junto com um determinado produto? Positiva, negativa, neutra?
Veja, as pessoas passam sua energia pessoal para aquilo que fazem. Todos sabem que não fica muito boa a comida se o cozinheiro está mau humorado, ou num péssimo dia pessoal, mesmo que repita mecanicamente a receita.
Como é a energia presente num produto em que as pessoas estão num tremendo stress? Como são muitos dos alimentos industrializados em pavilhões por pessoas insatisfeitas e que muitas vezes estão falando mau de seus patrões e situação de vida? É essa energia que vem no que você consome.

As pessoas estão produzindo felizes? O lavrador está cuidando com carinho da sua plantação? A empresa que produz o que você faz tem um ambiente legal e isso vem para você?

Por isso é importante o trabalho conosco, pessoal, antes de tudo. É a semente de felicidade que buscamos em nós que germinará.

Espera-se que só os funcionários vistam a camiseta da empresa, mas uma empresa que realmente veste a camisa dos funcionários, e da população a que serve, terá melhores produtos e resultados.


.'.

Leia também:

.'.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Usuários do Internet Explorer e a Inteligência dos Outros

Foto: Marie Browder
Numerologia

Alguém fez uma pesquisa que supostamente demonstraria que usuários do Internet Explorer são menos inteligentes. A pesquisa foi rapidamente espalhada pelo mundo todo.

Mas, segundo a BBC, a tal empresa de pesquisa é falsa: BBC: Internet Explorer story was bogus


O que ocorre com frequência, além de sites propositadamente falsos como este, é a divulgação de textos copiados sabe-se lá daonde, numa mistura que muitas vezes serve apenas para “engordar a lábia” de quem se dispôe a ocupar espaço de qualquer maneira.

Exemplificando, um caso bem recente que comentei a respeito faz pouco aqui mesmo, foi sobre o falecimento da Amy Winehouse, aos 27 anos.

Prontamente surgiram variações de um mesmo texto fatalista sobre a numerologia do 2+7 e famosos artistas falecidos nesta data por causa de um tal ciclo e…, bem, ignorando que muitos outros se foram aos 26, 29, 30, 50…

Ora, pessoas tem problemas pessoais, espirituais, mentais, físicos e que não necessariamente vão estar ligados. Os ciclos numerológicos, assim como os astrológicos, apenas indicam períodos em que as energias estarão alinhadas ou tendendo nesta ou naquela direção. Assim como as estações do ano.

O mesmo texto de suposta numerologia exemplificado, foi colocado em sei lá quantos sites, alguns mudando ordem dos parágrafos ou trocando algumas palavras e até sendo assinados novamente.

Papus já falava no século XIX sobre a barbaridade que eram muitos livros, cópia da cópia, até a Enciclopaedia Britanica teria começado sabe-se lá como disse ele.

Hoje na internet, copiar e colar tem ajudado o que antes eram os “mestres rápidos de banca de revista” em “mestres de sitezinho da internet”. Daonde vem este material? Quem elaborou e com que fundamento?

E acho interessante como, certas pessoas divulgam seu trabalho, mas publicando vários textos, com características de redação e de idéias totalmente diferentes, quando não contraditórias. Geralmente é bem claro que não foi a pessoa quem escreveu.

Muitas pessoas não percebem a salada de finalidade puramente comercial.

O no caso desta pesquisa, desacreditar alguma linha de produto ou praticar phishing ou pior.

.'.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...