Clique nas imagens dos artigos! Elas levam você para o site do artista que a criou e muitas
vezes tem assuntos relacionados ou outras imagens para expandir seus horizontes!

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Melhor Pocotó do que Bocó! Rebolation na Bicicletinha

Por causa do questionamento da propaganda bem humorada das Havaianas, estou republicando este artigo, originalmente veinculado faz alguns anos no site da Revista Comentando, do nosso querido Alex Saba.

Editado em 07/jun/2010): Só para acrescentar, Rebolation, Bicicletinha aparecendo a calcinha (rsss), e outros.

Concordo que não gosto de várias, mas e daí?
Acredito que o direito de um começa quando este reconhece que os outros também tem direitos.


Melhor Pocotó do que Bocó!

Li outro dia um texto daqueles que criticam a música da Eguinha Pocotó e outras tantas manifestações populares.

Além do teor moralista, o que acho que seria um desprestígio as nossas mulheres maravilhosas, tem o aspecto de pretender popularizar mais ainda o conceito de que música brasileira é ruim!

A última frase do texto é mais ou menos assim: "Eu sabia que outros milhões de brasileiros estavam naquele momento, assistindo o jumento, o cavalinho e a égüinha pocotó, sem perceber que a TV os chamava de burros"

Será? A maioria das pessoas que conheço que gosta deste tipo de música, sabem que é só para se divertir e que não tem nada mais ali, senão a melodia e a dança. Não estão buscando significados esotéricos, filosóficos, nem aquelas chatíssimas digressões e intelectualimos, que depois de um dia de trabalho, é a última coisa que se precisa fazer se pretende relaxar e aproveitar um pouco da sua saúde juvenil.

A egüinha Pocotó é musicalmente ruim mesmo ou será que lembra alguma vizinha que o autor deve estar doido para comer e não tem coragem porque acha que é pecado? Quem sabe o cara é daqueles que gostam de perguntas retóricas que chateiam até filósofo amante de Jazz ortodoxo?

Se isto serve de inspiração, a maioria das músicas americanas são deste nível para pior. A diferença, é que as pessoas aqui não entendem o que está sendo falado! Se você traduzir, vai descobrir que a nossa música popular é muito rica e criativa.

Então, antes de censurar a bunda dos outros, eu sugiro que as pessoas peguem um dicionário e traduzam o lixo que toca direto nas rádios. Lixo por lixo, prefiro o nosso, pelo menos eu entendo o que é, e as meninas que gostam destas músicas, são muitas vezes mais expertas e objetivas que a maioria das patricinhas eruditas que dançam nas "nights" cantarolando melodias que não entendem, mas que estimulam alguma coisa em seus neurônios.

Por coincidência, a maioria das mulheres que recriminam o funk, e que são feministas radicais, também costumam achar que sexo é a degradação da mulher e por isto preferem elas manterem seus relacionamentos apenas com mulheres... Ou seja, sexo é pecado, se for entre pessoas de sexo diferentes pior ainda? Melhor voltar à música.

Olha, fazer música popular, não é fácil. Se fosse, qualquer erudito gravaria alguns hits só para ter grana para montar seu estúdio e parar de depender de subsídios e "PAItrocínios". Música popular é algo que precisa ter uma certa capacidade, como tudo na vida. Alguns são bons nisto, outros nalgum outro tipo de trabalho. Mas pretender que todos tenham o mesmo gosto, seria simplificação. E com tantas bundas diferentes por aí, só posso dizer: Viva a diferença!

E viva a nossa música, mesmo que eu pessoalmente prefira outro gênero musical.

.'.
Leia também:
.'.

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...