English readers and other languages: Many posts are in portuguese, you can use the Translate button at left side.

Clique nas imagens dos artigos! Elas levam você para o site do artista que a criou e muitas
vezes tem assuntos relacionados ou outras imagens para expandir seus horizontes!

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Médicos que não sabem atender na hora marcada

Comentário na revista Você S/A, sobre o problema das filas de espera nos consultórios:
"Hora marcada por ordem de chegada"

http://vocesa.abril.com.br/blog/leandro/pagina1.shtml


Meu comentário:

Isto é pura falta de profissionalismo.

Se uma pessoa destas não tem nem ao menos a capacidade intelectual necessária para seguir um certo agendamento, coisa fácil de fazer estimando-se o tempo de consulta, então, fico imaginando como é realmente o nível de aprendizado da medicina.

Eu também não sou muito fã de agendas, mas consigo fazer uma divisão razoavelmente precisa do meu tempo.

A falta de capacidade mínima de organização, é considerada por alguns como desrespeito. Eu começo a pensar que é falta de capacidade mesmo, basta observar a quantidade de vezes que vamos ao médico e o diagnóstico está incorreto, mal feito, a medicação incorreta, etc Se formos falar das pessoas que são mutiladas ou até morrem por imperícia, a coisa piora.

Fica a sugestão, para que as pessoas boicotem, em nome de sua própria segurança, atendimento por pessoas que se mostram incapacitadas para o trato com o público.


quinta-feira, 30 de julho de 2009

Incrivel foto do Space Shuttle contra o Sol

O fotógrafo especializado Thierry Legault teve seu trabalho destacado na Wired.

As fotos, que conseguem capturar o instante em que o Shuttle e a ISS parecem passar perto do Sol, são inspiradoras.

Foto: Thierry Legault,
via SpaceWeather.com


Veja no site da Wired a sensacional foto da passagem do ônibus espacial em frente ao Sol, em tamanho grande:

http://www.wired.com/wiredscience/2009/05/pic-space-shuttle-crosses-the-sun/

E aqui. fotos da estação espacial passando em frente ao sol:

http://www.wired.com/wiredscience/2009/07/suntransit/

Dúvidas na Nova Gramática?

Achei um bom site com informações da Nova Gramática. Acentuações, Hífen, Trema, etc. São dicas objetivas e ajuda muito.

O site oferece um excelente serviço de revisões de texto. Serviço barato e ideal para quem precisa de ajuda profissional na redação.

http://www.revisoeserevisoes.pro.br/nova-gramatica/hifen/

Amazon deleta livros, se desculpa, mas e aí?

Jeff Bezos: Deletar livro foi "estúpido".
http://info.abril.com.br/noticias/tecnologia-pessoal/deletar-livro-foi-estupido-admite-amazon-29072009-37.shl

Meu comentário:

Para deletar arquivos no seu equipamento, tanto a Amazon, quanto a Apple (IPhone), e outras, precisam ter acesso ao conteúdo do mesmo. Ou seja, durante o procedimento, seus dados pessoais estão amplamente acessíveis para serem vistoriados sabe-se lá por quem.

Claro que essa invasão íntima será com a maior das boas intenções (dizem), sem pretender faltar com o respeito. Mesmo que isto signifique você descobrir que as suas fotos íntimas que deveriam ser vistas apenas por você e pela pessoa amada, por "puro acaso", foram parar na Web.

Brincadeiras a parte, ao que eu saiba, só quem tem autoridade para revistar alguém é a polícia, e ainda assim, você é comunicado antes do procedimento.

Eu qualificaria esta prática de entrar em sistemas alheios sem autorização, de invasão e constrangimento ilegal.

Além de caracterizar roubo, por retomar sob ação ilegal, produtos que foram legalmente adquiridos.

Outra coisa, parece que ainda não li em lugar algum, que pelo fato de não terem averiguado a legitima procedência do material vendido, isto poderia caracteriza receptação de mercadoria roubada.

Seria isto possível? Ou foi mais fácil empurrar o problema para o usuário?

Quem é que está lá do outro lado bisbilhotando (ou inspecionando) o que você tem no computador? E com qual intenção?

BMW sai da Fórmula 1 e vai investir em sustentabilidade

Meu comentário na matéria da Info: "BMW sai da Fórmula 1 por mundo mais ecológico"

Meu comentário:

A BMW decidiu investir noutra área, no meu entender.

Durante décadas, carros possantes, tecnologia de pista, foram motivadores promocionais que impulsionaram vendas.

Quantos carros foram comprados graças a imagem de competitividade?

Outras empresas, como a Shell, também tem divulgado ações na direção de ferentes alternativas energéticas.

Em tempo, as imensas jazidas petrolíferas recentemente descobertas no Brasil, não ampliou o prazo previsto para uso de combustíveis fósseis?

Indepentende disto, voltar-se para a sustentabilidade, numa empresa de ponta como a BMW, representa algo muito importante: carros melhores, valorização dos recursos e investimento para assegurar a continuidade de um padrão de qualidade reconhecido em todo mundo.

É mais fácil continuar vendendo veículos em massa, usando o que tiver no mercado. Mas para encarar mudanças de paradigma, são necessários alguns ideais mais fortes, e ter sabedoria para tornar isto em realidade como empreendimento.

E por último, se me permitem, gostaria de agradecer publicamente à BMW pela iniciativa. E pelo convite e a generosa verba promocional (sim, mecenas existem). Infelizmente o e-mail com as as informações sobre como receber e para onde enviar o curriculum devem ter se extraviado pois até agora não chegaram aqui… (risos)

LHC: Acelerador de partículas com vazamento tem teste adiado

Comentário sobre a matéria: http://info.abril.com.br/noticias/ciencia/vazamento-adia-novos-testes-com-o-lhc-25072009-6.shl


Uma visita ao site oficial do LHC é muito interessante para quem quer ter uma idéia do tamanho da coisa toda. Fotos aéreas da instalação são bem esclarescedoras pois realmente, é um equipamento imenso.
Infelizmente a temperatura baixissima necessária para seu funcionamento, impede que o LHC seja considerado a maior geladeira para cerveja do mundo, o que pode ocorrer daqui algumas décadas quando o equipamento for substituido por algo do tamanho de uma bateria de carro, e que vai fazer a mesma coisa.
O importante a ser lembrado, é que fazem poucas décadas, os primeiros computadores construídos, com relés e válvulas, também eram imensos, e tinham uma capacidade de processamento, menor do que o mais comum dos telefones celulares atuais.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

As lições dolorosas do Outsourcing.

Outsourcing pode tornar-se um verdadeiro show de horrores. Principalmente quando a comunicação interna é falha e houver enfoque apenas em custos.

Confiram alguns casos (muito) mal sucedidos:

http://www.infoworld.com/d/adventures-in-it/painful-lessons-it-outsourcing-gone-bad-032

Em tempo: Ao contrário do que os céticos pensam, santo de casa faz milagre sim.

Carreira: É hora de aprender a fazer menos por menos.

A InforWorld lançou um manifesto: "Os tempos mudaram, é hora de fazer menos com menos."

Minha opinião:

A iniciativa é extremamente válida e importante. A cultura do "muito mais" com "muito menos", faz muito passou do ponto de prudencia e austeridade saudável, passando para ganância opressiva e austeridade severas, quase sinônimos até de mesquinharia e falta de visão para os demais.
Muito mais por muito menos apenas nos levou ao desequilíbrio pessoal, profissional, social.
A distribuição de cargas de tarefas cada vez mais, são representativas do conceito "ganha-ganha", de obtenção de máximo lucro e rendimento, de forma predatória.
A sistemática de "campo arrasado" apenas vai levar as empresas e os profissionais, ao ponto de difícil solução, de colapso e esgotamento dos recursos disponíveis. Tanto quanto ocorre pela destruição sem reposição adequada (e justa) de matas, recursos hidricos e minerais, estão os profissionais, que deixarão de ser repostos.
Logo mais, quem vai querer entrar numa área em que a exploração vil e a falta de respeito, profissional e pessoal, e a pouca chance de renumeração justas e adequadas, tem se tornado cada vez mais comum?
Qualidade e produtividade não significam opressão e atividades constantemente intensivas. Pelo contrário, como todo e qualquer recurso natural, a mão de obra precisa alternar períodos de trabalho, repouso, lazer, estudos e ser devidamente recompensada e valorizada. Elogios sinceros fazem falta tanto quanto renumeração e carga de trabalho decentes.
As empresas que insistirem na ótica de exaurirem profissionais e depois simplesmente descartá-los, bem como as que ignoram os alertas para qualidade no cuidado e tratamento de suas informações,
apenas estão colocando sobre si mesmas, o rótulo de futuros fracassados.
A empresa perde quando algo é mal feito por solicitação (e pressão). E perde mais ainda, quando além de ter que refazer, sofre o baque de perder competitividade, clientes, reputação.
Conquistar um único novo cliente, custa mais do que manter muitos satisfeitos. A pior coisa, é sua empresa ter apenas um ótimo profissional. São necessários muitos. E nestes dois casos, basta um insatisfeito para levar os demais consigo.

Por isso, fazer menos, mas bem feito, para fazer melhor para todos.

O manifesto e o fórum do movimento estão no link:
www.infoworld.com/slowit
www.slowit.net

A ComputerWorld publicou também matéria sobre o assunto:
http://computerworld.uol.com.br/gestao/2009/07/27/10-mandamentos-para-fazer-menos-com-menos/IDGComment_view

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Vagabundo critica trabalhador que tem direito

Comentário na revista INFO: Vagabundo critica trabalhador que tem direito

Meu comentário na matéria: Internauta lê vagabundo em site do governo
Leia em: http://info.abril.com.br/noticias/internet/internauta-le-vagabundo-em-site-do-governo-18072009-4.shl

Olha só, até isto acontece. Algum "Pit-Bit" engraçadinho estaria se divertindo ao colocar um captcha com a palavra "vagabundo" na consulta de seguro-desemprego?

Apesar de ser teoricamente possível que uma determinada palavra seja gerada aleatoriamente pela mera combinação de letras, é realmente muito difícil que isto se repita várias vezes.
Também lembremos que vários algoritmos de geração do captcha (aquelas letras que a pessoa tem que digitar para confirmar), utilizam dicionários (listas de palavras), e isto torna a questão mais delicada, pois parece claro ter sido proposital.

Neste caso, a sugestão para o pessoal encarregado de verificar o ocorrido, é pegar o backup da lista de palavras utilizada e verificar seu conteúdo. Com um pouquinho só de interesse, é possível verificar retroativamente e apurar a data em que esta e possivelmente outras palavras tenham sido inseridas no sistema. Daí, basta apurar o responsável, já que isto é feito por poucas pessoas, algo fácil de apurar.

Muito certamente verificaremos que foi uma brincadeira infantil de alguém, infelizmente, de mau gosto e que demonstra descaso com o próximo.

Falando em CIVILIDADE, gostaria de comentar para os que são sustentados por papai-e-mamãe, ou que são tão felizardos que jamais terem sofrido algum revés na vida, como descobrir que seus amigos de festa e o gerente do banco te viram as costas no mesmo dia que acabar o dinheiro, e alertá-los que ninguém está livre de nalgum momento passar pelo duro constrangimento de ser tratado de forma muito desrespeitosa e vexatória, porque está sem dinheiro, mesmo que numa situação temporária.

O seguro desemprego é pago pelo próprio trabalhador, através de inúmeras tributações e é um justo direito. Manifestar-se desta forma, demonstrou por parte de quem pretendeu brincar com a desgraça dos outros, infantilidade e imaturidade, necessárias para o convívio em sociedade.

Um pouco de trabalho social seria adequado para aprender a viver com pessoas que não sejam da mesma turma, tendo a oportunidade de ampliar seus horizontes, e conhecer mais da enorme variedade que forma a sociedade e, sinceramente, gostaria que isto servisse de aviso antes que mais algum moleque inspirado numa brincadeira idiota destas, ache que também está certo botar fogo nalgum desempregado só para se divertir.

Ah, desculpem, o comparativo, mas que atire a primeira pedra quem nunca foi humilhado por causa de dinheiro, incluindo os que foram roubados e ainda assim padeceram porque do outro lado alguém tinha mais para se safar.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Pular de galho em galho ou ser chutado?

Meu comentário na Computerworld: "Empresas têm ressalvas sobre quem vive trocando de emprego "

Link para a matéria: http://computerworld.uol.com.br/carreira/2009/07/10/empresas-tem-ressalvas-a-quem-vive-trocando-de-emprego/


Meu comentário: 

(Mais uma) Pesquisa para vender o próprio peixe é comum.

Muitas empresas mentem na contratação e o profissional é tratado como descartável.

Jogam fora conhecimento, perdem Bilhões todo anos, gastam mais em remendos! Menos lucro por causa da vaidade.

Até tem gente que fica rolando por aí, acredito que são minoria. O resto leva a culpa pelo despreparo de CEOs e chefias que acreditam na ilusão de que "cursinho" consegue o mesmo que estudo + anos de experiência. Tentem pilotar um jato comercial assim!

Se a empresa joga todos meses, seu futuro na rua, um dia ficará sem ter a quem recorrer.

A nova senzala virtual e a feudalização das contratações, não é mais acobertada como no passado.

Estamos no século XXI mesmo?

Terceirizações e contratações normais, cadê realmente o respeito e a qualidade de trabalho? Só na vitrine?

Empresa, é organismo social, não é a casa do dono. Tratar profissionais pior que cachorro, é desmotivar e perder qualidade de toda equipe, gastos em conhecimento e manutenção das estruturas.

Se a empresa é "boa", porque tantos saem correndo de lá?

O profissional que a empresa joga fora hoje, poderá ser justamente quem vai estar no outro lado numa rodada de negociações no futuro.

É fácil de uma empresa grande. Difícil é ser MESMO uma grande empresa.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...