English readers and other languages: Many posts are in portuguese, you can use the Translate button at left side.

Clique nas imagens dos artigos! Elas levam você para o site do artista que a criou e muitas
vezes tem assuntos relacionados ou outras imagens para expandir seus horizontes!

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Goetia Vai Resolver Meu Problema? Ou Outra Magia?




Goetia Vai Resolver Meu Problema? Ou Outra Magia?

Este artigo inicialmente começou a ser escrito sobre a Goetia, mas refere-se a muitas outras áreas da magia em geral.

Quando as pessoas procuram por soluções por magia, percebem que estas têm muitas alternativas e diferentes caminhos, mas nem sempre está claro o que realmente será feito, nem como isto funciona.

Basicamente as pessoas em geral vão encontrar anúncios e sites ou blogs oferecendo listas de “soluções prontas” até bastante genéricas. Outras ouvem sugestões de pessoas conhecidas.
Porém muitas vezes isto é o mesmo que busca por automedicação, que tantas vezes as pessoas são alertadas pelos médicos. Existem algumas coisas que as pessoas podem usar com uma certa segurança, um curativo Band-Aid, as vezes algum medicamento popular. Mas em tantas outras, é necessário que um especialista avalie a situação. Até mesmo uma simples analgésico (remédio para dor) pode ser perigoso e mascarar algum problema mais sério.
A mesma coisa nas muitas áreas do ocultismo e da magia em relação a vida das pessoas.

Algumas atividades que fazem parte das áreas espirituais e mágicas podem ser feitas pelas próprias pessoas, sem riscos maiores. Por exemplo, oração em prol de boas causas, acender uma vela para seu anjo da guarda, são técnicas espirituais simples e que ajudam e muito.
Mas quando se trata de buscar práticas em magia para mudar situações, encontrar soluções para mediar ou até solucionar conflitos pessoais ou em relação a outras pessoas, situações de negócios que podem envolver muitas áreas, etc. isto certamente terá um nível que requer mais atenção.
Veja, é muito diferente sugerir acender uma vela para seu anjo da guarda, ou para um santo católico, uma divindade como Buddha e outra bem diferente é fazer o mesmo para daemons ou outros espíritos pois existem vários espíritos que mesmo atuando em tantos aspectos práticos da vida humana, muitas vezes não são algo fácil de se lidar e podem ser perigosos e até trazer outros problemas.

A Goetia tempo tem sua reputação, boa ou má, tanto entre as pessoas em geral quanto entre praticantes de magia, que diferem muito entre si e principalmente os iniciantes que muitas vezes pretendem logo de início conseguir resultados grandiosos.

É importante observar que muitas coisas possíveis de se lidar com a ajuda da magia podem ser feitas de forma até simples mas tão eficazes as vezes quanto outras práticas mais elaboradas. Se os resultados são os desejados então pessoalmente acho preferíveis.
Já comentei a respeito disto no artigo Ok, So You Think That Magick is So Simple? (Ok, então você acha que a magia é tão simples?) que é um texto dedicado a magistas de todos os níveis e público em geral, pois as vezes as pessoas esquecem que justamente nas coisas mais simples podem estar grandes soluções.

É importante notar que magia simples não significa uma solução assim tão fácil de encontrar ou muito menos que seja barata.

Outras áreas de magia podem ser adequadas também, e a experiência de cada magista é quem vai decidir por alguma área específica.
Eu sou Universalista, e sempre trabalhei em mais de uma área, mergulhando nos estudos mas sem exclusividade. Isto e devido ao aprendizado que tive nestas décadas, assim por algum tempo dediquei-me mais a fundo nalguma área ou noutra, e depois retornando até as práticas que prefiro mais, como a magia cerimonial, os grimórios medievais, meditação e o aprofundamento no Tarot.
Com toda certeza na minha opinião não se trata de que uma área seja melhor que a outra, mas esta poderá estar adequada para a situação que eu esteja analisando.




Alguns passos que considero necessários antes de se decidir fazer um trabalho em magia

Cada pessoa tem uma visão pessoal do mundo, uma história de vida e seus próprios problemas que para ela certamente são os mais importantes.
Esta visão pessoal também está relacionada ao ambiente em que vive, família, sociedade, empresa, etc. cada um terá algumas ideias pré-concebidas a respeito do mundo e portanto, limitada ao que conhece.
De uma maneira geral, cada pessoa faz parte de um grupo ou até uma multidão, que compartilha certas informações e crenças. Mas a sua visão é limitada ao alcance de sua visão.
E aí começa o nosso trabalho para olhar de um ponto mais acima e assim ver mais longe aquilo que não é visto, tantas outras possibilidades.
Mas apenas isto não é suficiente. Não basta ter uma visão mais ampla, isto é apenas informação que pode ser acessada até por vidência ou com a ajuda de espíritos.
Um exemplo bem simples é a TV e a internet, que proporcionam imagens e informações de todas partes do mundo, mas mesmo assim as pessoas em geral estão limitadas aos seus próprios muros pessoais.
E o que falta? Entendimento sobre o que se enxerga e saber o que fazer com aquilo.
Para encontrar uma solução é preciso primeiro avaliá-la.
Então como avaliar a vida humana, os grupos sociais, as empresas e por que e quando a magia está mais ou menos relacionada com as necessidades da situação?
Isso tem a ver com a aprendizagem e experiência prática.
Claro que não sou uma lei universal, mas tive uma longa experiência pessoal intensamente vivida. Eu não sei tudo e tenho os mesmos problemas pessoais que as demais pessoas tem em todas as áreas. Com a vida aprendi a olhar a uma certa distância para tantos que se apresentam com excessiva autoconfiança ou até superpoderes. Ao longo da vida eu tive problemas terríveis e também experiências maravilhosas tantas vezes, e tudo foi somando à minha experiência de vida pessoal e profissional nas áreas de tecnologia e empresas. E em todos esses anos também a observação da vida das demais pessoas e suas experiências que somam ao meu aprendizado. E é isto que agrego ao meu trabalho com a espiritualidade, quando chamo as forças maiores que vão acrescentar todo um outro nível de informação e orientação.

Portanto, o primeiro passo antes de um trabalho em magia é justamente observar a pessoa e o que ela sabe a respeito de sua própria vida e o que está acontecendo.

Que tipo de problema você “pensa que tem” VERSUS que tipo de problema você “realmente tem”. 

Sempre é necessária avaliação de cada caso, um simples motivo pelo qual não faço nenhum trabalho em magia sem uma consulta específica para o assunto. Eu não vendo “rituais”. Eu trabalho com orientação e atividades em magia, que serão feitas como tarefas e não apenas unidades individuais e que só vou fazer se achar que existem possibilidades num nível que eu possa considerar aceitável.
O primeiro objetivo das minhas consultas é para aconselhamento e orientação sobre a vida da pessoa, observar e analisar causas e possibilidades que existam ao natural para a situação. Isto inclui boa parte das vezes aspectos da pessoa que ela nem sempre está percebendo, um motivo pelo qual minhas leituras costumam ser relativamente longas.
Ou seja, eu não vou fazer uma leitura de Tarot específica sobre uma determinada magia que a pessoa venha solicitar. Muito pelo contrário, eu não trabalho com uma “lista de compras” onde a pessoa escolhe o que quer e pega na prateleira. São tarefas repito, e que poderão ter muitos rituais adicionais que as vezes só vou descobrir a medida que as coisas evoluem e preciso ter uma certa antecipação sobre isto.
Então no meu trabalho a pessoa me diz o que está precisando, mas quem avalia e decide o que e como fazer serei eu e isto será sugerido para avaliação com todas as considerações a respeito. 
Tem muitos casos em que a pessoa é quem precisa mudar alguma coisa. Noutras tantas vezes quem sabe uma “limpeza” que a própria pessoa pode fazer, como banhos de ervas e algumas práticas que poderão mudar sua energia e seu ponto de vista para só depois cogitarmos algo diferente ou mais avançado.

Não adianta fazer magia sem participação da pessoa que está pedindo por isso. Não é uma encomenda que vai chegar rapidamente pelo correio, nem como um comprimido que a pessoa pega na farmácia e pronto. Alguma parte ela também vai ter que fazer, no mínimo observar atitudes pessoais, as vezes mudar de hábitos, descobrir e praticar habilidades. A magia é para auxiliar nestes processos e por isso repito, nem sempre são necessários recursos maiores e trabalhosos.
Citando uma frase muito usada em palestras de motivação: “se você quer mudar alguma coisa na sua vida então é você quem vai ter de mudar alguma coisa na sua vida”.

Acho oportuno citar o que recém citei sobre trabalhar por “tarefas”. Algumas coisas vão se desenrolar com o andamento dos trabalhos. Uhm?
Mas como assim, meus oráculos não são tão poderosos? Minha vidência seria ruim ou a minha própria visão espiritualista não enxerga tudo que acontece no universo?
A resposta é simples: Não. Conheci bons videntes. Mas depois de mais de três décadas apenas citando o caso do Tarot eu tenho muita confiança nas minhas leituras e visão pessoal. Mas ninguém enxerga tudo e minha visão por mais correta que esteja, pode eventualmente estar limitada por algum motivo.  Se for na área humana, depende apenas de experiência, principalmente quando é comum que algumas pessoas tentem ocultar alguma coisa. Mas se for alguma coisa relacionada aos reinos espirituais, ou melhor, influência de espíritos que tem muitos reinos diferentes, a coisa pode as vezes ficar diferente.
Repito, ninguém enxerga tudo. A menos que você consiga uma consulta pessoal com o próprio Buddha, Jesus ou Krishna, é pouco provável que se tenha tanto alcance de visão.
Veja, temos milhares de linhas espirituais e de magia no planeta. Absolutamente nenhuma doutrina ocultista cobre todas elas. E mesmo que eu conheça algumas delas, ainda assim não cobrem tudo. E muitos existem espíritos capazes de se disfarçar de muitas maneiras, mesmo nas áreas em que trabalhei por tanto tempo isto acontece de alguma maneira.  Então nalguma situação pode demorar para que sejam finalmente descobertos e novamente, aqui eu repito que trabalho por tarefas. É algo muito raro com toda certeza, mas eu preciso alertar as pessoas sobre esta possibilidade e certamente preciso me precaver.
E como eu atendo pessoas de muitos países do ocidente ao oriente, os meus exemplos se referem várias culturas diferentes.
Eu tive três casos assim, coisas que passaram despercebidas, e acompanhados por outros colegas todos notórios magistas em muitas áreas, e demorei um certo tempo de trabalho até descobrir as causas todas as vezes. Para citar um exemplo, um caso bem complicado foi de um europeu, que viajou muito pelo mundo, e a fonte dos ataques eram de antigas práticas de magia dos povos do oriente (Vietnam, Coréia e China). Um tipo de prática que a maioria das pessoas só vai ter uma ideia através de filmes de terror orientais.
Na maioria das vezes logo nos primeiros rituais os espíritos com quem trabalho podem apontar alguma coisa que não tenha sido percebida, e terei que lidar com isto por minha própria conta, a menos que seja uma situação muito extrema é claro e neste caso obviamente apresentarei toda necessária situação para que o cliente possa avaliar e decidir também.
Também pode ocorrer já durante a execução dos rituais, que os próprios espíritos sugiram que na sequência sejam feitas outras atividades que estão relacionadas a vida da pessoa.
Enfim, eu preciso pensar nestas possibilidades ao avaliar uma tarefa e é por isso que em certos casos os valores serão bem razoáveis pelo trabalho previsto.

Qual é o alcance da magia? Algumas áreas de magia parecem ser mais adequadas para serem praticadas até de forma local, com a presença das pessoas. Mas de uma forma geral, eu não concordo muito com isto e depende da capacidade do magista ou sacerdote se conectar com as pessoas seja onde estiverem.
Veja, se você pode ligar a internet agora mesmo e assistir um canal de TV no Japão, conversar com outra pessoa nos Estados Unidos, trocar mensagens com alguém na Europa, então porque a magia não teria um alcance muito maior já que as esferas espirituais não dependem de fronteiras?
Claro que algumas atividades realmente precisam da presença física da pessoa, mas estas são de cunho restrito e bem específicos. Alguns banhos deveriam ser aplicados por um sacerdote, para evitar que a pessoa contamine a si mesma com as energias que são liberadas e deverão ser tratadas no ato pelo sacerdote.
Mas de forma geral, boa parte dos banhos de ervas podem ser feitos pela própria pessoa, assim como certas orações e tantas outras coisas que eu prefiro orientar as pessoas a fazerem por si mesmas. Então por que eu iria cobrar por uma coisa que posso fornecer orientação na própria consulta?
Eu prefiro cobrar por coisas que eu tenha de fazer, que requerem preparo e não posso repassar devido ao longo tempo de estudo e preparação necessário.
Eu poderia explicar como montar um talismã, por exemplo, mas e os anos de aprendizado necessário para ativá-lo e consagrar adequadamente? Isto não tem como ensinar numa consulta e novamente, na maioria das vezes não é intenção do cliente tornar-se um magista. Ele apenas tem necessidades e que vou trabalhar para ajudar como possível.

A maioria das atividades não não precisam da presença da pessoa. Existe uma popularização em certas áreas sobre realizar os rituais na frente do cliente o que já demonstra que realmente e com razão, as pessoas não confiam muito no que estaria sendo feito. Então se a pessoa não confia, por que mesmo assim insiste em realizar algum determinado trabalho? É necessário buscar referências sempre, e melhor ainda se for de pessoas de fora.

Sobre ter um visitante em rituais de magia, logo de cara eu vejo um problema técnico bem sério: segurança.
Se eu vou chamar por espíritos diversos, sejam anjos ou demônios, ainda assim podem vir espíritos intrusos. Tanto uns quanto os outros, podem influenciar o visitante de alguma maneira e estes precisam obrigatoriamente ser protegidos. 
Certamente existem atividades públicas, seja de magia mais simples, ou como algumas realizadas em templos de religião africana e tantas outras áreas como algum Sabbath aberto a visitantes.  Com toda certeza estas atividades não vão estar lidando com coisas muito pesadas ou até secretas. Existem algumas coisas até mais fortes, mas ainda assim que terão obrigatoriamente magistas ou sacerdotes que serão responsáveis para assegurar que os visitantes não sejam afetados negativamente.
Claro que esta é uma situação ideal, mas nem todos sacerdotes e magistas observam isto e expôem seus clientes e visitantes a riscos desnecessários. Geralmente apenas para promoção pessoal.
Quantas e quantas vezes eu escuto alguém me relatar que foi até numa sessão pública nalgum lugar, ou participou de um ritual ao vivo e sentiu-se muito mal por muito tempo depois, até tendo a vida pessoal afetada. Isto não é porque "mexeu com alguma energia dela". Isto foi proposital para depois vender outro serviço de limpeza ou sugerir que a causa seriam "inimigos" que a pessoa na verdade jamais teve.

Isto vale até para as muitas áreas de terapias alternativas. Realmente muitas são ótimas e recomendo.
Porém, tantas e tantas vezes eu vi pessoas realizarem algum tipo de atividade com "terapéutas" sem a devida formação e sairem mal até de uma sessão individual de terapia de apenas uma hora.
E a desculpa que apresentam? Ah, isto seria porque a pessoa "contatou" com alguma energia que precisa ser trabalhada. Ou seja, uma arapuca para manter a pessoa por mais tempo. é muito fácil em áreas de terapia, fazer a pessoa contactar algum problema pessoal que esteja no subcosciente e traze-lo a superfície de novo. Se ocorrer, deverá ser imediatamente trabalhado.
Em hipótese alguma alguém pode sair mal de um trabalho de terapia da mesma maneira que num trabalho de magia. Ponto.

Até pode acontecer algo inesperado, mas aí para magistas principalmente, mas neste caso faz parte do nosso trabalho e estes saberão o que estão enfrentando a princípio. Se bem que os novatos nem sempre sabem com o que estão lidando e depois aparecem nos foruns pedindo ajuda.
Mas se for com um cliente ou visitante, obrigatoriamente o magista ou sacerdote deverá esclarecer muito bem o quê e o porquê da situação e fazer todo possível da forma mais rápida para solucionar a situação. E eu digo, muito rápido mesmo.

Rituais de alta magia como boa parte dos grimórios medievais e aqui citando a Goetia, podem ser muito perigosos para o magista e muito mais para um despreparado visitante ou cliente que esteja junto. Tanto pelos próprios espíritos evocados quanto por eventuais forças intrusas que muitas vezes podem aparecer durante a operação.
Junte a influência dos espíritos com a parte emocional e espiritual de quem esteja presente e podemos ter uma bomba prestes a explodir.
Lembro que certa vez numa atividade pública, fiz um muito simples ritual para evocar as energias do quatro elementos, algo bem simples mesmo, para contatar com as energias da terra, Fogo, Água e Ar. O resultado foi que uma das pessoas prontamente surtou, pegou um espírito parasita que apareceu por ali e tive que fazer no ato um trabalho de desobsessão e também com os demais que ficaram em pânico com a coisa. Isto deveria ter sido um simples ritual para inocentes fadinhas num lindo recanto da floresta.
Vi pessoalmente outros casos muito piores. Portanto, visistantes não!

Realizar um ritual de magia envolve experiência dos praticantes para sua própria proteção pessoal antes de tudo. Lidamos com energias que podem ser muito perigosas. Magia jamais é um espetáculo de circo, e em hipótese alguma é um show público como tem até vídeos por aí oferecendo rituais públicos de Goetia.
Num ritual de magia cerimonial, se outra pessoa estiver presente, esta terá que ser treinada, orientada e protegida pelo magista responsável. E se algumas pessoas pensam que num ritual destes vão ter visões fantásticas, lamento, geralmente vão sair decepcionadas. Repito, magia não é teatro nem número de circo.







Vamos abordar um pouco sobre as possibilidades com os espíritos da Goetia.

Dependendo do autor, alguns podem idolatrar a Goetia enquanto outros podem dizer que é algo funesto e maligno. Para alguns é uma coisa superficial, para outras é uma abordagem séria. E como tudo, uns a tomam de forma leviana e outros podem ir a estudos e práticas muito interessantes.

Seria a Goetia uma espécie de magia superpoderosa para tudo?
Certamente a Goetia é poderosa, mas não deveria ser usada para tudo. Mais acima comentei a respeito da possibilidade de usarmos outras áreas diferentes, sejam mais simples ou não.
Muitos casos eu prefiro a abordagem planetária/angélica devido as diferentes maneiras de atuação e também porque estas esferas têm características mais focadas ao desenvolvimento da pessoa enquanto a Goetia as vezes pode ser algo até mais imediato, mas as vezes sem tanta durabilidade, conforme o caso.
Claro que tem atividades na Goetia que vão trazer resultados por longo tempo. Por exemplo, trabalhar com os daemons que ajudam no aprendizado de certas áreas, como nas ciências e assim a pessoa realizar com sucesso seus trabalhos e estudos. Certamente certas tarefas terão trabalhos continuados e de tempos em tempos é adequado que sejam renovados. Será uma ajuda poderosa, mas a pessoa terá que fazer sua parte também, dedicando-se e aproveitando as oportunidades.


Como qualquer área de magia, a Goetia não é infalível. Não importa quem faça nem o seu discurso de vendedor.

Ninguém pode assegurar resultados em magia e faço questão de comentar um pouco mais sobre isto na página relativa a consultas e trabalhos. Existem milhares de situações e trabalhamos com possibilidades. Quanto maior a possibilidade, maior a chance.
Da mesma maneira, um médico também não pode assegurar resultados. Um advogado também não pode assegurar seus resultados. E por melhores que sejam as chances, é possível que surjam outros eventos ou até mesmo da parte de quem está pedindo, que vão influenciar nisto.
Para constar um comentário sobre os aspecto jurídico, extraído justamente de uma lauda relativa a isto:
"Na interpretação do juiz, o contrato firmado entre os dois é um contrato de meio, em que não se pode esperar resultado certo. É a mesma situação de um médico. O serviço é contratado na esperança da cura, mas, caso ela não ocorra, não se pode responsabilizar unicamente o profissional. O que é contratado ... é o serviço e não o resultado. - Pedro Canário - Revista Consultor Jurídico."
Certamente a pessoa contratada deverá realizar a sua parte e no melhor de sua capacidade. Outro motivo pelo qual eu falo que trabalho por "tarefa" e dentro desta sou eu quem tenho a avaliação e decisão de outras coisas que estarei fazendo dentro de critérios razoáveis é claro, mas certamente sou o primeiro a ter interesse no sucesso da operação ou de ter no mínimo os necessários esclarecimentos e análise relativos aos eventos.
Agora, se a pessoa vai ao médico porque está com Efisema pulmonar devido ao tabaco, e continuar fumando, certamente não poderá reclamar muito, Ok?
Da mesma forma se a pessoa tem problemas no seu relacionamento, e tantas vezes verificamos que a ela própria faz parte do problema, portanto, também causa problemas, de nada adianta trabalharmos se esta não mudar suas atitudes e muito menos, se logo após um ritual, poucas horas depois pula em cima da outra pessoa achando que teve algum resultado milagroso. Certamente não terá e pode até destruir todo serviço feito. 

O que eu posso dizer é que na ampla maioria das vezes algum tipo de resultado vai certamente acontecer, mesmo que seja para mostrar o porquê não é possível ou talvez nem desejável, ou outros eventos diretamente relacionados.
Muitas vezes os resultados são oportunidades! Ou seja, serão criadas possibilidades e situações de alguma forma influenciadas pelo trabalho dos espíritos. E é necessário aproveitar a oportunidade! Às vezes a pessoa não aproveita ou até usa mal o que conseguiu. Bem, os espíritos fizeram sua parte. Noutras vezes o resultado parece diferente, mas logo se descobre estar ligado diretamente ao que foi pedido.
Um exemplo que gosto de citar, de um magista bem experiente, estava divorciado e com o tempo sentia-se sózinho e pediu por um Amor verdadeiro. Ao que lembro, este ritual foi na área planetária/angélica. Dias depois escutou barulho na porta de casa e ao abrir encontrou um filhote de gato pedindo para entrar. Foi o amor verdadeiro que ele precisava, supriu todas suas necessidades de carinho e cuidados e uns 2-3 anos depois, aí sem carências, encontrou sua atual esposa com quem fez família e alguns filhos e estão muito bem.

Magia não assegura controle sobre a situação mas primeiro buscar ter possibilidades melhores, ser visto de outra forma, estar alerto para situações que a pessoa não perceberia e usarmos estas em nosso favor. Depois é que entram outros aspectos mais conhecidos, como influenciar energias e situações. Percebe isto? Mesmo que alguma situação seja trabalhada através da magia a própria pessoa também terá de estar conectada a isto.


Última alternativa ou primeira alternativa?

Ok, temos agora alguma ideia sobre o escopo, a abrangência das áreas da magia, incluindo a Goetia.
Então por que alguém usaria algo mais poderoso quando uma alternativa mais simples ou diferente seria possível?
Quem vai usar uma bazuca contra um mosquito? Certamente o mosquito terá um grande susto! Mas também o excesso de força aplicado poderá causar outros problemas.

Bem, um dos motivos de logo de início buscar algo mais poderoso é pela praticidade. A busca por resultados imediatos.
Novamente lamento, resultados muito imediatos na maioria das vezes entram na categoria de milagres e até de contos de fantasia.
Certamente alguns casos tem resultados relativamente rápidos, digamos, entre um a três meses para uma faixa razoável. Algumas coisas podem estar acontecendo em uma semana, temos vários casos assim, mas tudo depende de várias situações tanto pessoais quando do ambiente relacionado ao assunto.
E depende do que está sendo feito, para quem e quais sejam os objetivos. E também qual será a resistência do “alvo” da magia. Algumas pessoas parecem até ser imunes a magia, ou apenas são tão teimosas que mesmo com o mundo caindo ao seu redor não levantam do sofá. e outras pessoas têm proteções de algum tipo. Motivo pelo qual sempre é necessário observar muito bem o que está sendo feito.
É muito desagradável descobrir que uma magia feita para influenciar uma determinada situação, apresenta como resultado descobrir que do outro lado tem outros feiticeiros trabalhando para proteger o alvo. Por exemplo, grandes companhias, políticos e pessoas muito famosas.
Quer tentar atacar um grande político ou empresário? Tenha certeza de que não é tão simples assim e vai custar muito caro.

Assim é fácil perceber que a Goetia tem este aspecto bem conhecido: força. Realmente, tem espíritos muito poderosos. Mas novamente não se trata de usar uma aspirina nuclear para cada situação.
Por que um espírito muito poderoso, do nível de um Rei iria atender um adolescente totalmente inexperiente só porque deseja um encontro fácil com uma colega de escola?
Assim como são muito poderosos, nem sempre eles vão nos proporcionar todo seu poder. As abordagens com qualquer espírito sempre devem ser respeitosas de ambos os lados como princípio. E cada situação é negociada com o espírito de certa forma e também estará sujeita as possibilidades para o que se deseja.
E é claro, se a abordagem não for correta ou desrespeitosa isto pode resultar numa reação do daemon, geralmente algo um pouco desagradável, como alguns pesadelos, presenças importunando ao redor ou algum evento pessoal. Geralmente apenas um alerta do espírito. Mas em certos casos, podem resultar num período de problemas ou até a entrada de outros tipos de espíritos intrusos que se aproveitam da situação para sugar energia da pessoa.
Neste aspecto certamente são bem diferentes dos espíritos das religiões africanas, que por muitos motivos devem ser preferencialmente praticadas apenas por sacerdotes iniciados. É muito fácil um Orishá ou Exu fazer um grande estrago na vida de uma pessoa só porque fez uma oferenda de uma maneira errada. São algumas coisas que escrevi a respeito no livro Ritual Offerings. Algumas coisas podem perdurar por anos.

Ao avaliar alternativas também é necessário lembrar que uma determinada área pode ser bem diferente de outra. Cada uma tem suas particularidades e abordagens, mesmo que tenhamos coisas em comum e é necessário evitar misturas de práticas.
Podemos é claro ter diferentes rituais, para diferentes espíritos, mas cada um ao seu próprio modo e evitando conflito de áreas, senão uma coisa poderia anular a outra.
A medida que uma determinada situação for analisada, estudada e planejada é que teremos possibilidades de trabalho e que finalmente, de acordo com seu peso e importância nos levam a escolher por esta ou aquela área de magia.
Alguns casos eu posso trabalhar logo ao início com a Goetia, enquanto noutras situações eu preferi trabalhar por longos períodos noutras áreas, como as de magia planetária/angélica deixando para usar a Goetia em situações específicas.


Goetia é para o Mal?

Magia é para influencias os eventos do mundo, assim o conceito de bem e mal depende muito de quem faz e para quê.
Tentar influenciar uma disputa por uma vaga de emprego seria para o mal? Ou buscar melhores possibilidades?
É claro que prejudicar alguém de alguma forma tanto pode ser por mal ou até pelo bem. Mesmo assim, depende do caso. Se você precisar se defender de um criminoso que tentar prejudicar sua família, isto torna-se apenas legítima defesa.
A Goetia não tem nada a ver com espíritos baixos ou não evoluídos. Pelo contrário. Boa parte seriam antigas deidades das civilizações antigas. São espíritos antiquíssimos, conheceram milhares de gerações de humanos e certamente tem um entendimento bem diferente do nosso sobre a vida.
Da mesma forma, na sua maneira de agir, muitos anjos não são muito diferentes do que vamos encontrar nos espíritos da Goetia.


Muitas possibilidades

Cada um dos espíritos da Goetia tem muitas capacidades e não apenas o que está descrito nos antigos grimórios medievais. Estas outas habilidades são aprendidas ao longo do tempo pelo magista à medida que interage com eles e assim recebe novas informações e expande seu entendimento.
A descrição de cada um dos daemons da Goetia também por vezes precisa de interpretação, e desta forma percebermos que as mesmas palavras representam tantas outras coisas.
Muitas destas descrições parecem repetidas, daemons que teriam as mesmas capacidades, mas na verdade cada um age de maneira diferente. Existem sete categorias de espíritos e cada uma tem formas diferentes de atuação: Reis, Duques, Principes, Marqueses, Presidentes, Condes e Cavaleiros. 

Assim é muito diferente evocar um poderoso Rei, pois são eles quem regem sobre todos os demais, ou  um Marquês ou um Cavalheiro. Quanto mais alta a categoria maior o poder e a dificuldade de se lidar com eles. Por outro lado, as categorias abaixo tendem a ser mais práticas e trabalharem mais rápido também.
Chama-se um Rei para algo muito importante. São os chefões.
Duques são amigáveis e entendem os desejos das pessoas.
Principes são bons em negócios e para melhorar certos aspectos da vida do magista.
Marqueses trabalham de forma mais sutil e são bons para evitar crises. 
Presidentes são ativos, ágeis inteligentes e analíticos.
Condes são como soldados e seus resultados podem ser abruptos e até extremos.
Cavaleiros ajudam a entender os fundamentos dos demais e são próprios para operações de longo termo. 

Estas são apenas algumas qualidades das categorias é claro, e independente disto, alguns podem se revelar excelentes auxiliares e isto está muito relacionado ao relacionamento que o magista desenvolve com eles ao longo do tempo.
É comum que o magista com o tempo, passe a trabalhar apenas com alguns deles pois independente da descrição, eles podem agir em muitas áreas diferentes.

Sobre suas capacidades, por exemplo, alguns destes espíritos poderiam tornar uma pessoa invisível. Esqueça a capa mágica dos contos de fantasia e pense de outra forma. Isto pode simplesmente fazer a pessoa não ser notado por alguém ou por outros. Alguém que tenha um problema no local de trabalho poderia deixar de ser notado por algum rival. O problema é que deixaria de ser notado pelo seu chefe também. Ou se usado de forma mais ampla, deixaria de ser percebido pelos motoristas no trânsito e estaria sujeito a acidentes. De forma geral, não é invisibilidade, apenas as pessoas não prestam atenção a você por alguns instantes mas certamente se você estiver na mesma sala estarão conversando com você também. Ou poderão deixar de lhe dar atenção.
Outra capacidade muito interessante que nem sempre as pessoas observam, é que muitos dos espíritos da Goetia são ótimos para ensinar a respeito das mais diversas áreas, ciências, artes, engenharia, política, retórica, astronomia, etc. Isto certamente não é aprendizado instantâneo. O que eles fazem é ajudar de muitas formas para que este aprendizado ocorra, porém com melhor aproveitamento do tempo, ter inspirações sobre algumas coisas e até como aprender melhor.
Claro que se você pretende ser músico e pedir ajuda aos espíritos da Goetia, ainda assim terá que estudar teoria musical e praticar seu instrumento assim como ter uma disciplina diária de ensaios. Geralmente os bons músicos praticam de 8h a 12hs por dia. Todos os dias. E os gênios da música, podem passar mais tempo ainda praticando. Os espíritos da Goetia poderão lhe ajudar a entender as harmonias, o como as coisas funcionam, a descobrir outras maneiras de praticar e até nas áreas de inspiração, que também precisam de dedicação.

Uma reclamação constante é quando ouvimos as pessoas falarem que pediram dinheiro e os daemons da Goetia lhe apresentaram um emprego! Puxa vida, você ainda vai ter que trabalhar! Então que tal melhorar isto? Ter ajuda para ser melhor visto por clientes em potencial que vão pagar pelo seu serviço? Ao invés de trazer clientes até sua porta, eles poderão aparecer com sugestões ou inspirações para mudar alguma coisa ou atuar noutras áreas que vão melhorar isto.

E temos é claro o Amor. Bem, quando se trata de amor, de forma geral os daemons da Goetia só vão ajudar a unir pessoas que tenham algum tipo de interesse mútuo. Nenhuma magia “cria” Amor. Os espíritos da Goetia vão “inflamar”, “causar o amor possível”, “procurar amor”, “incitar” ou “estimular”. Ou seja, caso este exista na outra pessoa. Falando francamente, só se existir uma possibilidade para isto, pelo menos latente. Mas ninguém vai se atirar aos seus pés com toda certeza.
Mas é bom observar que nas diversas sociedades ao redor do mundo, muitas pessoas estão juntas por afinidade, amizade, companheirismo e até sexo. Nem todos relacionamentos e casamentos são por Amor, mas começam por amizade e parceria. Com o tempo, desenvolvem um forte vínculo que pode até tornar-se Amor. Então é preciso observar isto também. E nem preciso citar os casamentos por interesse ou conveniência. Basta que ambos tenham algum motivo para isto e não é da minha conta.
O problema é quando apenas um dos lados quer e o outro não. Aí lamento, mas aquela coisa popular de “trazer a pessoa amada na marra” não funciona. Boa parte senão a ampla maioria das pessoas que vão atrás deste recurso milagroso, estão apenas desesperadas e desejam ter a posse, a propriedade sobre outra pessoa. E isto não tem nada a ver com Amor.
Existem espíritos muito baixos que são usados para isto, geralmente do mundo dos mortos e o que vão fazer é destruir a vida da pessoa, literalmente, e talvez ela apareça de volta já a beira da morte em último desespero tentando escapar da morte certa. Geralmente será a destruição da vida de ambos que pode tornar-se um verdadeiro inferno. Vi muitos casos assim que testemunhei pessoalmente e não é nada agradável de se ver. E lidar com tais espíritos também é muito perigoso e podem voltar-se contra o magista também. Ou seja, caso eu aceitasse uma coisa destas, só por valores realmente muito altos, exige muito trabalho, pode demorar muito e as chances mesmo assim, muito pequenas, exceto o sofrimento garantido por mais tempo.

Outra área bem popular é Sexo. Prazer.
Muitos olham a respeito pensando em novas conquistas. Mas pode estar relacionado também aos que já tenham um relacionamento e querem mudar algumas coisas. 
Sexo não necessariamente precisa de amor. Pelo menos alguma amizade mesmo que temporária. Mas ainda assim precisa descobrir algum tipo de interesse. Ou seja, os espíritos vão influenciar na parte de atração e desejo. Novamente, os daemons não vão jogar alguém aos seus pés. Pode-se trabalhar um pouco melhor nisto, mas mesmo assim, estaremos criando possibilidades, e algumas poderão passar despercebidas e podem não se repetir.
Novamente, falo de possibilidades. Já tive algumas coisas bem interessantes e se estamos alertas quando as oportunidades surgem, estas é claro deverão ser aproveitadas.
E repetindo, alguns efeitos nesta área podem ser temporários e precisam de renovação de tempos em tempos.Um conhecido trabalhou com Sitri para esquentar seu casamento, com resultados bem interessantes, mas observou que recebia os resultados e depois de um tempo as coisas voltavam ao que era antes. Neste caso, faltou que ele desse uma continuidade para que as sementes plantadas continuassem a crescer e desenvolver mais aquele lado. É o mesmo que usar magia para conseguir um emprego e pensar que não precisa fazer mais nada. Pelo contrário, a pessoa vai ter que realizar as tarefas e mostrar que merece manter o emprego que conseguiu.


Posso “comprar” um pacto com espíritos da Goetia? 

Boa parte das pessoas associa a idéia de pacto com algo do tipo “vender a alma ao diabo” em troca de coisas.
Pensam que vão fazer um único ritual e com isto resolver todos problemas de uma vez.
Não é assim.
Um pacto basicamente é uma espécie de compromisso para trabalho “mútuo”. Ou seja, a pessoa no mínimo teria que cultuar a entidade de alguma forma, por exemplo, fazendo oferendas periódicas e até mudar sua vida para entrar nalgum tipo de religião ou até uma espécie de seita da qual não vai se livrar tão facilmente, talvez pela vida toda, mesmo que nã goste dos resultados. Mas pela parte dos espíritos, os resultados não são milagrosos. A pessoa que se tornar um grande astro do Rock. E mal sabe tocar violão. Novamente, o resultado vai ser na forma de oportunidades para estudar, praticar, galgar toda escalada e sendo colocada à prova o tempo todo. O espírito pactuado vai de alguma forma estar ajudando para isto, mas o nível de compromisso é muito maior e pode estar totalmente fora do que a pessoa realmente desejaria fazer. Muitas vezes os objetivos desejados se perdem pelo caminho.
Então seria melhor apenas realizar atividades em magia quando necessário ao invés de um compromisso tão extremo. Estes são mais próprios quando alguém realmente é praticante das artes ocultas e depois de muitos anos de estudo e entendimento.
E novamente, nenhum pacto vai realizar milagres da maneira como vemos nos filmes de fantasia.

Ok, mas ainda assim seria possível “comprar” o pacto com algum espírito que faça isto?
Na minha opinião, não exatamente.
Se a pessoa por si mesma não é magista, teria que se tornar um, aprender doutrinas e muitas coisas que demoram anos e anos de estudos apenas para chegar num patamar mínimo de poder fazer por si mesmo as coisas mais básicas. Ou seja, muito trabalho só para ter o mínimo para manter a sua parte do pacto funcionando. Até lá, sem muito resultado por parte do espírito.

Esta ideia de “comprar pactos” tem de certa forma a ver com a ideia de talismãs.
Estes sim pode ser adquiridos de um magista que vai preparar o talismã da maneira própria para as áreas desejadas e energiza-lo adequadamente através da consagração para os espíritos que estarão associados a este.
Mas mesmo um talismã, precisa uma certa renovação periódica, pelo menos anual. Porém aí sem compromisso maior. Geralmente acender uma vela ao lado do talismã, quem sabe colocar um copo de água e uma fruta como oferenda e deixar ali por algum tempo. Nada mais que isto.
Fácil de perceber que não precisa maiores vínculos, muito menos vender a própria alma, ou dedicar sua vida só porque buscou um recurso para alguma área específica.

Nesta ideia comparativa com talismãs, e voltando aos daemons da Goetia, assim como alguns outros espíritos em certas áreas (mas nem todas), um magista pode ajudar fazendo o trabalho ritual necessário para apresenta-lo ao espírito e pedir que este trabalhe em seu favor.
Na prática é exatamente o que faço ao evocar um daemons da Goetia. O ritual não é para mim, mas para que eu peça que trabalhe em favor da pessoa. Isto não é um pacto, mas apenas uma atividade em que a pessoa pede o que quer, paga por isto e esperamos algum resultado.

Assim podemos repetir para destacar bem, que no caso de algum tipo de pacto, se a pessoa for um magista, portanto praticante das áreas mágicas, fazer rituais e todo trabalho associado a sua disciplina diária faz parte.
Mas quando é uma pessoa comum, no sentido de ser apenas beneficiária do trabalho de outros, com toda certeza esta não vai ter o envolvimento que um praticamente formal das áreas ocultistas vai ter. Então por que se conectar a um destes espíritos de forma mais permanente?

Pessoalmente, não vejo o menor sentido em oferecer “iniciações na Goetia” quando tudo que a pessoa precisa é de alguém que trabalhe para ela. Alguns que vi por aí na verdade mais parecem estar buscando súditos para seu próprio culto.
Nem todas pessoas serão magistas ou bruxas, apesar do muito que se fala por aí.
Quando eu preciso de roupas, eu compro de quem sabe fazê-las. Quando eu preciso de batatas, eu as compro na feira próxima. Eu não preciso me tornar alfaiate ou fazendeiro. Deixo isto para quem tem as necessárias habilidades que eu reconheço não ter.

.’.


Naquilo que eu faço, na maior parte das vezes as pessoas virão até mim, teremos um determinado tempo juntos e depois elas vão seguir em frente nas suas vidas. A duração pode variar bastante, mas meu objetivo maior é que cada um se torne independente e tenha seu caminho pessoal.
De novo o trabalho de aconselhamento. Eu não quero súditos ao meu redor. Meu trabalho é apontar caminhos e ajudar para que cada um siga na caminhada para ter uma vida mais plena e próspera.
Alguns nem olham para trás ou enviam um cartão postal. Outros serão referências ou recomendações para que outros venham e assim por diante. E cada um à sua maneira será mais uma semente que procuro colocar em solo fértil para que uma nova vida surja e floresça e no futuro, será parte da vida de tantos outros.

P+
23/06/2017

.’.

Leia também: 


.’.

quinta-feira, 30 de março de 2017

Be True

Fun Time In Our Secret Neverland
Art by Perry Gunawan - Indonesia

Be True

Teachings of a life.


Always tell the truth.
Be true, even if it takes decades for someone to listen.
If that is real, it’s your truth.
No matter what's happens tell the truth.
A lie need a coward weak foundation.
The truth only need one time.
The lie need to be recreated and feed daily.
Lie need the weak foundations where to feed from
Lie need feed all the time but one day the truth will be revealed.
So persevere when you work for the truth.
If what you do and say is true, it will never be different and will be revealed.
Be true to yourself and always be true throughout your walk.
Only then you will he reap the greatest of all prizes: that of having a true life.


.'.

P+
29/03/2017

domingo, 26 de março de 2017

How Long Maybe a Tarot Reading?

Amazing Climatic Changes.....
Photo by: Teresa - Portugal


How Long Maybe a Tarot Reading?


"When you are after replies to your doubts, or exploring the misteries to get more knowledge there's not such thing as so big or so small.

All that matters when you got what you needed and not just what you wanted at start."


I got a new record in a tarot reading: lots of pages of text.
Often I add pictures of the cards I’m reading, but this time my camera is broken. And was not a case to copy the same cards images from somewhere else as I did when the client will be able to get more ideas or information from the images.
This was just a Standard type reading, without commenting the numerology related aspects that would add a lot more. Even so, at some part I did a minor citation about in case the person may want to learn more about himself.
Usually I try to be at 10 pages range in a standard reading. Some resulted at 15-18 pages and was a lot until now in my way of working. But this was really big.

Road To Paradise
Digital Art Photo by Nikola Petreski - Macedonia

Each person is different.

This case was even something simple when I took the initial One Main card. I have an option for such reading. The problem become when I start to comment that and explore in detail the aspects.
The matter was even a normal life question, but the client was on need to understand more the aspects, and this is what I’m working for, not just a reply, but add information to the client understand and be able to walk by himself.
This is why I say my work is first for guidance.
Even when the reading is for explore about some work on magic, I have to explain why and what I’m think is possible to do. There’s things people can do by themselves while at other times, I found is correct to explain what is I’m suggesting to work and why and how that will be related for going after for a result.
Just to remember, nobody can assure guarantee results in magic and this is clear stated and explained at the “Readings and workings” page.
Would be easy to me just say… “oh yes, this is so and so and I suggest this or that”.
But no.

See, I’m working alone, far away from the client. This is not a live talking to ask questions or get more information. I’m just working with my own vision plus the Tarot or any other oracle I found suitable to someone anywhere in the world. The same way I need to trust on my guts I found needed to explain what I’m seeing the better way.
And I can’t got quiet when I’m talking with a client, or as usuall, I’m just writing to someone really far away (99,99% most of my clients live far and at other countries). So as my main work is guidance and I’m seeing there’s information the person does not get by himself or have a need to learn more about what I’m talking.
By learning, I say I will try to teach and suggest personal aspects to observe and how to deal with that, areas to explore and study in life. A reason any magic work is under my discretion.

Another simple reason, is my work is not cheap, so I’m not just adding words to make the proposal to be “nice”, but because there’s the need to understand a bit more about what we do and why some works goes easy from hundreds to many thousand dollars value. Such works are not just golden pills to use and when suggested, some may result even in a long working time from myself and even risks evolved, for example, if someone ask me to enter in a kind of war due some reason in their interest this may result in some kind of backfire I have to be prepared to deal. And some works means just years, in a step by step practice.

A really long Tarot reading.That may happens.
So the size of a reading is to present the best I can, and also because I don't bill just for some specific ritual, but for a goal for each one suggested. Sometimes a ritual will lead to another, may need to be repeated for a time, add more others, etc. Talking about the learning path, is always a good practice to ask to the spirits I'm calling what's their suggestion or even they do by themselves, so I have to move to another area and usually that is by me only.  For sure I always notify my clients the possibility for billing for something more when and only I found (and clear explain why) such thing will be really out of any previous measures. Until today, never needed such thing BUT I need to notify the possibility and at same time, I'm very glad and give thanks at some very extreme cases when my older clients offered by themselves additional values like a big gift as they recognizes all the additional works done.

The size of a reading for sure is not all. It’s the contents that matters.
A funny aspect, is when I'm doing revisions of the text trying to make it short, and the result is to add even more material. LOL...

As a personal example, sometimes I paid for readings to myself, as I like to have another opinions and so I received former readings from people I respect a lot, Many was like some phrases and others also was a bit large. But that was all Ok too as they knew who I was and didn’t need so much explaining.
To repeat, I like to have another opinions. I’m not at some magic forums just to cheap talk or teaching others, but to listen and learn with many people I respect a lot. So I often check what I’m doing, use different oracles and ask for opinions. This is just because I’m human like your, and no matter I have near zero faults at readings for more than two decades, does not means I see all and does not means my opinion and experience was the better, but I'm sure about what I have seen.
Someday I expect to find something I really don’t know how to deal and need to learn and I’m humble to say this: someday I will be wrong too, it’s part of our spiritual and magic learning too.
I got cheated too many times mainly due my compassion, a hard learning under tears and blood.

When I dream of fairytales
Art by Elisabeth Zartl - Austria
By other side, we see readings so much generic, even in the right way, but lacking more information. Not a public critic, just an opinion and with respect to the ones who are able to present very short and precise replies. I just need to talk a lot sometimes and the same way, I see people also deserve more comments accordingly their experience.
For sure, in a normal reading, I don’t need to add all such material, just I like to do and when I can to make it for guidance, I do it.
May be with time I will learn to write more using less words or just make my work so specific so people don’t need so much talking.

I stopped to do live readings a long time ago, this still is a possibility for something like a local “day of readings” when someone hire me to do something like 8-10 readings in a day, one each hour or less. I had in the past 30 minutes readings for an entire day too. It’s very interesting. as I did it in the past, and is a matter of someone prepare a group, care of all expenses and the needed proper place. Usually that are nice spiritual times too as I need to opens up myself for a lot of people, including public talk for a group.

When I talk live, I really talk fast, and this is what I write in a normal reading. This one so big I’m citing at the top of this article is near the same as talking near two hours with someone who I was in need for that and the final text is a resume of that.
For sure, I edit and review my texts to shorten it as cited and too often I add more! 
But for live readings, I found 30-40 minutes use to be the needed for a reading. I can talk even just some 5 minutes at the Extreme Method and present all needed info. Each case is different for sure. Sometimes I will talk 20-30 minutes just about one card or in a brief about the personal numerology.
So when I start writing and expanding what I see to put all that ideas into words, the results may become even such big writings.


Something important to note, because the title of this article, and for sure of interest to anyone doing readings, live or not, and is a common problem with some people who does not respect professional work. I'm talking about a personal reading. Be a live talk or by e-mail as I do. The problem is some people just try abuse and want to ask about everyone in the family, relatives, friends, their company busines and etc. For sure your relationship or if the reading is about your job that is Ok. But add more specific to make a favor to others no. That is always abusive. If you go to a doctor, you pay for each one the doctor will look for. Ok? A former reading is the same. Many readers are abused this way and that is a shame.


To add some information about the way I do my readings. And how I work to people at any place in the world. (I live in the south of Brazil so get the idea) To be clear, the last personal reading I remember was some 3 years ago for a closer friend. For sure I'm not the only doing this.  
First I'm on my own vision at start. When someone ask a reading I will see the person question or life with my own inner vision. This is personal and very related to my experience in life. Also a reason at forums I reply to someone and cite I'm under my vision. Be sure I don't use any oracles for that.
The same reason I say nobody is invisible at magic. Be a normal person or someone using a nickname in a forum. Always there's a connection to the one who posted a comment.
Second, despite my vision, and to remember I say I'm not perfect, I will call the oracle, the Tarot (or Runes, I-Ching, etc) and also call for the spirits vision too.
Third, I always evoke other spirits to work with. That start with the angels/deities related to the area, plus the client guardian angel (is always neeeded to ask persmission to enter at the person's world). And as needed, any other angels/spirits/daemons related to the question. All they will add information about the questions.
And for sure, all this add to my own vision for sure and I have to measure that.


The most important is to present the needed reply and when I can add information to the client think about, learn as possible and receive suggestions for their lives become better and with knowledge about what’s happening and coming at their personal path.

.'.

P+
26/03/2017
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...